Tag Archive | Croácia

Hotel em Split

Para explorar Split e Zadar, eu montei base em Split, já que a cidade é maiorzinha e as opções de hotéis também são maiores.

O hotel escolhido foi o super bem avaliado Hotel Luxe. A localização não poderia ser melhor, muito próximo a Riva, o principal calcadão a beira-mar de Split.

Hotel em Split

O hotel é super novo, é classificado como hotel-boutique, então tem uma decoração bem moderninha.

A área que ele estava localizado, me pareceu ser bem comercial, com bastante lojas e restaurantes ao redor, além de ficar muito perto da Rodoviária e do Porto da cidade.

O quarto que reservei era para uma pessoa só, com direito a café da manha e internet wi-fi incluidos no valor da diária.

Hotel em Split

O quarto em que fiquei estava localizado no ultimo andar do edificio, que não é muito alto não, acho que são 4 ou 5 andares no máximo. Meu quarto era bem espaçoso, a cama era uma queen size e a vista era para os fundos do hotel, ou seja, para o mar Adriático.

Acordar com essa vista, melhor impossível!

** Se você gostou das dicas desse blog e quiser dar uma força reservando hotel  em Split através do site do Booking, para iniciar as pesquisas, é  só clicar aqui. Obrigada!!! **

** Importante: Ao reservar um hotel através do site do Booking aqui pelo blog, será repassado uma comissão ao blog Contando as Horas **

** Não sabe como utilizar o site do Booking? Aqui vai um post bem detalhado sobre como escolher e reservar um hotel. **

Posts relacionados:

Roteiro: Inglaterra, Croácia, Bósnia e Herzegovina e Montenegro

Minha cidade preferida na Croácia: Split

“Esse deve ser o pôr-do-sol mais bonito do mundo”.. E não é que Alfred Hitchcock tinha razão!!!!

Andando de ônibus na Croácia e atravessando a fronteira entre a Croácia e a Bósnia

Dubrovnik, a “Pérola do Adriático”

Últimas horas em Dubrovnik: Forte St Lawrence, War Photo Limited e Aeroporto

Anúncios

Últimas horas em Dubrovnik: Forte St Lawrence, War Photo Limited e Aeroporto

Quando voltei do passeio em Montenegro, ainda tava cedo e tinha um pouquinho de sol. Então resolvi aproveitar o resto do meu ultimo dia na Croácia e fui conhecer o Forte de St Lawrence ou Lovrijenac.

Forte St Lawrence

O Forte de St Lawrence fica fora da muralha de Dubrovnik

O Forte fica fora da muralha de Dubrovnik, fica “sozinho” no alto de um rochedo a mais de 30 metros de altura. Esse Forte foi construído para proteger a entrada da cidade, tanto por terra como pelo mar.

Forte de St Lawrence

Caminhei até a beira do mar e subi uma trilhazinha (de escadas) até o topo onde fica o Forte e de lá se tem uma das melhores visão de toda a Cidade Antiga, da Muralha, dos outros Fortes e do restante da cidade, além é claro, é possível ver o pôr-do-sol, e foi o que eu fiz, sentei num banquinho e fiquei esperando ele chegar!!

a "trilha" de escadinhas até o topo

A vista de um lado...

... e do outro!

Na porta principal tem um escrito em latim que acabou se tornando o lema da cidade: “Non bene pro toto libertas venditur auro”  que quer dizer “A liberdade não se vende nem por todo o ouro do mundo”!!

Dá pra ver todo o Centro Antigo de Dubrovnik

...

...

Depois acabei voltando até a Cidade Antiga, para um sorvetinho.. afinal, o calor tava de matar (mesmo as 19:00 horas!!).. e lembrei que tinha um Museu sobre a Guerra da Iugoslávia, resolvi procurar enquanto eu também procurava um lugar que vendesse selos para enviar os postais que tinha comprado logo no inicio da viagem!! A busca pelos selos, parecia que não ia ter um final feliz e quando eu decidi que ia entrar pela ultima vez pra procurar, foi justamente numa banquinha de jornais e revistas que eu achei, finalmente!!

War Photo Limited

Nessas minhas andanças pra cima e pra baixo na Stradun, acabei achando a ruazinha que dava no War Photo Limited. Foi um pouco dificil encontrar o museu, pq eu imaginava algo um pouco menor, e a entrada era uma “portinha” preta minúscula, escondida no meio de lojinhas de souvenirs. Bom, achei bem legal o estilo do museu.. bem moderninho. Como o próprio nome sugere, as exibições mostram através de fotos cenas dos principais conflitos na região, como na principal exibição que era sobre a Guerra da Iugoslávia e outros conflitos no mundo.

...

As outras duas exibições menores, mostram o trabalho de jornalistas relatimamente conhecidos que estavam cobrindo as guerras e registraram cenas que mostram o resultado que uma guerra pode causar em algumas regiões, como no norte da África e no Oriente Médio, principalmente nos países como a Líbia, Egito e Bahrain.

...

Tinha uma outra exposição sobre a guerra na Chechenia, mas não li muito a respeito, só vi as fotos rapidamente, pq eu fiquei tempo deeeeemaaaais na exibição principal e ainda tinha que jantar!!

A missão das exibições

O War Photo Limited fica na rua Antuninska e abre quase todos os dias, fechado somente na segunda-feira, no verão das 10:00 até as 22:00. Valor de 30,00 Kuna.

...

Então foi uma boa opção pra fechar a semana de férias na Croácia!!

No domingo, sem tempo pra mais nada, fui direto pro Aeroporto Internacional de Dubrovnik (IATA: DBV) ou em Croata Zračna luka Dubrovnik – Čilipi. O aeroporto é relativamente perto do centro, a uns 20 km mais ou menos.

(eu tinha lido por ai, que havia uma mini rodoviária perto do Portão Pile, e que tinha um ônibus que ligava o centro antigo até o aeroporto, porém eu fui num guiche de informações, e a mulher me disse que os ônibus que partem para o aeroporto saiam apenas da rodoviária principal – aqueeeeela que fica super longe – então… como eu não tinha mais tempo, resolvi pegar um táxi mesmo)

A rodoviária principal fica pro lado contrário de onde está o aeroporto. Achei muita mão de obra (sem contar no calor) “voltar” e ir até a rodoviária e assim, peguei um táxi. O valor foi de 25,00 euros, com ar condicionado, trânsito tranquilo e o taxista era bem gente boa e foi me contando algumas coisas do país e conversamos também sobre o Brasil. Ele chegou até me pergutnar se no Brasil era mais frio que a Croácia.. ve se pode?!?! heheehhe

Por ser o segundo maior aeroporto do país, achei bem moderninho, facil de se localizar, porém já está ultrapassado em termos de espaço. Na parte que eu fui, só tinham os voos pro Reino Unido (como Manchester, Belfast, Edimburgo, Londres..) e mais parecia que eu estava num show do Rock’n Rio do que num aeroporto, tamanho o aglomero e quantidade de pessoas.. tava simplesmente intransitável!! O free shop olhei muito rapidamente, pq realmente, não tinha condições de ficar andando pra lá e pra cá!

Dubrovnik, a “Pérola do Adriático”

Dubrovnik está localizada beeeem no sul da Croácia, quase na fronteira com Montenegro. A cidade fica “isolada” do restante do país, pois o território da Croácia é cortado por uma estreita faixa que pertence a Bósnia e Herzegovina. E a cidade tem uma população de apenas 43 mil habitantes!!

Dubrovnik

Na quarta-feira a tarde eu cheguei em Dubrovnik, larguei minhas coisas no hotel e sai para fazer um reconhecimento de área! Mas somente na quinta-feira que eu sai pra conhecer bem o lugar!

Muralha que cerca Dubrovnik

Um dos portões de acesso a Cidade Antiga

O meu hotel ficava bem próximo de uma das duas portas da Cidade Antiga, a Porta Pile. Para ter acesso a cidade antiga, antes de chegar na Porta tem uma ponte levadiça de madeira e num dos arcos da Porta fica a estátua de São Brás, o padroeiro da cidade!

São Brás, o padroeiro da cidade

A Cidade Antiga de Dubrovnik ou também chamada de Stari grad Dubrovnik, me surpreendeu de primeira. As muralhas e fortificações estão suuuuper bem conservadas e outra coisa que também chama atenção é o fato das ruas serem feitas de mármore branco (que já não está mais tããão branco) brilhante (e escorregadio)!!!

A muralha, super bem conservada

Stradun, a principal rua da Cidade Antiga

A rua principal da Cidade Antiga é a Stradun, ela é bem pequena, tem uns 300 metros e fica bem no meio das duas Portas da cidade, a Pile e a Ploče.

Lado interno da Porta Ploče

A Porta Ploče

Nessa rua estão vááários bares, restaurantes, lojinhas de souvenirs, sorveterias… e algumas atrações turisticas também!!

Stradun, com seus restaurantes e lojinhas de souvenirs

Stradun

Duas coisas que me chamaram atenção na Stradun foi o estilo dos prédio, todo iguaizinhos e as “portas” das lojinhas, de estilo koljeno, que é uma porta/janela junto, porém a parte da janela é só pela metade e serve de vitrine e/ou balcão.

As ruazinhas da Cidade Antiga

Estilo koljeno

Na quinta-feira, fui visitar todos os outros pontos turisticos. Bem perto da Porta Pile, fica a Fonte Grande de Onofrio, uma fonte bem diferente das que estamos acostumados a ver por ai, ela tem forma circular e é rodeada por uma serie de “torneiras”. O curioso é que as águas que abastecem a fonte vem de uma nascente que fica a mais de 20 km de Dubrovnik.

Uma das primeiras coisas que vemos ao entrar pela porta Pile

A Fonte Grande de Onofrio

Do lado oposto da fonte fica a Igreja de São Spas, tem estilo da epoca da Renascença Dálmata, é super pequena, com um altar bem bonitinho e tem apenas uma pintura, que data de 1528.

Igrejinha de São Spas

Bem do lado dessa Igreja, tem um corredor que dá acesso a Farmácia Medieval ou Stara Ljekarna que é a farmácia mais antiga do mundo, foi fundada em 1317 e ainda esta em funcionamento!!

Farmácia Medieval, a farmácia mais antiga do mundo ainda em funcionamento

Seguindo pela Stradun, na outra ponta fica a principal Igreja da Cidade Antiga, dedicada ao padroeiro da cidade, São Brás ou Sveti Vlaho. A Igreja de São Brás foi construida no século XVIII. Os vitrais são bem bonitos e é possível visitar de graça e ver os tesouros e reliquias de São Brás.

A Fonte Pequena de Onofrio

Bem pertinho dessa Igreja ficam a Fonte Pequena de Onofrio e a Coluna ou Pilar de Orlando. Essa coluna tem história, pois era ali que o governo proclamava seus decretos e além disso, servia como palco das punições públicas.

Coluna de Orlando

Ahhh, o braço de Orlando serviu durante muuuito tempo como padrão de medida na região, meio estranho, não?!

A muralha de Dubrovnik

E pra terminar.. fui nas Muralhas de Dubrovnik!!! O ticket é vendido numa lojinha bem em frente a Fonte Grande de Onofrio, e com carteira de estudante, paga menos!!O acesso a muralha fica bem do lado da Igreja de São Spas!!

O sentido é único e durante o trajeto, o ticket é conferido umas 2 ou 3 vezes, pois a partir de algumas casas dá pra ter acesso as muralhas e assim essa fiscalização excessiva evita os penetras!!

A muralha demorou anos pra ficar pronta, no ínicio foi toda construída com madeira e durante os séculos 12 até o 17, a madeira foi substituida por pedra!!

Além de ver o mar, as casinhas todas iguais, com seus tetos que chamam bastante atenção, pois alguns ainda possuem marcas da Guerra, porém a grande maioria estão impecáveis, mostrando que foram reconstruidos rescentemente, após a Guerra.. também da pra visitar 4 grandes fortalezas que ficam na Muralha e uma Fortaleza que fica separada, no topo de um rochedo, de onde se tem uma bela vista do por-do-sol!!

Vista da Cidade Antiga da Fortaleza de Bokar

Pela cor do telhado das casas, dá pra notar que a Guerra fez muito estranho

A primeira Fortaleza é a Bokar, que foi construida para proteger uma das Portas da cidade, a Porta Pile. Tem uma torre redonda e é considerada a Fortaleza mais antiga da Europa construída no estilo Casamata!

O Porto de Dubrovnik

A próxima Fortaleza é a de St John que servia para defender o porto da cidade e também defendia a cidade dos ataques maritimos da República de Veneza. Dessa Fortaleza da pra ver várias ilhas do litoral Croata, e a mais próxima é a ilha de Lokrum, isso sem contar nas fotos que da pra tirar dali, com a ilha, o Mar Adriático e da Fortaleza de St Lawrence.

Porto de Dubrovnik

A Fortaleza Revelin é a mais simples de todas e  foi construída para também proteger o porto e a Porta de Ploce das invasões de Turcos e Bosnios. Tem um terraço enooorme, e no verão acontecem vários espetáculos teatrais e musicais.

Fortaleza Revelin

No trajeto entre a Fortaleza Revelin e a Fortaleza Minčeta é um dos melhores lugares para bater foto do teto das casinhas e do por-do-sol!!

Fortaleza de Minčeta

As marcas da Guerra ainda são visíveis em Dubrovnik

E a última Fortaleza é a de Minčeta que é a mais imponente da Cidade Antiga, situada na parte norte da Muralha, e tem como background as Montanhas que circundam a cidade. Por ser o ponto mais alto da muralha, da pra ver praticamente toda a cidade e as ilhas do litoral Croata!!

Cidade Antiga de Dubrovnik

São exatos 1.940 metros, que certamente serão percorridos beeeem devagar e o passeio não dura menos que 2 horas e se for no final de tarde.. com o por-do-sol.. ih, dá até pra esquecer da vida!!

A Muralha abre todos os dias, das 09:00 as 19:00. O valor é de 30 Kuna!!

Andando de ônibus na Croácia e atravessando a fronteira entre a Croácia e a Bósnia!

Uma das melhores formas de conhecer o litoral Croata é alugar um carro.. porém, não foi isso o que eu fiz! A única opção que me restou foi andar de ônibus!!

Achar informações em inglês não foi muito fácil, a grande maioria dos sites tem a versão em inglês mas digamos que na prática não é bem assim, pois grande parte das informações não são traduzidas.

Então, depois de revirar a internet, finalmente eu achei um site com alguma informação que fosse relevante, lógico que não era possível comprar as passagens online, mas pelo menos dava pra ver quais empresas existiam e os trajeto, os horários e o tempo de duração de cada viagem.

Zadar - Split

As opções de ônibus são classificadas basicamente:

– quanto mais demorada a viagem, mais paradas vão ter e maior vai ser a possibilidade de conhecer bem o litoral e ver as paisagens;

– quanto mais rápida for a viagem, logicamente serão menos paradas, talvez até o ônibus seja direto, com apenas uma parada no caminho, porém a estrada é interna e não será possível ver o mar.

Nos dois trajetos que eu tive que utilizar os ônibus de linha, eu escolhi o trajeto mais longo (que nem é tããão longo assim, em torno de 1 hora ou 1 hora e 30 minutos a mais, no caso de Dubrovnik e no caso de Zadar ficou em 1 hora a mais), que foram:

– Split – Zadar – Split;

– Split – Dubrovnik.

De Split para Zadar eu escolhi a empresa Atlas, os ônibus são bem novinhos, pelo menos os dois que eu peguei (tanto na ida como na volta) eram!!

O deslocamento de Split para Dubrovnik eu fiz com a empresa Promet Makarska, mas essa empresa eu acabei escolhendo só pq o horário seria mais conveninte pra mim.. mas acabou sendo a que mais gostei. O ônibus que eu peguei além de não estar lotado, era novíssimo!!!

Split - Dubrovnik

Algumas considerações importantes a fazer:

– as passagens só podem ser compradas no guichê na rodoviária de cada cidade;

– em nenhuma das rodoviárias aceitaram euros e/ou cartão de crédito. Só aceitam a moeda croata mesmo, que é chamada de Kuna;

– a rodoviária de Split fica aberta até as 22:00 horas;

– a rodoviária de Dubrovnik fica beeeeem longe do Centro Antigo e das Muralhas;

– a empresa de ônibus Atlas também aceita que o embarque seja feito sem a passagem, pois eles vendem ela dentro do ônibus, mas só aceitam kuna como pagamento;

– já a empresa de ônibus Promet Makarska eu não vi ninguém comprando passagem dentro do ônibus, então acredito que não seja possível.

Empresa Promet Makarska, que faz o trajeto entre Split e Dubrovnik

Para ir de Split até Dubrovnik são duas as opções: de avião ou ônibus. Cheguei a pesquisar os preços da passagem aérea, mas acabei descartando, pois o voo não seria direto, eu teria que sair de Split e ir até a capital Zagreb e lá pegar outro voo para chegar a Dubrovnik, então acabei escolhendo ir de ônibus mesmo. O tempo que eu iria “perder” entre chegar mais cedo no aeroporto + o tempo de espera pelo outro voo + trocar de avião e tudo mais, daria praticamente a mesma quantidade de horas! Então eu encarei um ônibus estilo “pinga-pinga” com umas 4 horas e 30 minutos de duração mais ou menos.. e olha, as paisagens pelo caminho são tããão, mas tããão bonitas.. que nem vi o tempo passar!!

Só que para encarar o ônibus, tinha um “problema”, atravessar a fronteira com a Bósnia. Lá fui eu pesquisar se brasileiros precisavam de visto, como era, o que acontecia, qual era o procedimento, será que eu teria que preencher alguma coisa, será que eles iriam carimbar meu passaporte….

E assim, essa foi parte mais esperada da viagem.. fiquei me perguntando: Como seria atravessar a fronteira entre a Croácia e a Bósnia?!?! Confesso que eu tava com um pouco de medo, e não me pergunte o pq!! Talvez pq a “palavra” Bósnia me faça lembrar guerra!

O pequeno litoral da Bósnia, com apenas 25 km de extensão

Eu já tinha visto na internet que o litoral da Bósnia tem 25 km e que a a distância total entre a cidade de Neum, que é a única cidade litoranea da Bósnia e Dubrovnik era de aproximadamente 60 km, mais ou menos 1 hora. Então quando estava quase chegando perto das 3 horas de trajeto pelo litoral croata eu já comecei a suar frio heheheeheheh parece exagero né, mas eu tava sozinha e era minha primeira vez viajando nesses países, mas foi bem mais tranquilo do que eu imaginava, e eu sobrevivi!!

Vista do mirante, na cidade de Neum

Quando chegamos na fronteira Croácia – Bosnia Herzegovina o motorista do ônibus avisou que era pra ficar com o passaporte em mãos que um Oficial de imigração da Bósnia iria entrar no ônibus e conferir nossos passaportes.

E lá veio o Oficial, de uniforme marrom, com uma cara de “poucos amigos” e foi passando um por um, ele apenas olhou a foto e pronto. Nem foi preciso descer do ônibus e nem tive o passaporte carimbado.

Assim seguimos viagem, e mesmo sendo ônibus de linha, teve uma parada de 10 minutos numa espécie de mirante com um bar/restaurante e lojinha de souvenirs.

Na fronteira entre a Bósnia – Croácia, novamente o motorista avisou que o Oficial de imigração, só que dessa vez, da Croácia e de uniforme azul, iria entrar no ônibus pra conferir os passaportes. Essa parada foi um pouco mais demorada, o Oficial olhou um por um dos passaportes com muuuuita calma. Mas tudo certo.. a viagem continuou!

Cheguei em Dubrovnik já era mais de 16:00 horas… e da rodoviária até o Centro Histórico o trajeto é loooooongo, uns 30 minutos caminhando, mais ou menos!!

“Esse deve ser o pôr-do-sol mais bonito do mundo”.. E não é que Alfred Hitchcock tinha razão!!!!

Eu estava hospedada em Split e como tinha sido bem tranquilo o dia anterior, eu consegui fazer tudo o que tinha programado, fui até a rodoviária e comprei um ticket de ônibus até.. Zadar!!

No outro dia, fiz um day trip de ônibus de linha. O horário escolhido foi sair ainda de manhã. O trajeto entre Split e Zadar não é muito longo não, fica em aproximadamente umas 2 horas e 15 minutos.. Com umas 2 ou 3 paradas pelo caminho!!

Zadar fica um pouco mais pro norte e tem uma população de aproximadamente 75 mil habitantes. Fica numa peninsula que é totalmente cercada por uma muralha (gostei dessa coisa das cidades na Croácia serem cercadas por muralhas, achei bem bonitinho). A cidade ficou bastante danificada após a Segunda Guerra Mundial e a Guerra da Iuguslávia, mas está se recuperando!!!

A rodoviária de Zadar fica fora da peninsula, mas é bem tranquilo ir caminhando até chegar perto das muralhas, são uns 10 ou 15 minutos de caminhada e é só atravessar uma ponte e pronto..

Para chegar na muralha, é só atravessar essa ponte.

mais um pouquinho está de frente para um dos vários portões que ficam nas muralhas venezianas e que dão acesso ao centro antigo da cidade! E é justamente nessa parte onde ficam todos as atrações de Zadar.

O calçadão a beira-mar de Zadar

O primeiro lugar que fui, foi na Universidade de Zadar (por ser o lugar “mais longe” – que na verdade nem é tão longe assim), que é a mais antiga de toda a Croácia e foi fundada em 1396 e ficou em funcionamento até 1807. Após um periodo fechada, em 2002 ela foi refundada e voltou a ativa!!! E foi justamente ali e junto com as universidades de Split e Dubrovnik que se desenvolveu a literatura croata.

Voltando da Universidade, parei numas lojinhas perto da praça principal da cidade, a Zeleni trg, e comprei uma garrafinha do tradicional Liquor Maraschino, que é feito com a cereja marasca e teve origem justamente nessa cidade!!

Na Zeleni trg, fica a Igreja Bizantina de São Donato ou Crkva svetog Donata, com sua forma cilindrica que se tornou o símbolo da cidade e recebeu esse nome em homenagem ao Bispo Donato que foi um dos fundadores da Igreja.

Igreja de São Donato e as ruínas de um Fórum Romano

O Bispo teve fundamental importancia na relação entre franco-bizantinos no Mar Adriático por volta dos anos de 801 e 814. Inclusive foi esse Bispo que resgatou as reliquias de Santa Anastácia (a padroeira da cidade) e levou de volta para Zadar.

E ali também, bem no meio dessa praça onde ficam as ruínas de um Fórum Romano, que data do ano 1 d.C e foi fundado pelo Imperador Romano Augustus, com varios “pedaços” de colunas, pedras, e artigos daquela época, totalmente desprotegidos, e dá até pra tocar (inclusive vi umas pessoas escalando algumas colunas e sentando no topo pra tirar foto)!!

Ruínas do Fórum Romano

A Igreja de São Donato utilizou vários materiais que pertenciam ao Fórum na sua construção!

Nessa praça também fica a Igreja de Santa Maria, tem um campanario com estilo romanico que pertencia ao Convento Beneditino que foi fundado em 1066 e é lá onde fica em exibição permanente o tesouro “The Gold and Silver of Zadar” que são peças feitas de ouro e de prata que foram encontrados por freiras.

Igreja de Santa Maria

Se seguir pro lado esquerdo nessa praça, tem um muro com várias peças e rostos esculpidos e um coluna feita de marmore.

...

...

E entrando por uma ruazinha, um pouco mais a frente fica a Catedral de Zadar ou Katedrala sv. Stošije ou também chamada de Catedral de Santa Anastasia de Zadar que é considerada a maior igreja da região da Dalmácia.

Catedral de Zadar

Foi construida em estilo romanico tardio misturado com gótico. Dois Papas já visitaram essa Catedral, o Papa Alexander III e Papa João Paulo II.

...

E pra finalizar a visita em grande estilo.. segui andando pelo calçadão a beira mar, até chegar onde fica o Orgão Maritimo ou Morske orgulje ou Sea Organ.

Orgão Maritimo

Essa escada de marmore recebeu esse nome, pois nela contem um “instrumento musical” que produz música por meio do vento e das ondas do mar que quando entram ou batem nos tubos situados nas escadarias, produzem som!!

e produz som meeesmo!! (que lembra uma flauta!)

Até eu chegar lá fiquei achando que seria apenas uns barulhos meio estranhos, mas não.. parece mesmo uma musiquinha.. e bem calma, por sinal!! Achei muuuito legal!!

o momento mais esperado em Zadar..

O Sea Organ é uma obra bem recente, que fez parte de um projeto de revitalização da cidade e foi inaugurado em 2005!! E como parte desse projeto, também foi feito o Greeting to the Sun, um dos melhores lugares para ver o pôr-do-sol em Zadar!

Eu e minha garrafinha de marasquino..

E foi justamente ali, onde fiz como Hitchcock, abri minha garrafinha de Liquor Marasquino e fiquei sentada, esperando o por-do-sol chegar!!

.. esperando o por-do-sol!!

… e Hitchcock tinha razão!!!

%d blogueiros gostam disto: