Tag Archive | Escócia

Roteiro: EuroTrip 2012 – Post Indrodução

Esse ano demorou pra passar, nem acreditei quando finalmente o dia 16 de outubro chegou e com isso a nossa EuroTrip 2012 começou! Mesmo eu já tendo morado em Edimburgo e viajado bastante nesse período, eu tava super nervosa (muito nervosa mesmo), principalmente na semana que antecedeu a viagem. Não sei exatamente o pq, já que eu tinha organizado, reorganizado, verificado, verificado tudo de novo, mas mesmo assim sempre tinha aquela sensação de que eu estava esquecendo de salvar os arquivos no email ou de imprimir alguma coisa importante. Vai entender!

Bom, eu já tinha escrito um post sobre o que basicamente iriamos fazer por lá, mas claro que os ajustes finais no roteiro só seriam possíveis depois de checar a previsão do tempo, que quer queira ou não, é um dos fatores mais importantes dependendo da atividade fossemos fazer.

Nessa viagem também eu resolvi inovar em dois quesitos:

– Primeiro: comprei passagem, reservei hotel, comprei as passagens de trem, os shows, concertos, musicais, enfim, comprei tudo por conta própria, ou seja, eu não utilizei agência de viagem em nenhuma etapa da programação das nossas férias (exceto o seguro viagem). Talvez isso explique um pouco o pq do meu nervossismo em excesso, se algo saísse errado eu teria que me virar pra resolver tudo sozinha. Mas graças a Deus, deu tudo super certo!

– Segundo: viajar com apenas uma bolsa e uma mala que se enquadrasse dentro do perfil para levar como bagagem de mão. Pra mim essa viagem teve a duração de exatos 30 dias (incluindo a viagem a Edimburgo que eu acabei decidindo ir de ultima hora), então quando a viagem já estava chegando lá pelo 20º dia, eu não aguentava mais ver nenhuma das minhas roupas! Parece exagero? Mas isso é a mais pura verdade.

Zurique

Mas vamos ao que interessa, o roteiro. A ordem da viagem permaneceu a mesma, claro. Só que com a previsão do tempo checada, podemos definir o que seria feito em cada dia. Entao basicamente ficou assim:

– 4 dias na Suíça: no primeiro dia fomos para o Liechtenstein já que teoricamente era o unico dia que marcava sol, e como ficariamos a maior parte do tempo andando ao ar livre por Vaduz (a capital), achamos que seria uma ótima escolha ir lá primeiro. A noite assistimos uma apresentação de ballet na Opernhaus em Zurique. No próximo dia, resolvemos ir pra Lucerna e subir nos Montes Pilatus e Stanserhorn. No terceiro dia fomos para Berna, a capital da Suíça e no ultimo dia ficamos em Zurique.

Castelo de Vaduz

O trecho entre Zurique e Salzburgo (nosso próximo destino) nos fizemos de trem. E mesmo tendo comprado as nossas passagens no site da SBB, empresa de trem da Suíça, nos acabamos fazendo esse trecho com a OBB, que é a empresa austriaca. Esse trecho apesar de looongo, algo em torno de quase 5 horas, nos nem vimos o tempo passar. As paisagens são lindíssimas e pode até parecer um exagero ficar sentada por quase 5 horas dentro de um trem, mas nos estavamos dando graças a Deus em poder descansar os nossos pés por um tempo.

Stanserhorn

– 4 dias em Salzburgo: no primeiro dia fomos para Innsbruck e subimos no Nordkette. A noite fomos assitir uma apresentação de música clássica na Sala de Marmore no Palácio de Mirabel. No dia seguinte, resolvemos fazer uma loucura inexplicável, que só de lembrar fico lamentando que o resultado final não foi 100%. Daqui uns dias quando escrever sobre esse passeio, todo mundo vai entender direitinho o que aconteceu. No terceiro dia fomos até a cidadezinha de Wattens, que é onde fica o museu/loja/fábrica da Swarovski. No ultimo dia ficamos em Salzburgo.

Os ursos em Berna

O deslocamento de Salzburgo pra Viena nos fizemos de trem também, com a empresa OBB, que é austriaca. O trajeto entre Salzburgo e Viena é mais curto, são apenas 2 horas e 40 minutos.

Nesse dia que fomos de Salzburgo pra Viena, aproveitamos pra dormir até um pouco mais tarde e descansar um pouco. Chegamos em Viena era meia tarde (15:44) e o único compromisso do dia era assistir a um Ballet, Quebra Nozes, na Staatsoper (Ópera Estatal de Viena).

Innsbruck

– 5 dias em Viena: onde ficamos 4 dias inteiros em Viena e fizemos um day trip para Bratislava, na Eslováquia.

Como eu já tinha escrito aqui no blog, nessa altura das férias a viagem teve duas direções: meus pais, meu irmão e minha cunhada foram pra Praga e eu fui pra Munique. O deslocamento entre Viena – Munique e Viena – Praga foi feito de trem. O tempo de viagem entre Viena e essas duas cidades é praticamente o mesmo, 4 horas e 4 horas e 30 minutos, respectivamente. Ambos os trajetos foram feitos com a empresa Austriaca OBB.

Café Sacher

– 2 dias em Praga: meus pais, meu irmão e minha cunhada ficaram só em Praga mesmo. Todos eles adoraram a cidade. Como eu já tinha ido lá no meu aniver de 2010, eu preferi passar a vez e fui me aventurar em outras terras. Mais pra frente vem um post sobre o que eles fizeram por lá.

Bratislava

– 3 dias em Munique: na verdade eu fiquei dois dias em Munique, sendo que em uma das manhãs eu fui pra Dachau, pra conhecer o campo de concentração e no terceiro e ultimo dia eu fui pra Nuremberg.  O que eu “vi” em Dachau e Nuremberg são partes lamentaveis da história da Alemanha, mas apesar de tudo, ambos os lugares se completam e deu pra entender direitinho esse terrivel capitulo dessa história. Bem interessante!

Munique e Dachau

– 5 dias em Londres: desses 5 dias programados pra Londres, 4 dias eu fiquei inteiros na cidade, sendo que em dois desses dias eu fui no WTM, World Travel Market, uma das maiores feiras de turismo do mundo. Ainda consegui assistir o Musical Let it Be, que presta uma homenagem aos 50 anos dos Beatles. Já no outro dia fiz um day trip para Norwich, a cidade da mostarda inglesa! Claro que os 4 dias que passei em Londres mal deram pro gasto. Tá ai uma cidade que eu poderia passar o resto da minha vida que não faltariam opções do que fazer!

Chá das 17:00 na Harrods

E aos 47 minutos do segundo tempo eu mudei minha passagem de volta pro Brasil e peguei um trem rumo a Edimburgo, na Escócia!!!!!!! Nem acreditei que em menos de um ano depois de ter deixado a cidade pra voltar para o Brasil, lá estava eu de volta! Claro que eu não poderia deixar passar a oportunidade de voltar lá! Então, como eu já estava ali pertinho, resolvi aliar a desculpa de que o meu aniver estava próximo (dia 15 de novembro, feriadão no Brasil) e a super vontade de voltar lá, eu pensei: Pq não? Dei um jeito e organizei toda a programação no trem e quer saber? Como muita coisa eu já sabia como fazer, como organizar e tudo mais, foi bem tranquilo. As 4 horas e 22 minutos do trajeto entre Londres e Edimburgo passaram voando e graças a boa qualidade do wi-fi dos trens da East Coast eu consegui reservar todos os passeios! Mesmo tendo sido apenas 4 dias inteiros e um pela metade, o que significa que foi super hiper mega rápido, eu adorei ter voltado a minha 2 casa (ou seria 3 casa? Curitiba não pode ficar de fora)!!

A programação em terras Escocesas ficou assim: no primeiro dia fiz um day trip para St Andrews, no dia seguinte fui para a região chamada de The Borders e nos ultimos dias fiquei em Edimburgo.

Norwich Cathedral

No total foram 6 7 países (Suíça, Liechtenstein, Áustria, Bratislava Eslováquia, Alemanha, Inglaterra e Escócia) pra mim e pro restante do pessoal lá de casa foram 6 países. Apesar de a grande maioria deles serem vizinhos (exceto Inglaterra e Escócia), as diferenças culturais são enormes. A estrutura de aeroportos, estrações de trem, os proprios trens e o transporte publico em geral são espetaculares.

A unica reclamação que temos a fazer é que em muitos museus e restaurantes na Áustria e na Alemanha as legendas são apresentadas apenas em alemão, o que não facilita muito a nossa vida, né?!?!

St Andrews, na Escócia

Nossa opinião final sobre o nosso roteiro: Nos gostamos muito de conhecer todos as cidades por onde passamos. Montamos base em cidades estrategicas e tentamos aproveitar ao máximo nossos dias fazendo bate e volta. Essa foi a primeira viagem em familia que incluimos várias cidades no roteiro para um bate e volta. Hoje em dia depois de voltar da viagem e fazer aquela analise geral de tudo o que fizemos por lá, chegamos a conclusão que mudariamos apenas duas coisas nesse roteiro: precisariamos ter tido um dia a mais na Suíça e ao invés de ficar 4 dias em Salzburgo, nos deveriamos ter dividido essa parte da viagem da seguinte forma: 2 dias em Innsbruck e 2 dias em Salzburgo. Se fosse dessa forma teria ficado perfeito! Mas de qualquer forma, o importante é que deu tudo certo e nos aproveitamos muito!

Ah, e é claro que eu poderia ter ficado mais tempo em Edimburgo também, não seria nada mal, não é mesmo?!?!?! =)))

Obs.: Como já deu pra perceber, nos próximos meses vamos ter assunto de sobra aqui no blog!

Anúncios

Brave

Aqui em Curitiba existem vários shopping espalhados pela cidade e todos eles tem um cinema, é claro! Então, como eu queria assitir o filme Brave, que em português foi traduzido como Valente, a única opção que me restou foi o cinema do Shopping Novo Batel. Digo que foi a “unica opção” pq eu não gosto de assitir filmes em 3D e esse era o único cinema da cidade que passava o filme normalmente, apesar de ser dublado.

Depois do almoço fui ali comprar o meu ticket e como o shopping é minusculo fui passar o tempo até começar o filme no shopping vizinho, o Shopping Crystal.

O cinema do Shopping Novo Batel faz parte da rede Cineplex e conta com 5 salas. A sala onde tava passando o filme que fui ver era a número 2, que fica no andar inferiror, tive que descer um lance de escada rolante.

A sala do cinema em si é grande, mas é antiga. Os bancos ainda são com famoso tecido vermelho tipico de cinema antigo. As poltronas tbm não são tão confortáveis. Pra falar bem a verdade, comparando com as salas de cinema dos Shopping Crystal e do Muller, elas já estão precisando de uma reforma.

O filme começou com um atraso de 10 minutos, não sei o motivo, até pq a sala de cinema tava praticamente vazia.

Quanto ao filme???????? Brave ou Valente (não gostei muito desse nome traduzido por português) pra quem não sabe é um desenho animado apresentado pela Disney Pixar que se passa totalmente em terras escocesas.

Conta um pouco da história e lendas os clãs que comandavam o país, que nesse caso era, a história gira em torno da Princesa Merida, filha do Rei Fergus e da Rainha Elinor.

Os pais de Merida querem arranjar um casamento pra ela e convidam 3 dos principais clãs escoceses para apresentar, cada um, o seu primogênito. Merida exige que eles lutem e conquistem o seu amor, ao invés de, os casamentos serem arranjados, como era muito comum antigamente.

As paisagens do filme foram produzidas pela Pixar dando um ar tão real, que não é a toa que ficaram lindíssimas. Eu adorei! Foi bom relembrar um pouco da cultura, das histórias e das lendas escocesas.

E como curiosidade, listo aqui quatro coisas que provavelmente ninguém deu muita importancia, mas que mostram um pouquinho da cultura escocesa em geral:

– podemos ver os três pestinhas dos irmãos da Merida comendo Haggis, um dos principais pratos da culinária escocesa;

– a Flor da Escócia, a flor símbolo do país. Vemos quando a Merica coloca na bandeja que está o bolo enfeitiçado que será entregue a sua mãe;

– todos os homens estão vestindo Kilt. Assim dá pra perceber que, cada clã escoces tem o seu tartan, cada um com cores diferentes e especificas. Sem esquecer das gaitas de fole, que também são tocadas em alguns momentos do filme.

 – tabuleiros de xadrez com as pecinhas de xadrez de Lewis, os Lewis Chessmen, na cena em que a Rainha conta sobre a lenda dos sucessores ao trono escoces.

Como o filme está em cartaz desde o final do mês de julho, muito provavelmente que em breve ele saia de cartaz, então é bom se apressar! O filme tem uma história bem interessante e o bônus fica por conta das paisagens escocesas. Excelente!

O Shopping Novo Batel fica na rua Al. Dom Pedro II, 255. Entre o Shopping Crystal e a Praça da Espanha. O cinema fica no piso inferior, tem que descer as escadas rolantes.

Charlotte Square – A praça mais vigiada de Edimburgo

Uma das praças mais famosas de Edimburgo é a Charlotte Square. A praça em si não tem nenhum atrativo super hiper famoso, mas dependendo da época do ano, merece uma visita!

Durante o verão, por exemplo, a praça recebe o Edinburgh International Book Festival, considerado o maior festival literário do mundo!! Eu fui lá no ano passado, e posso dizer, vale a pena. Principalmente pelas palestras e fóruns de discussões, os assuntos são sempre interessantes.

Já nas outras estações do ano, não é possível visitar a praça, afinal, por ela ser totalmente cercada, os portões estão sempre fechados. Mas isso nem chega a ser um problema, pois as atrações estão todas nas redondezas.

A principal atração fica por conta da Bute House que é a residência oficial do Primeiro Ministro Escocês, que atualmente é Alex Salmond. Além de servir de residência, alguns andares do edifício estão destinados ao escritório do Primeiro-Ministro, existem algumas salas para reuniões e ainda tem uma sala de estar e um salão de jantar, onde Chefes de Estado e convidados são recepcionados.

As quatro colunas na fachada facilitam a identificação

Como a minha escola de inglês ficava na rua detrás, eu passava sempre por ali. É bem comum ver guardinhas e carros da polícia passando com uma certa frequencia nessa região. Reparem que não existem grades, nem portões e muros altos, a porta principal da residência fica praticamente na rua!

A região onde esta situada a casa do Primeiro-Ministro é a New Town. Essa área da cidade é famosa pelos seus edifícios de estilo georgiano. Se não fosse uma placa modesta em frente a residência com essa informação, a gente passa batido e nem repara.

Se alguém ficar curioso e quiser ver de perto como é uma casa em estilo georgiano por dentro, bem ao lado da Bute House, fica a Georgian House.

Essa Casa-Museu está aberta a visitação pública. Lá dá pra ter uma boa idéia de como eram as residências das famílias mais tradicionais da Escócia e como eles viviam entre os séculos 18 e 19. Eu não visitei o lugar, mas algumas colegas foram e falaram que é bem interessante ver de perto os moveis,  obras de arte, objetos e utensílios de época que estão em exibição lá.

Na casa número 13 morava Sir William Fettes, o fundador do Fettes College. No outro lado da praça (lado próximo a Princesa Street) ainda fica a casa onde morou o escoces e inventor da televisão, Alexander Graham Bell. Ambas as casa não estão abertas a visitação, mas por exemplo, a casa onde morou Graham Bell, tem uma placa indicando que ele morou ali.

E pra terminar a visita pela Charlotte Square, ainda podemos ver o monumental prédio que é sede do West Register House, que faz parte do National Archives of Scotland. O domo verde, que pode ser visto de muitas partes da cidade, é uma das partes que restou da Igreja de St George, que ficava neste lugar antigamente.

Na West Register House estão guardados todos os documentos e registros importantes da nação, entre eles podemos encontrar alguns mapas antigos de Edimburgo e de outras partes da Escócia, bem como documentos importantes relacionados aos clans escoceses.

Ah, e antes que eu me esqueça, no meio do Charlote Square Gardens fica uma estatua eqüestre do Príncipe Albert, marido da Rainha Victoria.

Scotland’s Winter Festivals: St Andrew’s Day

Hoje, dia 30 de novembro é o Dia de St Andrew, o Santo Patrono da Escócia, e é uma das datas mais esperadas por todos.

Castelo de Edimburgo

Além de ser Bank Holiday, algumas das principais atrações do país abrem suas portas de graça!

Homenagem as personalidades escocesas, como Sean Connery

Porém como esse ano o Dia de St Andrew caiu numa quarta-feira, as comemorações já iniciaram no final de semana. Então nos dias 26 e 27 de novembro (e mais o dia 30 de novembro), era possível visitar muuuuitos monumentos, castelos, igrejas e palácios por toda a Escócia de graça!

Thistle, a flor da Escócia

Mas para isso era necessário se registrar no site do Historic Scotland, imprimir e levar o passaporte junto e pronto, entrada liberada em qualquer um dos mais de 40 lugares disponiveis para visitar.

Vai começar os fogos..

Eu esqueci compleeeetamente desse final de semana quando resolvi comprar minha passagem pra ir passar o final de semana Londres, foi uma pena, pois tinha ainda alguns lugares que eu gostaria de ir visitar (e eu ainda vou) porém agora vou ter que pagar, mas fazer o que.. Dos vários lugares com acesso gratuito, eu já tinha ido nos principais, como por exemplo no Linlithgow Palace, no Stirling Castle e no Urqhart Castle.

Historic Scotland

Pelo menos eu consegui chegar a tempo de ver o Grand Finale que sempre acontece no domingo no Castle Esplanade, bem em frente ao Castelo de Edimburgo.

Quando eu tava quase chegando nas escadinhas que dão acesso ao Castelo, eles já estavam anunciando a Banda de Bagpipe que iriam tocaram as principais músicas do país.. Demais!!

Enquanto o castelo mudava da cor original para a cor azul e mais tarde teve a bandeira do país projetada no castelo, foi apresentado um resumão que mostrava as personalidades escocesas e suas invensões.

Achei engraçado quando falaram de John Napier, que inventou os logaritmos hahahaha foi super engraçado, pq ninguém gostou muito dessa descoberta e houve até uma pequena “vaia”.

Além de John Napier, foram citados também Robert Burns, John Baird (que inventou a televisão), Graham Bell (inventou o telefone). Achei interessante que o narrador disse que hoje em dia ninguém estaria usando um iphone ou similares se não fosse a criação de um Escocês. Também foram citados os atores, Sean Connery, Gerard Butler, Ewan McGregor, o técnico do Manchester, Alex Ferguson e muitos outros.

Mas o grande momento e o mais esperado foi quando os Thistles (as Flores da Escócia) se acenderam e o hino não oficial da Escócia começou a ser tocado, uma canção suuuper bonitinha, que eu adoro chamada de Flower of Scotland, e logo em seguida veio a grande queima de fogos!

A cada ano que passa os eventos aqui na Escócia estão ficando cada vez melhores, muito mais criativos e com queima de fogos de formas super diferentes!

… e chega ao fim, mais uma comemoração do Santo Padroeiro da Escócia!

Mesmo com o frio de 4 graus (e sem luvas) eu adorei ter ido e ter ficado sem sentir os meus dedos por uns 70 ou 90 minutos, pois eles estavam literalmente congelados! =)

Edimburgo, a capital da Escócia

Edimburgo ou Dùn Èideann (como é chamada em gaélico escocês) é a capital da Escócia desde 1492. De acordo com o último censo, que foi feito em 2001, a cidade tem apenas 448 mil habitantes. A cidade também era conhecida antigamente por “Auld Reekie” e atualmente ganhou o apelido de “a Atenas do Norte”.

Uma coisa que chama bastante a atenção é que o nome Edinburgh não é pronunciado dessa forma e sim, é utilizado a pronuncia que vem do gaélico escocês que é algo como “Edinbrá”, é isso mesmo, ninguém diz Edinburgh Castle e sim “Edinbrá Castle”, pode reparar!!!!

As áreas que formam a cidade

New Town e Old Town

A cidade está localizada no estuário do rio Forth, no Firth of Forth (que é aquela região onde o Mar do Norte entra nas terras escocesas), sendo assim, venta muuuuito na cidade, tem dias que chega a 20 mph (ou mais).. isso quer dizer: 32 km/h!!!!!

O centro da cidade de Edimburgo.. repare que a New Town é mais organizada e na Old Town as ruas são mais curvas!

A cidade basicamente é dividida em 4 partes pelo Princes Street Gardens: Georgian New Town, Medieval Old Town, Port of Leith e Financial Center.

As duas principais ruas da cidade são a Royal Mile, que fica na parte antiga da cidade e é onde estão grande parte dos estabelecimentos políticos do país e a Princes Street que fica na parte nova da cidade é uma área para diversão e compras (também inclui a área de West End, onde estão vários teatros e cinemas).

No Princes Street Gardens e ao fundo o Castelo de Edimburgo

O Princes Street Gardens antigamente era um pântano, o North Loch ou Nor’ Loch, que em 1820 foi transformado em jardim. E é justamente esse jardim que separa a New Town da Old Town e fica entre a Princes Street e a Royal Mile. Para ligar a parte nova com a parte velha foi construída uma colina artificial com um trajeto meio curvo, o The Mound.

Princes Street Gardens

Nos jardins estão várias estátuas (na parte leste estão as dedicadas ao explorador David Livingstone, ao editor Adam Black, ao professor John Wilson e na parte oeste estão as dedicadas ao poeta Allan Ramsay, Thomas Guthrie e James Simpson), alguns monumentos como o Scott Monument e a Ross Fountain, o Memorial Escocês da Guerra Americana e um relógio de flores (que marca as horas de verdade!!).

Princes Street Gardens em primeiro plano e o Calton Hiil ao fundo

No inverno, o jardim se transforma no Winter Wonderland, com os mercados de Natal com produtos típicos de todo o mundo, pista de gelo e uma roda gigante, a Edinburgh Eye.

Na área do The Mound é onde ficam a National Gallery of Scotland, Royal Scottish Academy, New College, General Assembly Hall of the Church of Scotland e Bank of Scotland.

The Mound.. ligando a Old Town com a New Town

A cidade velha de Edinburgh com seus traços medievais, foi declarada Patrimônio Mundial da Unesco em 1995. A rua tem aproximadamente 2 km e numa de suas pontas fica o Castelo de Edimburgo e na outra fica o Palácio de Holyroodhouse (Palácio da Rainha Elizabeth, na Escócia).A Royal Mile é um pouco grandinha e ao longo dos seus quase 2 km ela recebe 4 nomes diferentes: Castlehill, Lawnmarket, High Street e Canongate.

Royal MileRoyal Mile

Já na New Town de Edimburgo, uma coisa que chama atenção é o seu planejamento urbano, as ruas são mais retas e com muitas praças (sendo as principais, a Charlotte Square e a St Andrew Square). Também foi declarada Patrimônio Mundial da Unesco junto com a Cidade Velha de Edimburgo em 1995!!

Princes Street.. no lado direito fica o Princes St Gardens

Mesmo sendo chamada de Cidade Nova, foi construída entre 1765 e 1850, o que não seria tão nova assim (para nós, brasileiros!!). Para que ela fosse contruida, houve um concurso público e o vencedor foi o arquiteto James Craig. As ruas principais foram nomeadas para homenagear a realeza (é claro), como.. Princes Street, George Street (em homenagem ao Rei George III) e Queen Street.

O Leith é o porto da cidade, que recentemente passou por um processo de revitalização, e de uns tempos pra cá virou atração na cidade. Na região há muuuitos restaurantes, lojas, cinema e até um shopping.

Her Majestys Yacht Britannia

Existem várias empresas de cruzeiros marítimos que fazem passeios para os países Escandinavos, Alemanha e Holanda e saem diariamente do porto. Além disso, tem o Her Majesty’s Yacht Britannia, que é um navio que pertence a Realeza Britânica.

Praça entre West End e Haymarket Station

O Centro financeiro da cidade, como o próprio nome sugere ficam sedes de bancos e Embaixadas e é pra esse lado da cidade onde está o Aeroporto de Edimburgo.

Edinburgh International Conference Centre

E é também onde fica o Edinburgh International Conference Centre, o principal centro de eventos e conferências da cidade!

%d blogueiros gostam disto: