Arquivo | Rep Tcheca RSS for this section

Roteiro: EuroTrip 2012 – Post Indrodução

Esse ano demorou pra passar, nem acreditei quando finalmente o dia 16 de outubro chegou e com isso a nossa EuroTrip 2012 começou! Mesmo eu já tendo morado em Edimburgo e viajado bastante nesse período, eu tava super nervosa (muito nervosa mesmo), principalmente na semana que antecedeu a viagem. Não sei exatamente o pq, já que eu tinha organizado, reorganizado, verificado, verificado tudo de novo, mas mesmo assim sempre tinha aquela sensação de que eu estava esquecendo de salvar os arquivos no email ou de imprimir alguma coisa importante. Vai entender!

Bom, eu já tinha escrito um post sobre o que basicamente iriamos fazer por lá, mas claro que os ajustes finais no roteiro só seriam possíveis depois de checar a previsão do tempo, que quer queira ou não, é um dos fatores mais importantes dependendo da atividade fossemos fazer.

Nessa viagem também eu resolvi inovar em dois quesitos:

– Primeiro: comprei passagem, reservei hotel, comprei as passagens de trem, os shows, concertos, musicais, enfim, comprei tudo por conta própria, ou seja, eu não utilizei agência de viagem em nenhuma etapa da programação das nossas férias (exceto o seguro viagem). Talvez isso explique um pouco o pq do meu nervossismo em excesso, se algo saísse errado eu teria que me virar pra resolver tudo sozinha. Mas graças a Deus, deu tudo super certo!

– Segundo: viajar com apenas uma bolsa e uma mala que se enquadrasse dentro do perfil para levar como bagagem de mão. Pra mim essa viagem teve a duração de exatos 30 dias (incluindo a viagem a Edimburgo que eu acabei decidindo ir de ultima hora), então quando a viagem já estava chegando lá pelo 20º dia, eu não aguentava mais ver nenhuma das minhas roupas! Parece exagero? Mas isso é a mais pura verdade.

Zurique

Mas vamos ao que interessa, o roteiro. A ordem da viagem permaneceu a mesma, claro. Só que com a previsão do tempo checada, podemos definir o que seria feito em cada dia. Entao basicamente ficou assim:

– 4 dias na Suíça: no primeiro dia fomos para o Liechtenstein já que teoricamente era o unico dia que marcava sol, e como ficariamos a maior parte do tempo andando ao ar livre por Vaduz (a capital), achamos que seria uma ótima escolha ir lá primeiro. A noite assistimos uma apresentação de ballet na Opernhaus em Zurique. No próximo dia, resolvemos ir pra Lucerna e subir nos Montes Pilatus e Stanserhorn. No terceiro dia fomos para Berna, a capital da Suíça e no ultimo dia ficamos em Zurique.

Castelo de Vaduz

O trecho entre Zurique e Salzburgo (nosso próximo destino) nos fizemos de trem. E mesmo tendo comprado as nossas passagens no site da SBB, empresa de trem da Suíça, nos acabamos fazendo esse trecho com a OBB, que é a empresa austriaca. Esse trecho apesar de looongo, algo em torno de quase 5 horas, nos nem vimos o tempo passar. As paisagens são lindíssimas e pode até parecer um exagero ficar sentada por quase 5 horas dentro de um trem, mas nos estavamos dando graças a Deus em poder descansar os nossos pés por um tempo.

Stanserhorn

– 4 dias em Salzburgo: no primeiro dia fomos para Innsbruck e subimos no Nordkette. A noite fomos assitir uma apresentação de música clássica na Sala de Marmore no Palácio de Mirabel. No dia seguinte, resolvemos fazer uma loucura inexplicável, que só de lembrar fico lamentando que o resultado final não foi 100%. Daqui uns dias quando escrever sobre esse passeio, todo mundo vai entender direitinho o que aconteceu. No terceiro dia fomos até a cidadezinha de Wattens, que é onde fica o museu/loja/fábrica da Swarovski. No ultimo dia ficamos em Salzburgo.

Os ursos em Berna

O deslocamento de Salzburgo pra Viena nos fizemos de trem também, com a empresa OBB, que é austriaca. O trajeto entre Salzburgo e Viena é mais curto, são apenas 2 horas e 40 minutos.

Nesse dia que fomos de Salzburgo pra Viena, aproveitamos pra dormir até um pouco mais tarde e descansar um pouco. Chegamos em Viena era meia tarde (15:44) e o único compromisso do dia era assistir a um Ballet, Quebra Nozes, na Staatsoper (Ópera Estatal de Viena).

Innsbruck

– 5 dias em Viena: onde ficamos 4 dias inteiros em Viena e fizemos um day trip para Bratislava, na Eslováquia.

Como eu já tinha escrito aqui no blog, nessa altura das férias a viagem teve duas direções: meus pais, meu irmão e minha cunhada foram pra Praga e eu fui pra Munique. O deslocamento entre Viena – Munique e Viena – Praga foi feito de trem. O tempo de viagem entre Viena e essas duas cidades é praticamente o mesmo, 4 horas e 4 horas e 30 minutos, respectivamente. Ambos os trajetos foram feitos com a empresa Austriaca OBB.

Café Sacher

– 2 dias em Praga: meus pais, meu irmão e minha cunhada ficaram só em Praga mesmo. Todos eles adoraram a cidade. Como eu já tinha ido lá no meu aniver de 2010, eu preferi passar a vez e fui me aventurar em outras terras. Mais pra frente vem um post sobre o que eles fizeram por lá.

Bratislava

– 3 dias em Munique: na verdade eu fiquei dois dias em Munique, sendo que em uma das manhãs eu fui pra Dachau, pra conhecer o campo de concentração e no terceiro e ultimo dia eu fui pra Nuremberg.  O que eu “vi” em Dachau e Nuremberg são partes lamentaveis da história da Alemanha, mas apesar de tudo, ambos os lugares se completam e deu pra entender direitinho esse terrivel capitulo dessa história. Bem interessante!

Munique e Dachau

– 5 dias em Londres: desses 5 dias programados pra Londres, 4 dias eu fiquei inteiros na cidade, sendo que em dois desses dias eu fui no WTM, World Travel Market, uma das maiores feiras de turismo do mundo. Ainda consegui assistir o Musical Let it Be, que presta uma homenagem aos 50 anos dos Beatles. Já no outro dia fiz um day trip para Norwich, a cidade da mostarda inglesa! Claro que os 4 dias que passei em Londres mal deram pro gasto. Tá ai uma cidade que eu poderia passar o resto da minha vida que não faltariam opções do que fazer!

Chá das 17:00 na Harrods

E aos 47 minutos do segundo tempo eu mudei minha passagem de volta pro Brasil e peguei um trem rumo a Edimburgo, na Escócia!!!!!!! Nem acreditei que em menos de um ano depois de ter deixado a cidade pra voltar para o Brasil, lá estava eu de volta! Claro que eu não poderia deixar passar a oportunidade de voltar lá! Então, como eu já estava ali pertinho, resolvi aliar a desculpa de que o meu aniver estava próximo (dia 15 de novembro, feriadão no Brasil) e a super vontade de voltar lá, eu pensei: Pq não? Dei um jeito e organizei toda a programação no trem e quer saber? Como muita coisa eu já sabia como fazer, como organizar e tudo mais, foi bem tranquilo. As 4 horas e 22 minutos do trajeto entre Londres e Edimburgo passaram voando e graças a boa qualidade do wi-fi dos trens da East Coast eu consegui reservar todos os passeios! Mesmo tendo sido apenas 4 dias inteiros e um pela metade, o que significa que foi super hiper mega rápido, eu adorei ter voltado a minha 2 casa (ou seria 3 casa? Curitiba não pode ficar de fora)!!

A programação em terras Escocesas ficou assim: no primeiro dia fiz um day trip para St Andrews, no dia seguinte fui para a região chamada de The Borders e nos ultimos dias fiquei em Edimburgo.

Norwich Cathedral

No total foram 6 7 países (Suíça, Liechtenstein, Áustria, Bratislava Eslováquia, Alemanha, Inglaterra e Escócia) pra mim e pro restante do pessoal lá de casa foram 6 países. Apesar de a grande maioria deles serem vizinhos (exceto Inglaterra e Escócia), as diferenças culturais são enormes. A estrutura de aeroportos, estrações de trem, os proprios trens e o transporte publico em geral são espetaculares.

A unica reclamação que temos a fazer é que em muitos museus e restaurantes na Áustria e na Alemanha as legendas são apresentadas apenas em alemão, o que não facilita muito a nossa vida, né?!?!

St Andrews, na Escócia

Nossa opinião final sobre o nosso roteiro: Nos gostamos muito de conhecer todos as cidades por onde passamos. Montamos base em cidades estrategicas e tentamos aproveitar ao máximo nossos dias fazendo bate e volta. Essa foi a primeira viagem em familia que incluimos várias cidades no roteiro para um bate e volta. Hoje em dia depois de voltar da viagem e fazer aquela analise geral de tudo o que fizemos por lá, chegamos a conclusão que mudariamos apenas duas coisas nesse roteiro: precisariamos ter tido um dia a mais na Suíça e ao invés de ficar 4 dias em Salzburgo, nos deveriamos ter dividido essa parte da viagem da seguinte forma: 2 dias em Innsbruck e 2 dias em Salzburgo. Se fosse dessa forma teria ficado perfeito! Mas de qualquer forma, o importante é que deu tudo certo e nos aproveitamos muito!

Ah, e é claro que eu poderia ter ficado mais tempo em Edimburgo também, não seria nada mal, não é mesmo?!?!?! =)))

Obs.: Como já deu pra perceber, nos próximos meses vamos ter assunto de sobra aqui no blog!

Roteiro: EuroTrip 2012

Are yoooouuuu ready?? Please, prepare for take off!! =))

Nossa, nem acredito que esse dia chegou!!! Quando este post for ao ar, espero já ter desembarcado no aeroporto de Heathrow e já ter pego a minha conexão rumo a Zurique, na Suíça!

Claro que o plano inicial dessa viagem não incluia a minha pessoa, afinal, eu já tinha viajado toda a minha cota para os próximos 10 anos, segundo o meu pai. Mas seria impossível eu me conformar calada, bati o pé e consegui! Eu vou também! o/

Não teria a menor graça eu organizar toda a viagem pra eles, comprar todos os tickets e ficar de fora, não é mesmo?

Essa viagem vai ser em familia, portanto, estaremos em 5 pessoas no total, além dos meus pais e meu irmão, a minha cunhada vai também!

Nós resolvemos fazer trechos diferentes com cias aéreas diferentes pq apesar da viagem ser em familia, o final dessa viagem não vai ser o mesmo pra todo mundo.

Sendo assim, eu vou viajar de British Airways e o restante do pessoal vai de TAP. Ambos vamos precisar fazer conexão para chegar no nosso destino final (ou seria incial?) que será Zurique, na Suíça.

Então, o roteiro dessa viagem ficou assim:

– 4 dias na Suíça (na parte alemã do país), com direito a um day trip para o Liechtenstein. Ainda vamos assitir um espetáculo de ballet por lá também;

De Zurique vamos pegar um trem com a SBB até Salzburgo, na Áustria.

– 4 dias em Salzburgo, sendo que ficaremos 2 dias inteiros na cidade e nos outros dois dias faremos passeios pela região;

De Salzburgo até Viena vamos nos deslocar de trem também, dessa vez vamos com a empresa austriaca ÖBB.

– 5 dias em Viena, onde ficaremos 4 dias inteiros na cidade e um dia vamos para Bratislava, na Eslováquia. E realizando o sonho da minha mãe, vamos assistir um concerto na Sala Dourada, no Musikverein.

A partir desse momento, a viagem vai ter duas direções:

– meus pais, meu irmão e minha cunhada seguem para Praga, antes de pegarem o voo de volta ao Brasil;

–  e eu? bom, a minha viagem ainda não termina por aqui.. vem mais coisas por ai! No momento certo eu conto os detalhes!

Ah, e pra quem acha que o blog vai ficar as moscas nesse tempo da viagem, o blog não vai ficar abandonado não. Alguns posts estão programados para ir ao ar nos próximos dias. E o assunto? Edimburgo e Paris!!

Obs.: no decorrer da viagem, quando possível, eu vou atualizando o Facebook e o Twitter com as novidades!

A Cidade Nova de Praga

Depois de literalmente ter as 4 estações do ano nos ultimos 2 dias, o meu terceiro e ultimo dia na cidade amanheceu fechado, com nevoa e o tão esperado frio resolveu dar as caras!

Minhas ultimas horas na cidade foram na Cidade Nova de Praga (Nové Město), que pra falar bem a verdade nem é tããão nova assim. Essa parte mais recente da cidade foi fundada por Carlos IV em 1348, isso pq ele achava que ja estava na hora da cidade crescer e ir além das ruazinhas ao redor do Castelo de Praga, da Ponte Carlos e do Centro Antigo.

Meu hotel tinha uma boa localização, ficava exatamente no meio da Cidade Antiga e da Cidade Nova e a poucas quadras do rio e da Ponte Carlos e consequentemente do Castelo de Praga.

Naquele dia pela manha, eu sai caminhando pro lado contrario do que eu costumava ir. O hotel estava a meia quadra do principal Bulevar da Cidade Nova. Na Cidade Nova tudo gira em torno da Praça de Sao Venceslau.

Logo em frente fica uma pequena pracinha, que domina o alto da avenida, é la onde esta a estatua equestre de São Venceslau. Na verdade, essa praça seria um calçadão para pedestres e não apenas uma praça propriamente dita.

Esse é um dos lugares mais importantes da cidade, isso pq foi justamente ali, que Alois Jirásek, leu a proclamação da independencia da Tchecoeslovaquia. Alem disso, ela ja presenciou acontecimentos historicos como a Primavera de Praga e a Revolução de Veludo. Ainda hoje em dia, quando os tchecos estão protestando por alguma coisa, a população se reune ali.

Museu Nacional de Praga é considerado como um dos melhores exemplos do estilo neo-renascentista da cidade. Começou a ser construido em 1885 e levou mais de seis anos para ficar pronto. Seu arquiteto foi Josef Schulz, o mesmo que projetou o Teatro Nacional de Praga. Com uma localização privilegiada, no alto do calçadão, ele esta la, imponente e muito bem conservado!

Praga tem fama de ter saido intacta das guerras, porém com o Museu Nacional a historia não foi a mesma. Durante a Segunda Guerra Mundial, o museu foi bombardeado. O processo de reconstrução durou um pouco mais de 2 anos. Quanto as obras, nenhuma foi danificada, pq a coleção conseguiu ser removida a tempo.

Bem proximo dali, entrando numa rua a esquerda, fica uma outra parte do Museu Nacional (Národní Muzeum), a parte nova. O edificio tem um estilo mais moderno, com sua fachada toda de vidro. Ali podemos ver uma grande coleção relacionadas tanto ao pais, como coleções de objetos de varias partes do mundo.

Descendo o boulevard, a avenida é extensa (quase 1 km de extensão) e ali estão muitas lojinhas, pequenos museus e galerias, casas de cambio, shoppings, muitos restaurantes, bancos, hoteis de luxo, literalmente essa região é o centro comercial nervoso de praga.

Sem tempo pra mais nada, peguei um taxi ali mesmo no boulevard e fui pro aeroporto.

Mais um pouco de Praga e a Cidade Antiga

Achei que eu nao teria a sorte de ver um dia de sol em Praga. Mal acreditei quando abri as cortinas de manha e vi um céu azul sem uma nuvem!

No dia anterior eu tinha caminhado pelas margens do rio até chegar a Ponte Carlos e de la segui ate o Castelo de Praga. Mas com o dia ensolarado, acabei indo caminhar nas margens do rio novamente.

Mas dessa vez comecei o trajeto pro lado contrario a ponte Carlos e em questao de algumas quadras avistei a Casa Dançante ou em tcheco, Tančící dům.

A casa recebeu esse nome pq os arquitetos que projetaram o edificio, o americano Frank Gehry e o tcheco Vlado Milunić queriam algo de lembrasse (e homenageasse) um homem (Fred Astaire) e uma mulher (Ginger Rogers) dancando. Se ele alcancou o objetivo ou nao, é dificil dizer, mas que o edificio é um pouco estranho, isso nao da pra negar!

O edificio nao esta aberto a visitacao, até pq é um predio comercial. O negocio é observar a arquitetura externa, com muito vidro e com linhas totalmente irregulares.

Dali, atravessei o rio e segui caminhando por suas margens até chegar em uma rua que me levou ao inicio do parque Petřín.

Logo na subida, passei pelo Memorial as Vitimas do Comunismo…

No alto da colina fica a Torre Petřín, que lembra um pouco a estrutura da Torre Eiffel. La do alto tambem é o melhor lugar pra bater fotos da cidade. E ja que o dia estava bonito, eu nao economizei e bati muuuitas fotos..

Na volta, passei pelo Teatro Nacional de Praga

Da pra fotografar o Castelo de Praga de varias partes da cidade…

Minha proxima parada foi a Cidade Antiga de Praga, onde tudo gira em torno da Praca da Cidade Antiga ou em tcheco Staromestske Namesti. Caminhei por ali um pouco e tive a nitida impressao de ter voltado a muito e muitos anos atras. Isso pq na praca ficam varias barraquinhas vendendo comidas tipicas, além dos cavalos puxando carruagens. Perfeito!

Nessa praca ficam a Igreja Týnský, como seu estilo gotico, é uma das igrejas mais fotografadas da cidade e por isso acabou se tornando um dos cartoes postais que merecem uma visita.

Outra igrejinha que fica ali perto é a Igreja St Nicholas, com seu estilo barroco tambem chama atencao. Ali acontecem diariamente apresentacoes de musica classica. Os ingressos sao comprados em frente a Igreja.

Como eu ainda tinha tempo, fui conhecer a Torre da Pólvora…

Visitei as inumeras lojinhas de souvenirs com muitas marionetes em destaque nas vitrines..

Ainda fui conhecer a luxuosa loja que vende os famosos cristais da Boemia, a Moser..

Mas com toda a certeza, o grande destaque fica por conta do Relogio Astronomico (Orloj), que fica no predio da Prefeitura. O relogio, assim como muitos outros relogios astronomicos espalhados varias cidades europeias, mostra a posicao do sol e da lua (levando em consideracao o Planeta Terra como centro do Universo), mostra um calendario que representam os meses do ano e ainda, pra alegria dos turistas, a cada hora cheia acontece uma pequena apresentacao com os Apostolos.

Quando faltam 5 minutos para completar a hora cheia, uma corneta comeca a tocar no alto do predio da Prefeitura, e nesse mesmo instante, os turistas vao surgindo de todos os lados, em questao de minutos a pracinha esta completamente lotada de turistas disputando um bom lugar para poder fotografar e filmar o mini-showzinho. O showzinho é coisa rapida, questao de 2 ou 3 minutos. Mostra a ‘Caminhada dos Apostolos’, onde os 12 apostolos vao aparecendo ao som de uma musiquinha.

O fim da tarde foi chegando, e sabendo da fama do por do sol na cidade, fui correndo pra beira do rio.

Conforme o sol foi se ponto, o céu foi ganhando tons lilas e rosa, e foi impossivel nao ficar por ali, caminhando pra la e pra ca, fotografando cada detalhe.

E realmente, toda a fama atribuida é merecida. Foi um dos pores do sol mais bonito que ja vi até hoje, sem exagero!

A cidade que ja é uma das minhas preferidas, depois desse por do sol, provou merecer ficar no topo da listinha, sempre!

Mas o dia ainda nao terminou, quer dizer, o dia em si ja tinha terminado, mas eu ainda tive tempo de jantar rapidinho e depois voltei na Prefeitura. Subi na Torre onde fica o Relogio Astronomico pra ter uma visao da cidade toda iluminada.

Realmente, na minha modesta opiniao, Praga é uma das cidades mais bonitas da Europa, com certeza!

Nabucco, na Opera Estatal de Praga

Quando eu resolvi fazer essa viagem a Praga no meu aniversario, eu tinha em mente assistir uma apresentação de marionete (são super populares por la) em um dos muitos teatros que existem na cidade. Mas quando eu comecei a pesquisar de fato os shows e os teatros, acabei descobrindo que não seria possivel. Isso pq, geralmente, as apresentaçoes de marionetes acontecem as quintas-feiras e as segundas-feiras. Nossa, fiquei enlouquecida! Como pode uma coisa dessas? Nenhuma apresentação durante o final de semana?

O jeito foi achar outra coisa pra ver e foi assim que eu acabei descobrindo a Ópera Estatal de Praga. O edificio onde esta a atual Opera foi construido no final do século 19, exatamente no mesmo lugar onde estava o antigo Teatro da Cidade Nova. Recentemente o Teatro passou por uma grande reforma, entao tanto o exterior do predio como o interior estavam impecaveis.

Como até então eu nunca tinha assitido uma opera, achei que seria uma boa oportunidade. O espetaculo escolhido foi Nabucco, uma das obra mais famosas de Verdi.

O italiano Giuseppe Verdi é um dos mais famosos compositores de opera do mundo. Nasceu em uma cidadezinha do interior da Italia chamada de Roncole. Anos de passaram, e quando o compostior completou 20 anos resolveu se mudar para Milão para estudar.

O talento de Verdi para as obras teatrais com opera era visivel.. até que um empresario local e apreciador de uma boa musica resolveu incentivar Verdi financeiramente, patrocinando sua primeira apresentação em publico.

Não demorou muito e sucesso finalmente bateu na porta de Verdi. Em 1839 surgiu a primeira oportunidade, uma apresentação no Teatro alla Scala, uma das casas de shows mais respeitadas da Italia (e do mundo). A opera de estreia foi Oberto. O sucesso foi grande que o dono do Teatro convidou Verdi para apresentar mais algumas de suas operas.

Assim, tres anos depois, em 1842, a opera Nabucco foi apresentada pela primeira vez justamente no Teatro all Scala de Milão. A opera foi escrita logo apos o falecimento da esposa e dos dois filhos de Verdi.

A opera conta basicamente a historia do rei Nabucodonosor da Babilonia, um poucos dos principais acontecimentos durante o seu reinado. O rei tinha duas filhas, uma legitima e outra não se sabia ao certo, que lutavam pelo mesmo amor. A filha verdadeira de Nabucodonosor era refem dos judeus em um Templo. A filha não legitima vai até o encontro dos judeus para tentar salvar a irmã e o povo judeu das maldades de seu pai. Para isso, ela chantageia o seu amor dizendo que se ele largar a sua irmã e ficar com ela, ela protegera o povo judeu. Ele não aceita. Nabuco ordena que o Templo seja destuido.

De volta a Babilonia, a filha ilegitima do rei descobre que realmente não pertence a realeza, que ela é filha de escravos do rei. Ai comecam as suas maldades para se vingar de todo mundo. A primeira coisa que ela tratou de fazer foi roubar o lugar de seu pai e se tornar Rainha.

O rei Nabuco sofre de loucura, depois de ter sido atingido por um raio na cabeca. Ai vem a segunda maldade da atual governante, ela convence seu pai a assinar um documento onde ele concordaria em assassinar todos os judeus e junto a sua filha legitima também seria executada.

No dia da execução dos judeus e de sua filha legitima, o Rei Nabuco se recupera do seu ataque de loucura e perde perdão aos judeus, prometendo se converter e se tornar um deles, para assim, tentar salvar sua verdadeira filha.

A promessa veio tarde demais. Sua filha legitima é executada em praça publica. Nabuco consegue provar que se recuperou e volta a ser o Rei da Babilonia.

Sua filha legitima foi tida como martir, a sua filha ilegitima se mata e Nabucodonosor se converte ao judaismo, acaba com a escravidão dos judeus e volta a reinar.

Nossa, que historia! Um drama! Para acompanhar tudo isso, logo acima do palco tem uma tela que transmite o que esta sendo cantado, nesse caso, havia a versão em tcheco e uma versão em ingles logo abaixo. Então, com a legenda, fica muito mais facil entender o que esta se passando nessa opera com historia turbulenta.

Ahh, ja vou deixando claro que eu não entendo nada das teorias de composição de uma opera, de quantos atos tem cada apresentação, do estilo ou qualquer coisa mais tecnica que esteja relacionada. Eu fui como uma simples espectadora assitir pela primeira vez um espetaculo com uma historia super dramatica com artistas que tinham um vozeirao de arrepiar!!

O ingresso eu comprei pela internet mesmo, no site oficial do teatro. Ao chegar la, não precisei trocar o voucher (como é exigido frequentemente), tive apenas que apresentar o ticket na entrada do teatro e o pessoal ja me encaminhou para o local que dava acesso a minha cadeira.

Eu cheguei uns 20 minutos antes do espetaculo comecar e o teatro ainda estava vazio, porem quando estava faltando menos de 5 minutos o pessoal foi aparecendo, e em questão de segundos o teatro ficou lotado! O espetaculo comecou pontualmente no horario marcado.

Como eu ja disse, fiquei realmente impressionada com todo o elenco, mas destaco o artista principal (tenor), que representava o rei da Babilonia, realmente ele foi um show a parte!

O cenario e o figurino não ficaram devendo em nada. Achei bem mais simples do que alguns musicais que vi em Londres, mas era muito bem feito. Achei tudo super bonito!

Quem tiver interesse em visitar a Opera, o unico jeito é assistir uma apresentação la. Nao existem tours guiado, o que é uma pena, pois a sala princial de apresentação é lindissima!

Fato é que, de todos os lugares que ja fui assistir algum espetaculo, seja ballet, musical, concertos, peca de teatro, em Praga, os preços sao infinitamente mais baratos. E o motivo? Acabei descobrindo que o governo da incentivos a todos os espetaculos, sejam de musica ou de teatro. Legal, né?

A Opera Estatal de Praga esta localizada na rua 4, Wilsonova. Bem proximo ao Museu Nacional. Existe uma parada do metro ali pertinho, chamada ‘Muzeum’ e para chegar la, pegar a linha A ou C.

%d blogueiros gostam disto: