Arquivo | Reino Unido RSS for this section

Intercâmbio: Onde morar em Edimburgo

Uma das questões que mais me preocupou durante a preparação do meu intercâmbio foi com relação ao lugar onde eu iria morar em Edimburgo. Mesmo eu que já havia visitado a cidade anteriormente, eu não fazia idéia de onde seria melhor morar e qual tipo de hospedagem seria mais a minha cara. Pesquisando no google, li muito sobre esse assunto e acabei descartando algumas opções e levando mais em consideração outras, de acordo com o meu perfil, claro.

Depois de muito pesquisar sobre esse assunto, eu cheguei a conclusão que três pontos são extremamente relevantes para fazer a melhor escolha:

– tipo de acomodação;

– tempo de duração do intercâmbio;

– localização da acomodação.

♣ Tipos de acomodação

As opções pra quem vai fazer um intercâmbio, de modo geral, são: morar em uma casa de família, alugar um apartamento, se hospedar em um hostel ou fechar o contrato com uma residência estudantil. Todos tem suas vantagens e desvantagens, então é extremamente importante pesquisar bem pra não se arrepender depois. Quer ver?

Casa de família:  as duas grandes vantagens de morar em um casa de família na minha opinião são: família vai ser nativa do país e assim vamos ter certeza de que estamos ouvindo o inglês ser falado de forma correta e possibilidade de conviver diariamente com habitos locais daquele país. Porém por outro lado, tudo o que é vantagem pode se transformar em desvantagem, como por exemplo, imigrantes que estão morando na Escócia a pouco tempo e consequentemente não sabem falar 100% o idioma corretamente. Então é sempre importante exigir que a família seja Britânica mesmo, pro aproveitamento ser melhor.

Alugar um apartamento: geralmente essa opção é a mais cara de todas, pq o valor é cobrado por dia. Se a intenção for ficar pouco tempo, como por exemplo, duas semanas, ok, o valor não vai ser nenhum absurdo, mas também não vai sair barato, pode ter certeza. Agora pra quem tem interesse em ficar 2 meses ou até mesmo 6 meses, muitas vezes não é possível fechar contrato pq o tempo máximo permitido para alugar um apto é de 30 dias. Algumas empresas também favorecem quem pretende alugar um apto por 1 ano, mas entre 1 mês e 1 ano, achei bem dificil encontrar essa opção.

Hospedagem em um Hostel: alguns hostels em Edimburgo trabalham com a possibilidade de aceitar estudantes por um periodo mais longo. Normalmente a cobrança é feita por semana e assim a pessoa pode escolher o tempo que quer ficar, sem nenhum problema. Na época que eu tava pesquisando sobre todas as possibilidades, eu acabei descobrindo que praticamente todos os hostels que trabalham com esse esquema ficam um pouquinho mais afastados do centrão turístico da cidade, mas nada absurdo não, uns 20 a 30 minutos de caminhada da Princes Street. Pode até ser que hoje em dia outros hostels permitam alugar um quarto por um periodo maior. A maior parte desses hostels estão localizados próximo ao Porto de Leith ou no caminho, na Leith Street ou ainda, próximos a região da estação de trem Haymarket, na Dalry Road e arredores.

Residência estudantil: pra quem quer ter um pouco mais de privacidade e liberdade, essa é uma das melhores opções a levar em consideração. A maioria das escolas de inglês oferecem duas opções: morar em casa de familia ou compartilhar um apto dentro de uma residência estudantil. Existem ainda outras opções de residência estudantil que além de alugar aptos compartilhados (onde só o quarto e o banheiro são individuais), também alugam flats com apartamento nas mais diferentes configurações. Eu optei por alugar um flat onde só eu morava, ou seja, eu não compartilhava nada (sala e cozinha) com ninguém.

No geral, pra quem já leu alguns posts aqui no blog, acho que já percebeu que eu não queria morar em casa de família  e também não queria me hospedar em um hostel. Portanto, as duas únicas opções que me restaram foram: alugar um apartamento ou um flat em uma residência estudantil. Eu acabei optando pela residência estudantil (tema para o próximo post).

♣ Tempo de intercâmbio

Outra questão importante a definir é com relação ao tempo de duração de um intercâmbio. É importante levar em consideração duas coisas: as estações do ano, que são o contrario do Brasil (quando aqui no Brasil é verão, na Europa é inverno) e o ano letivo no Reino Unido (que começa em setembro).

Muitas opções de acomodação, independente do tipo, trabalham no sistema de “short term” e/ou “long term”, ou seja, “short term” geralmente engloba opções entre 2 semanas a 6 meses e os contratos “long term” são praticamente oferecidos apenas a opção de 1 ano.

Então, por exemplo no meu caso, eu tive que moldar as 2 partes do meu intercâmbio de acordo com esse sistema de “short term” e “long term” e eu dei prioridade pra começar em setembro, junto com o ano letivo no país.

♣ Localização da acomodação

Antes de vir morar em Edimburgo, essa questão da localização me preocupava muito. Mas isso é totalmente normal, né?! A maioria das pessoas imaginam que Edimburgo, por ser a capital da Escócia, seja uma cidade enoooorme, onde tudo seria relativamente longe, exigindo muita pesquisa e preparação para se virar por lá.

Quanto a isso eu posso afirmar que não é necessário se preocupar tanto. Edimburgo é uma cidade extremamente compacta, onde é possível ir a pé em praticamente todas as partes. Claro que alguns bairros exclusivamente residenciais são um pouco mais afastados do centro (pra quem for morar em casa de familia é importante considerar essa questão), mas nada que uns 15 ou 20 minutos de ônibus não resolvam.

O único meio de transporte público que existe em Edimburgo em funcionamento até o momento são os ônibus, até o sistema do tram entrar em funcionamento (previsão para começar a funcionar em 2014). O sistema de ônibus de Edimburgo é muito organizado e eficiente, além de cobrir muito bem toda a cidade, independente de ser a parte central, os bairros ou os arredores.

♣ Sites que podem ajudar a achar um lugar pra morar em Edimburgo

Pra quem tiver interesse em alugar um apartamento em Edimburgo, uma boa opção é procurar no site da Airbnb ou ainda no site da LettingWeb, Gumtree ou Holidays Lettings. Normalmente as pessoas que alugam aptos na cidade utilizam esses sites, claro que como eu nunca usei, não posso garantir que tudo vai ser 100%, mas fica a dica!

Se o interesse for em alugar um quarto em um hostel, os melhores sites pra procurar alguma coisa são o do Hostel Bookers, o Hostel World e Hostels.

Sobre morar em casa de família, todo o processo é feito junto a escola de inglês. O procedimento adotado pela escola é o seguinte: eles enviam um arquivo por email, a gente define as escolhas de acordo com o nosso perfil e ainda é possível fazer algumas observações por escrito sobre determinados pontos. A família que mais combina com o perfil do estudante é selecionada e pra quem tiver interesse, é possível ter contato com essa família antes mesmo de chegar em Edimburgo (através do skipe ou email).

Já as residências estudantis podem ser encontradas também através das escolas de inglês. Algumas oferecem essa opção, mas não são todas. É sempre bom verificar isso direitinho. No caso da escola de inglês que eu escolhi, eles trabalham diretamente com uma residencia estudantil chamada Residence McDonald Road (quem tiver interesse é só me deixar um recadinho aqui no post que eu posso enviar um arquivo em .pdf com todas as informações sobre esse lugar). Ainda existem outras residências estudantis que trabalham em parceria com escolas de inglês ou de forma independente. Dois sites excelentes pra procurar sobre isso são: Edinburgh Student Pad que oferece a opção de procuras mais direcionadas ou ainda o UNITE Student Accommodation, com 5 opções de residências estudantis em Edimburgo (mas também tem residencias estudantis em outras cidades, tanto na Inglaterra ou na Escócia). Ou ainda, quem tiver interesse, pode ficar na mesma residencia que eu morei em Edimburgo. Recomendo muito! E o próximo post vai ser justamente sobre  o meu flat. Então, é só esperar!

Anúncios

Cinco museus imperdíveis em Edimburgo

A maioria das pessoas que visitam Edimburgo sempre tem em mente conhecer o Castelo de Edimburgo, subir o Calton Hill e escalar o Arthur’s Seat e acabam deixando os museus de lado. Então eu resolvi escrever esse post pra mostar um pouco o que os cinco principais museus da cidade tem a oferecer. E na minha modesta opinião, merecem sim uma visita.

mapa museus em edimburgo

(clique na imagem para ampliar o mapa)

Museu Nacional da Escócia – National Museum of Scotland (A) é o museu mais importante da Escócia. Ele é formado por dois prédios, um de arquitetura mais moderna (que fica na esquina), o Museu da Escócia e o de arquitetura mais antiga, o Museu Real. Ambos ficam lado a lado e são totalmente interligados internamente. O grande destaque o Museu da Escócia fica por conta das exibições que falam um pouco da cultura e da história do país, que vai desde os Reis Escoceses até o whisky. Já o Museu Real tem uma acervo bem diversificado, mostra desde as diferentes culturas ao redor do mundo, até a evolução de alguns equipamentos tecnologicos e curiosidades sobre a vida animal. O estilo victoriano interno desse edificio é um dos seus principais destaques, além do clone da Ovelha Dolly.

museu edimburgo 03_1173x900

Ele está localizado na Chambers Street esquina com a George IV Bridge, bem próximo ao Elephant House. Abre todos os dias das 10:00 as 17:00. A entrada é gratuita.

museu edimburgo 04_1200x900

Galeria Nacional da Escócia – National Gallery of Scotland (B) pode-se dizer que é uma continuação da Galeria Nacional de Londres. Elas tem o mesmo estilo interno e em seu acervo, além de pintores conhecidos mundialmente como Botticelli, Rembrandt, Raphael, Gauguin, Van Gogh, Velázquez, entre outros, também exibem obras dos pintores mais famosos da Escócia, como Robert Burns e o meu preferido, Henry Raeburn. Ah, não dá pra deixar de ver a exposição de alguns desenhos originais de Leonardo da Vinci. Como o museu tem apenas dois andares, a visita é bem rapidinha. Em uma hora dá pra ver tudo tranquilamente.

foto_1200x900

A Galeria Nacional está localizada no The Mound, uma parte que separa o Princes Street Gardens em dois. Abre todos os dias das 10:00 as 17:00 (as quintas até as 19:00). A entrada também é gratuita.

Academia Real Escocesa – Royal Scottish Academy (C) destaca obras do periodo contemporâneo da Escócia. O museu é uma instituição independente, mas procura sempre destacar a cultura escocesa e britânica em geral. Normalmente as exposições são bem interessantes.

IF

Fica no The Mound, no prédio em frente a Galeria Nacional, na Princes Street. Abre todos os dias das 10:00 as 17:00, mas nos domingos abre ao meio-dia. A maioria das exibições especiais são pagas e apenas algumas delas são gratuitas.

Galeria Nacional Escocesa de Retratos – Scottish National Portrait Gallery (D) reabriu suas portas em 2011, depois de um longo periodo de reformas. Felizmente eu ainda estava em Edimburgo e pude conhecer. É mais um museu dedicado a artistas e inventores escoceses, claro. Em exibição estão além de obras e esculturas de artistas escoceses, podemos ver um andar totalmente voltado as descobertas e invensões feitas por escoceses, como o telefone, a televisão, o raio-x, a penicilina, entre outros. Além disso, no ultimo andar estão os retratos de algumas personalidades escocesas como Mary, Queen of Scots, William Wallace, Robert, the Bruce, entre outros. A parte dedicada ao pintor escoces George Jamesone também vale a pena conhecer, pois ele é considerado o primeiro e mais famoso pintor escoces de retratos. Ah, os retratos de homens usando kilt também é imperdível!

museu edimburgo 01_1200x900

Está localizada na Queen Street, na mesma altura da St Andrew Square e da Bus Station de Edimburgo. Abre todos os dias das 10:00 as 17:00 e as quintas feiras até as 19:00. A entrada é gratuita.

museu edimburgo 02_1200x900

Galeria Nacional Escocesa de Arte Moderna e a Galeria Dean – Scottish National Gallery of Modern Art e a Dean Gallery (E) essas duas galerias são totalmente voltadas para as obras de pintores arte moderna, mas cada uma tem um foco diferente. Enquanto a Galeria Nacional Escocesa de Arte Moderna apresenta obras de pintores mundialmente conhecidos como Miró, Dalí, entre outros, a Dean Gallery é voltada para pintores de arte moderna escoceses e britânicos, como Cadell, Raeburn, entre outros. Claro que quem vai até lá, deve reservar um tempinho extra pra conhecer os jardins das galerias, que além da sua “arquitetura”, existem muitas estátuas e obras de arte moderna espalhados por lá. O jardim é um espetáculo!

edimbra-2011-685_1200x840

Essas duas galerias ficam mais afastadas do centro da cidade, na Belford Road. Mas também não é tão longe assim, dá pra ir caminhando tranquilamente. O trajeto partindo da Princes Street leva mais ou menos uns 15 minutos. Quem não quiser ir caminhando, existe um ônibus, o Gallery Bus, que é gratuito e sai de hora em hora da Galeria Nacional, no The Mound, ou ainda, dá pra pegar o ônibus número 13. Abrem todos os dias das 10:00 as 17:00. A entrada em ambas é gratuita.

edimbra-2011-696_1200x824

Os principais museus de Edimburgo, como deu pra perceber, são todos gratuitos e com certeza valem muito a pena conhecer!

Onde guardar as malas em estações de trem ou aeroportos na Escócia e no UK

Quem nunca se preocupou em onde deixar as malas seja no aeroporto ou até mesmo em uma estação de trem durante uma viagem? Independente do motivo, a grande maioria das estações e aeroportos do Reino Unido oferecem um lugar pra deixar as nossas malas.

No Reino Unido, a coisa é bem organizada e praticamente todos os principais aeroportos e estações de trem oferecem essa opção aos viajantes.

Aeroporto de Heathrow - Terminal 5

Aeroporto de Heathrow – Terminal 5

A única vez que precisei utilizar esse serviço foi quando voltei da Escócia pra renovar meu visto e tive que trazer as minhas 3 malas. Só que pra complicar um pouco mais a minha vida, antes de vir embora eu resolvi fazer um “mochilão” por Londres, Bruxelas, Luxemburgo, Colônia na Alemanha, Polônia e Espanha. Por sorte eu resolvi começar essa viagem em Londres e terminar ali também. Isso facilitou muuuito a minha vida, já que foi muito simples achar uma solução pra esse meu “problema”.

O meu voo de Edimburgo teve que ter destino final o aeroporto de Heathrow, já que o voo pro Brasil partia de lá também. Como voei British Airways, não precisei me preocupar com os terminais, pq o terminal 5 é exclusivo dessa cia aérea. Deixei minhas malas lá e quando meu mochilão terminou, passei lá recolhi minhas malas e subi fazer o check-in. Moleza!!

As duas malas maiores eu deixei no Left Luggage

As duas malas maiores eu deixei no Left Luggage

E como eu descobri a existencia dessa empresa? Vasculhando o site do aeroporto de Heathrow, claro. Ai foi só ler tudo e me certificar via email (eles respondem bem rápido) uma duvida que tinha, procurei algumas experiencias em blogs de viagem e não precisei mais me preocupar com isso.

Então, antes de qualquer coisa, no Reino Unido esse serviço de “guarda-volumes” é chamado de “Left Luggage”. O esquema é tão organizado, que existe uma empresa privada, a Excess Baggage Company, que é responsável por controlar quase todos os guarda-volumes no país.

Principal estação de trem de Edimburgo - Waverley Station

Principal estação de trem de Edimburgo – Waverley Station

A forma como essa empresa trabalha é bem simples:

– antes de qualquer coisa, eu aconselho a entrar no site e já verificar se a estação de trem ou aeroporto de destino oferece esse serviço;

– os preços também podem ser pesquisados no site, sendo assim, evita surpresas na hora;

– ao chegar em qualquer loja da Excess Baggage (que vai ser identificada por Left Luggage na fachada), vai ser necessário preencher um pequeno cadastro (importante ter o passaporte em mãos);

– as malas vão passar pelo raio-x (claro) e também são etiquetada. Como eu disse antes, eu tava voltando da Escócia para o Brasil pra renovar o visto e em uma das minhas malas tinham duas garrafas de whisky. O atendente pediu se eu tava levando algum liquido na bagagem e pediu o que era e se estava lacrado. Por sorte, tava tudo lacrado, embalado em papel bolha e dentro de caixa. Então acho que por isso ele não implicou.

– eles pedem se a gente quer passar aqueles plasticos de segurança (bag wrap) ao redor da mala, mas não achei necessidade. Mas coloquei cadeado em todos os zipers, claro.

– o local onde as malas vão ser armazenadas é totalmente vigiado 24 horas por dia e tudo é gravado.

– o valor das diárias são pagas somente na hora da retirada. Então é dado um recibo com os numeros de identificações das malas. Só isso que recebemos. Importante: guarde bem esse recibo, pq sem ele não tem como tirar a mala e ainda vai ser cobrado multa e vai ser preciso se explicar e mostrar milhões de documentos.

left luggage uk 1_1200x827

Até aqui parece tudo uma maravilha, certo? Realmente é, mas como tudo na vida, algumas regrinhas precisam ser seguidas.

– esse serviço não fica aberto 24 horas por dia. Cada lugar tem um horário, mas geralmente fica assim: abre todos os dias da semana, das 05:30 as 23:00.

– o valor para cada mala vai ser (valor de hoje) de 9,00 libras a cada 24 horas, mas algumas lojas também oferecem opções para quem deixar menos tempo, como por exemplo de 0 a 4 horas o valor é de 5,00 libras e mais de 4 horas tem o mesmo valor de como se fosse deixar o dia todo, 9,00 libras;

– o pagamento pode ser feito tanto com cartão de crédito ou em dinheiro.

Estação de trem de Edimburgo - Waverley Station

Estação de trem de Edimburgo – Waverley Station

Na Escócia, esse serviço só é oferecido em Edimburgo na estação de trem de “Waverley” e em Glasgow na estação de trem “Glasgow Central”.

E na Inglaterra esse serviço é oferecido nos aeroportos de Heathrow e Gatwick e em algumas estações de trem. Também existem lojas em Birmingham, Leeds, Liverpool e Manchester.

Para maiores informações, é só consultar diretamente no site => Left Baggage. No canto inferior direito, é só selecionar a cidade e o valor pra cada aeroporto/estação de trem aparece logo abaixo no quadradinho azul. Simples, né?

A minha opinião sobre o serviço: na época o valor era um pouco mais baixo, mas tbm não muito, eu deixei minha mala por 15 dias guardada no aeroporto de Heathrow – Terminal 5. O atendimento foi ótimo. O rapaz me explicou tudo na maior boa vontade, na hora do raio-x ele me fez as perguntas necessárias (ele me explicou que eles não podem abrir nenhuma mala sem a presença do cliente), me deu o recibo e pronto. Quando voltei pra retirar minhas malas, apresentei o recibo e paguei. Minhas malas estavam em perfeito estado, não estavam amassadas, nem sujas e os cadeados estavam intactos, ou seja, tudo dentro dos conformes. Mas mesmo assim, com a paranoia de brasileiro, fui ao banheiro e abri as minhas malas pra ver se as coisas principais estavam ali e tava tudo certinho. As garrafas de whisky também não sofreram nenhum dano. Claro que não deixei nenhum equipamento eletronico (notebook, maquinas fotograficas e tal), isso eu tive que levar comigo durante o mochilão. Serviço nota 10, vale o dinheiro gasto com toda a certeza.

O Left Luggage do aeroporto de Edimburgo fica nessa região

O Left Luggage do aeroporto de Edimburgo fica nessa região

Mas e o restante do país, não tem opção de guarda volumes? Tem sim!

O aeroporto de Edimburgo também conta com o serviço de Left Luggage, porem não é operado por essa empresa. O Left Luggage fica no primeiro andar, perto do desembarque domestico (Uk Arrivals) e funciona das 06:00 as 22:00. Atualmente os valores são:

– até 24 horas: 7,50 libras/mala;

– a cada 24 horas a mais também é cobrado 7,50 libras/mala;

– se for guardar equipamento de ski, bolsas de golf ou qualquer outra coisa muito gigante, o valor é de 10,00 libras/dia/objeto.

Então, como nunca usei o guarda-volume do aeroporto de Edimburgo, não sei dizer como é o serviço. Imagino que deve ser bom.

Estação de ônibus de Edimburgo (Edinburgh Bus Station) também oferece esse serviço, porém eu nunca utilizei. A localização dentro da estação é muito boa, fica no corredor principal, bem em frente aos portões de embarque. O serviço está disponível das 04:45 as 01:15. Malas pequenas, médias e grandes pagam até 3 horas 3,00, 3,50, 4,00 libras e até 24 horas o valor cobrado é de 7,00, 8,00, 9,00 libras/mala respectivamente.

Pra liberar os guarda-volumes são aceitos moedas apenas e não precisa se preocupar, tem uma máquina que troca dinheiro por moedas. As malas não passam por raio-x, pois é um locker simples que a própria prefeitura de Edimburgo oferece.

Estação de trem de St Pancras, em Londres também tem um Left Luggage

Estação de trem de St Pancras, em Londres também tem um Left Luggage

Em Londres, ainda há opção de left luggage nos aeroportos de Luton, Stansted e City, só que não é operado pela Excess Baggage. E também existem outras opções de guarda-volumes em mais algumas estações de trem na cidade, para maiores informações é só clicar aqui. E pra quem for se deslocar de ônibus partindo de Londres para Edimburgo, os ônibus sempre partem da Victoria Bus Station, que fica junto a Victoria Station (por onde também passa a linha de metro), para maiores detalhes é só clicar aqui.

Posts relacionados:

Aeroporto de Edimburgo

Airlink – Como ir do aeroporto de Edimburgo até o centro da cidade

Viajando de ônibus pela Escócia

Mini-guia para viajar de trem pela Escócia e norte da Inglaterra

Todas as opções de transporte entre Londres e Edimburgo

Como ir de Londres a Edimburgo de Trem

Edimburgo: Onde é melhor se hospedar?

O que fazer em apenas 24 horas em Edimburgo?

O que fazer em 48 horas em Edimburgo?

Londres: 15 bate-voltas de trem!

Normalmente quando eu viajo pra alguma capital da Europa ou até mesmo pra alguma cidade maiorzinha que seja rodeada por outras cidades menores interessantes, eu sempre coloco no roteiro pelo menos um bate-volta pra poder conhecer um pouco do interior daquele país.

Londres oferece uma gama enorme de bate-voltas que podem ser feitos usando tanto trem como os ônibus. Sempre que possível eu dou preferencia pra utilizar o trem, já que no UK eles geralmente são super pontuais e cobrem praticamente o país todo.

Aqui nesse post estão listados todos os bate-voltas que eu já fiz partindo de Londres, onde apenas 3 desses eu fiz partindo de Edimburgo (Manchester, Blackpool e York), mas não precisa se preocupar, é totalmente possível fazer a partir de Londres também.

Parliament Square - Londres

Parliament Square – Londres

Ainda existem muitos destinos que eu gostaria de conhecer, mas enquanto eu não risco todos da minha listinha interminável, aqui vão algumas sugestões:

Bath é uma das cidades mais bonitas que conheci na Inglaterra. A cidade ganhou fama por ter sido (e ainda continuar sendo) um destino de férias de ricos e famosos, além das termas romanas, Jane Austen e das construções feitas de pedras de cor amarelada.  Pra chegar lá de trem é bem simples: os trens partem de Londres da estação de Paddington e em aproximadamente 1 hora e 20 minutos estamos desembarcando na estação de Bath SPA, localizada no centro da cidade.

As principais atrações da cidade são: as Termas Romanas, a Bath Abbey, Pulteney Bridge (um dos cartões postais da cidade), Royal Crescent e o The Circus.

Blackpool é uma das cidades mais populares do Reino Unido quando o assunto é diversão e praia. Inclusive Blackpool é a maior rival de Brighton nesses dois quesitos. Pra quem nunca tinha ouvido falar nessa cidade, ela está localizada na costa oeste da Inglaterra, um pouco acima do País de Gales e muito perto de Liverpool.

Pra ir até lá de trem, apesar do trajeto não ser direto (é preciso fazer uma troca em Preston), o tempo de viagem é de aproximadamente 2 horas e 30 minutos. Os trens partem da estação de Euston em Londres e o desembarque deve ser feito (na minha opinião) na estação Blackpool North, que é a que fica mais próxima ao centro da cidade (uns 10 minutos caminhando).

A grande atração de Blackpool é a sua costa, que é banhada pelo geladíssimo mar da Irlanda. Existem alguns pier com restaurantes e atrações. Ah, e é claro que não dá pra esquecer da principal atração da cidade: a Torre de Blackpool, uma versão inglesa da Torre Eiffel.

Brighton uma cidade a beira-mar que fica no sul da Inglaterra a menos de 1 hora de Londres. Para chegar lá é bem fácil, pois os trens da empresa First Capital Connect são diretos e partem da estação de London Bridge, em Londres com uma boa frequencia diaria.

As principais atrações da cidade são: o Royal Pavilion, um palácio de estilo totalmente atipico, podemos caminhar pela região chamada The Lanes, com ruazinhas medievais super bonitinhas e ainda é possivel conhecer uma típica praia inglesa, com pedras (ao inves de areia) e se divertir e fazer compras no Brighton Pier.

Brighton

Brighton

Dover (a unica cidade que eu ainda não escrevi aqui no blog) fica no sul da Inglaterra e o tempo de viagem de Londres até lá vai depender de qual estação for a escolhida. Se o trem partir da Victoria Station o trajeto vai ser feito em aproximadamente 2 horas, se a escolhida for a Charing Cross o tempo tbm é grande, em torno de 1 hora e 50 minutos. Quem optar por ir a partir da St Pancras Station (como eu fiz), o tempo cai significativamente e fica em 1 hora a viagem.

As 2 principais atrações da cidade são: o Castelo de Dover e os White Cliffs. Mas caminhar pela cidade também tem seu charme e ver de perto as praias com “areia de pedra” também pode ser um ótimo programa.

Hampton Court Palace foi o palácio onde o Rei Henrique VIII morou com Ana Bolena. Fica a uma curta distância de Londres, aproximadamente 30 minutos de trem. Existem trens direto ou com 1 conexão, então é bom ficar ligado na hora de comprar o bilhete. Todos os trens partem da estação de Waterloo, em Londres.

Basicamente a nossa visita se resumiu ao Hampton Court Palace, onde podemos visitar as partes internas do palácio e aprender um pouco sobre a polêmica história de vida do Rei Henrique VIII e suas 6 mulheres. Ah, os jardins do palácio são imperdíveis!

Liverpool é sinonimo de Beatles, mas a cidade tem muito mais a oferecer. Eu estive duas vezes lá e em ambas as vezes inclui no meu roteiro tanto atrações relacionadas com os Beatles (eu não seria nem louca de não fazer isso!) como outras atrações. Praticamente 99% das pessoas que vão a Liverpool vão visitar o Beatles Story, uma especie de museu que conta toda a trajetoria dos integrantes da banda desde o inicio até as suas carreiras solos hoje em dia. Além disso, fiz também o Magical Mystery Tour também. Fui duas vezes no The Cavern e ainda me hospedei no “Hotel dos Beatles”, o Hard Days Night Hotel. Mas além disso, visitei a Radio City Tower, uma torre de TV que porporciona ótimas fotos de toda Liverpool, conheci também o  Merseyside Museum (que conta um pouco da história tragica do Titanic), caminhei pela região da Albert Docks e conheci as duas principais igrejas da cidade.

Para chegar lá partindo de Londres é tranquilo, apesar de eu não ter feito esse trajeto, pois eu fui de Edimburgo a Liverpool, as principais informações sobre esse trajeto são: o tempo de viagem é de 2 horas (se o trem for direto) ou de 2 horas e 30 minutos (se tiver conexão pelo caminho). Os trens partem de Londres da estação de Euston e chegam em Liverpool na estação de Lime Street. O trajeto será feito pela empresa Virgin Trains.

Manchester além de ser famosa por causa dos times de futebol, teve uma importancia muito grande para o mundo, foi onde a revolução industrial começou. Um pouco dessa história pode ser vista no MOSI, o museu de ciência e industria da cidade. Ainda tem a região de Castelfield, que está relacionada com a ocupação dos romanos na cidade e ainda existem resquicios a serem vistos por ali. E como eu fiquei pouco tempo na cidade, pq o meu objetivo era apenas ver o show do Belle & Sebastian, o que eu conseguisse ver seria lucro. Ainda caminhei pela praça que fica em frente ao City Hall  onde estava acontecendo um mercadinho de Natal super interessante e muito bem organizado.

Mesmo eu não tendo feito esse trajeto a partir de Londres, as informações essenciais são: todos os trens partem de Londres da estação de Euston, o trajeto leva aproximadamente 2 horas e como Manchester tem varias estações de trem, eu aconselho a desembarcar na Piccadilly Station, que além de ser a maior estação da cidade, está super bem localizada.

Manchester City Hall

Manchester City Hall

Norwich, ganhou fama por causa da mostarda inglesa. Para ir até lá, a viagem tem inicio na estação de London Liverpool Street e dura 1 hora e 50 minutos.

A cidade é super pequena e é possível conhece-la rapidamente. As principais atrações da cidade ficam por conta do Castelo de Norwich, a sua catedral, a galeria Royal Arcade onde fica o Colman’s Mustard Shop and Museum. Outro lugar legal de caminhar é pelos corredores aperdados do Norwich Market, que fica em frente ao City Hall. E pra terminar o dia, nada melhor do que caminhar pelas ruas medievais de Elm Hill, um dos lugares mais bonitos e tranquilos da cidade.

Oxford os 100 km que separam Oxford de Londres podem ser facilmente percorridos de trem. O trajeto pode levar desde 1 hora até 1 hora e 50 minutos, dependendo do horário escolhido e se tiver conexão no meio do caminho. Todos os trens partem de Londres da estação de Paddington e chegam na única estação de trem de Oxford.

As principais atrações da cidade são: os 38 colleges (especialmente o de Christ Church, onde foram filmadas cenas do Harry Potter como Hogwarts) que fazem parte da Universidade de Oxford, uma das mais tradicionais do Reino Unido. Alguns colleges estão aberto para visita, não são todos. Ainda podemos conhecer a Radcliffe Camera que fica na Radcliffe Square, bem no centro da cidade, a Igreja de St Mary, a Biblioteca Bodleian (mas não é possivel visitar o seu interior) e a Bridge of Sighs.

Stonehenge é um dos lugares mais populares para fazer um bate-volta a partir de Londres, sejam por brasileiros ou não. Existem duas formas de ir até lá: de ônibus ou de trem. Independente de qual opção for a escolhida para a primeira parte do trajeto, a primeira parada vai ser na cidade de Salisbury. Para a segunda parte do trajeto é necessário pegar o ônibus “The Stonehenge Tour” que vai até a bilheteria/lojinha de souvenirs/cafeteria do lugar.

Obs: quem resolver fazer a primeira parte do trajeto de trem, vai ser preciso caminhar um pouquinho até chegar na Bus Station pra pegar o ônibus The Stonehenge Tour.

Ao comprar o ticket, o ingresso da direito ao audio-guia em diversos idiomas, mas em português ainda não tem. A visita dura mais ou menos uns 30 a 40 minutos. Se tiver chovendo não é uma boa idéia passear por lá, pq como é um campo aberto, venta muito e as vezes nem mesmo o guarda-chuva dá conta.

Stonehenge

Stonehenge

Stratford ano passado durante as Olimpíadas em Londres o mundo inteiro estava ligado nessa região da Inglaterra. Explico: esse é o lugar onde está localizado o Parque Olímpico que foi palco de competições em diversos esportes, além de ter recibido as cerimônias de abertura e encerramento das Olimpíadas. Mas além do Parque Olímpico, grudado fica outra grande “atração” do país, o Westfield Stratford City, atualmente o maior shopping da Europa.

Para chegar lá é muito simples. Os trens partem de Londres da Estação de St Pancras e em menos de 15 minutos a gente já está desembarcando na estação de Stratford Internacional. Mas claro que esse trajeto não precisa ser feito obrigatoriamente de trem, pode ser feito também de metro, DLR e ônibus.

Stratford upon Avon é a cidade natal de Shakespeare, então como esperado, tudo por ali vai girar em torno desse grande escritor britânico. As principais atrações da cidade ficam por conta das cinco casas onde ele morou, também visitamos a Igreja onde ele foi batizado e está enterrado e aproveitamos pra caminhar pelo centrinho da cidade, que diga-se de passagem é a coisa mais linda desse mundo. Parece coisa de cinema!

Para chegar lá a partir de Londres, os trens partem de duas estações, a Euston e a Marylebone. A melhor opção, na minha opinião, seria pegar o trem que parte da estação de Marylebone, pq há opção de fazer o trajeto com um trem direto. O tempo de viagem é de 2 horas. Antes de chegar em Stratford upon Avon, é importante saber que existem duas estações de trem na cidade, então a melhor opção é desembarcar na estação chamada somente de “Stratford upon Avon Station”.

Warwick é uma outra cidadezinha que fica pro lado oeste da Inglaterra. Para chegar até lá, o ideal é pegar o trem na estação de Marylebone. O trajeto dura em torno de 1 hora e 20 minutos para trens diretos e 1 hora e 40 minutos quando os trens fizerem uma conexão. Importante saber que Warwick também é servida por duas estações, então é bom escolher a estação chamada “Warwick” simplesmente, pra não ter problemas.

O grande detaque da cidade fica por conta do Castelo de Warwick e da sua catedral. Vale muito a pena passar uma tarde por lá, com certeza!

Windsor fica a 48 km de Londres, ou seja, é uma cidade que pode ser facilmente incluida em um roteiro na Inglaterra, além de ser uma ótima oportunidade de andar de trem e conhecer as paisagens do interior do país. O jeito mais fácil de chegar até lá partindo de Londres é de trem. Existem dois tipos de trajeto: o direto, que partem da estação de Waterloo e os com uma conexão (de aproximadamente 8 minutos na cidade de Slough) que partem da estação de Paddington. Em Windsor existem duas estações de trem, então a melhor opção é desembarcar na estação chamada “Windsor & Eton Central” que fica praticamente de frente pra entrada principal do Castelo de Windsor, é só atravessar a rua.

A principal atração da cidade é o Castelo de Windsor, considerado o maior castelo ainda habitado do mundo. Além do próprio castelo, podemos visitar também a St George’s Chapel e ver a troca da guarda.

Quem tiver interesse, também é possível conhecer um dos colégios mais tradicionais da Inglaterra, o Eton College. O Eton College fica no vilarejo de Eton e pra chegar lá só é preciso atravessar o rio e caminhar mais uns 20 minutos. Alguns meses do ano é permitido visitar o colégio com um tour guiado. Outra sugestão pra quem viaja com criança (ou não) é visitar o parque Legoland, que fica a uns 10 minutos de ônibus do centrinho de Windor.

York fica mais perto de Edimburgo do que de Londres, porém mesmo assim é totalmente possivel fazer um bate-volta partindo de lá. York é uma das cidades mais antigas da Inglaterra e cada vez mais tem se destacado entre os turistas brasileiros.

A cidade gira em torno da York Minster, mas a sua muralha de defesa não passa batida. Ainda existem alguns museus, como por exemplo o Jorvik Viking Centre, além da Torre Clifford que foi o que restou do Castelo de York. Ultimamente muitas pessoas vão até lá pra passear pela ShamblesStreet, uma ruazinha com ar medieval que ficou famosa no filme Harry Potter.

Para ir até York de trem partindo de Londres, o trajeto é de 2 horas. Todos os trens partem da estação de King’s Cross em Londres e chegando em York não é preciso se preocupar, pois a cidade tem apenas uma estação de trem.

Obs.: para ter mais detalhes sobre essas viagens, é só clicar no link em vermelho no nome da cidade. Ali vão estar listados todos os posts que escrevi sobre cada destino e as informações vão estar muito mais detalhadas.

Posts relacionados:

Lista com todos os posts sobre a Inglaterra

O que fazer em Londres em apenas 24 horas?

Mind the Gap! Como andar de Metro em Londres

Mini-guia para viajar de trem pela Escócia e norte da Inglaterra

Passo a passo pra comprar uma passagem de trem entre Londres e Edimburgo

Day Trip com Empresa de Turismo na Inglaterra

Passo a passo pra comprar uma passagem de trem entre Londres e Edimburgo

De uns tempos pra cá eu venho recebendo alguns emails ou perguntas aqui no blog com dúvidas relacionadas a compra de uma passagem de trem entre Londres – Edimburgo.

Uns meses atrás eu escrevi um post explicando sobre alguns pontos importantes que devem ser levados em consideração na hora de comprar uma passagem pra viajar tanto pela Escócia como pelo norte da Inglaterra (mas esse post pode servir de modelo pra viagens de trem por todo o Reino Unido), como por exemplo: as estações de trem de Edimburgo, quais tipo de passagens existem e como e onde comprá-las, as principais diferenças entre a primeira e segunda classe, as distâncias entre algumas cidades e quais as empresas que fazem determinado trajeto.

east coast 1

Nesse post eu vou fazer direitinho um passo a passo com imagens do site pra ajudar as pessoas que ainda tem alguma dúvida a respeito de como comprar a passagem, como escolher o melhor assento no trem e como escolher como será feita a retirada do bilhete. Então, vamos lá?

A empresa que eu utilizei pra fazer o trajeto entre Londres – Edimburgo foi a East Coast, mas existem outras empresas que fazem esse mesmo trajeto como a  Cross Country (trem direto) e a Virgin Trains (com uma conexão).

Obs.: no lado direito da tela, no “Book now for travel” já diz até qual dia a passagem pode ser comprada, que geralmente é com até 90 dias de antecedência.

** Selecionando o trajeto, data e horários **

No exemplo que eu escolhi, ficou definido que o trecho vai partir (from) London para (to) Edinburgh, ida e volta, para um adulto, mostrando tanto as opções disponíveis na primeira e na segunda classe.

Primeira coisa que é preciso definir é como vai ser o trajeto: One Way (só de ida) ou Return (ida e volta).

Ao escolher qual vão ser os destinos, tanto no caso de Londres como no de Edimburgo, que apresentam inumeras opções, é melhor escolher a primeira opção que aparece, sem definir nenhuma estação, a não ser que já se tenha conhecimento de forma antecipada que é melhor partir ou ir desde uma determinada estação.

No Outward Journey (que corresponde ao trajeto de ida), é preciso escolher qual o mês e data a viagem vai ser feita. Também é bom definir a partir de que horas é conveninente o site mostrar as opções de trem para esse trajeto. No exemplo, o que eu escolhi foi: Ida no dia 18 de agosto, partindo de Londres depois das 07:00 da manhã.

east coast 2

No Return Journey (que corresponde ao trajeto de volta), eu fiz a mesma coisa que no passo anterior, somente coloquei a volta para o dia 22 de agosto e para aparecer opções de trem partindo de Edimburgo depois das 13:00. Obs.: Quem não quiser definir a data de volta da viagem, pode selecionar o Open Returns (returns anytime), mas com certeza o preço vai ser beeem mais caro no caso desse trajeto.

Selecionar quantos adutos e crianças vão viajar. Quem tiver o Railcard, é só selecionar a opção (o que não vai ser o caso de quem for ao Reino Unido a turismo). Quem optar por viajar em grupo (com mais de 10 pessoas), deve clicar em group travel, que ali vão aparecer os contatos para que seja emitidas as passagens para grupos.

Ultimo passo é selecionar as opções para que o site mostre os trens disponiveis na standard class (segunda classe), first class (primeira classe) e trains with no changes (para quem quiser apenas as opções de trens direto).

** Escolhendo a opção de trajeto que mais agradou **

Na próxima tela vão aparecer as opções de preços indicadas através do preço, da classe (1st ou standard) ou ainda pelo tipo de bilhete (single ou return).

east coast 4

Quem estiver certo que vai querer viajar de segunda classe, pode selecionar diretamente a opção que tiver o menor valor (nesse caso, o valor é de 62,85 libras) tanto na ida quanto no trecho da volta.

east coast 5

Quem optar por ir de 1st class, pode selecionar sem muita enrolação a opção que indica de 47,50 libras to 147,50 libras/first/single na ida e na volta a opção de 47,50 libras to 215,00 libras/first/single.

east coast 6

A seguir vão carregar todas as opções de horários em que essas tarifas estiverem disponiveis, ai é só selecionar o horário que mais agradou tanto no trecho de ida quanto no trecho da volta e clicar em “Buy Now”.

** Preferências de assentos **

Essa é uma dar partes que mais geram duvidas durante o processo de compra da passagem de trem pela interent. No caso dessa empresa, temos duas opções iniciais:

east coast 7

– Yes, I want to reserve a seat (clique nessa opção se quiser reservar assento);

– No, I don’t want to reserve a seat (clique nessa opção se não quiser reservar assento);

Quem optar por reservar o assento, pode escolher também pra qual trecho a reserva vai ser feita:

– for outward journey (trajeto de ida)

– for return jouney (trajeto de volta)

Obs. 1: ambas as opções podem ser selecionadas, claro.

Obs. 2: tem pessoas que não se importam em reservar assentos, eu aconselho que os assentos em ambos os trechos sejam reservados. Não há nenhum custo a mais por isso e é uma tranquilidade sem tamanho chegar na estação e não ter que se preocupar em sair correndo pra pegar um bom lugar.

Após selecionar que quer reservar os assentos para ambos os trajetos, vão aparecer ainda outras opções para escolha:

– Preferred Seat (escolha sobre o assento):

Facing Backwards (vai no sentido contrario ao que o trem vai se deslocar) ou Facing Forwards (vai no mesmo sentido que o trem)

Position Aisle (pra quem prefere ir no corredor) ou Window (pra quem não abre mão de ir na janela).

Seat Type Individual (esse só está disponivel pra quem for de 1st class, pois são os assentos sozinhos) ou Table (vai ter uma mesa em frente ao assento).

east coast 8

– Preferred coach (escolha sobre o vagão):

No preference (eles vão sugerir muito provavelmente o vagão que já estiver quase sendo completado, ou seja, o que estiver mais lotado).

Quiet Coach (vagão silencioso, acho que só existe 1 vagão nessa “configuração”).

** Verificar quais são os assentos que foram pré-indicados pela East Coast e se será necessário alterar esse assento **

Quem tiver curiosidade em saber quais foram os assentos pré selecionados pela East Coast (a melhor opção disponivel é reservada nessa hora), pode conferir clicando na coluna no lado direito em “View your seat”.

east coast 10

A próxima tela que vai aparecer será um esboço do vagão pre-definido com o assento pre determinado selecionado. Se gostar da opção indicada, ok, não é necessário fazer nada. Agora se quiser alterar a escolha, é só selecionar outra opção disponível e clicar em “change seat”.

east coast 11

Obs.: uma dica legal é relacionada a escolher uma poltrona que fique perto do local destinado a guardar as malas. Não que alguém vá roubar as malas (nunca vi isso acontecer), mas só por precaução e pra ficar de olho.

** Difinindo a necessidade de carregar bicicleta, voucher de alimentação e wi-fi abordo **

east coast 9

– Bicycle reservation: pra quem for carregar bicicleta durante esse trajeto. A regra diz que só pode ser feito a reserva do espaço pra bicicleta quem reservar assento no trem.

– Additional options: oferece a opção de comprar vouchers de alimentação que podem ser usados tanto no vagão restaurante quanto nos carrinhos que passam pelo vagão. A escolha do voucher pode ser por trecho (outward – ida ou return – na volta). Essa opção vai aparecer somente pra quem for viajar de segunda classe. Quem optar por viajar de 1st class não precisará de voucher, pois os lanches servidos já estão incluidos no valor da passagem, ou seja, são gratuitos.

– Wi-fi Voucher: vai aparecer essa opção pra quem optar por viajar em segunda classe, pois o acesso a internet não está incluido no valor da passagem. Pode ser selecionado apenas 1 voucher (pra ser usando tanto na ida ou na volta) ou pode ser selecionado a opção de 2 vouchers (para serem usados respectivamente na ida e na volta). Quem optar por viajar na 1st class não precisa se preocupar com isso, pois a internet wi-fi já está incluida no valor to bilhete.

Obs.: como o trajeto é longo, ter acesso a internet pode ser uma boa idéia. A conexão funciona super bem, eu testei.

** As opções pra retirar o ticket **

Existem 3 opções para retirar a passagem:

east coast 12

– Ticket on departure at the station: geralmente já vem selecionada a estação de onde o trem vai partir. Se vc for turista, pode deixar essa opção mesmo selecionada. Agora se for morar no UK, pode alterar essa estação pra que mais for conveniente. Optando por esse tipo, será necessário ter em mãos o cartão de crédito utilizado pra fazer a compra e o “booking reference” que vai ser enviado no voucher no email de confirmação da compra da passagem. O ticket pode ser retirado tanto nas máquinas como nos guiches de atendimento. Essa é a unica opção que é gratuita.

– First Class Post, só está disponivel pra quem mora no UK. Eles enviam as passagens pro endereço que foi cadastrado e é cobrado um valor de 1,00 libra por esse serviço.

– Special Delivery: só está disponivel para quem mora no UK também. Eles enviam as passagem pro endereço cadastrado quando a passagem for comprada até as 17:00. E a entrega é feita rapidamente até as 13:00 do dia seguinte.

** Cadastro no site da East Coast pra efetuar a compra das passagens **

Sim, é necessário se cadastrar pra conseguir terminar de efetuar a compra das passagens.

east coast 13

Aqui tem uma “pegadinha”. Quem tiver apenas endereço do Brasil, deve se cadastrar clicando em “enter international address”. Ai é só preencher o que for solicitado e clicar em “Return to address lookup”.

east coast 14

Obs.: Não selecionar a opção “remember this address”, a não ser que for comprar mais passagens nos próximos dias.

** Formas de pagamento **

A unica opção de pagamento disponivel é através do cartão de crédito. Então é só selecionar a bandeira do cartão de crédito escolhido e preencher os dados solicitados.

east coast 15

As passagens de trem no UK não podem ser parceladas. Então na próxima fatura vai vir o valor total da compra.

Quem não quiser deixar gravado o cartão pra futuras compras, é só não selecionar a opção “remember this card”.

east coast 16

E pra terminar a compra das passagens, é só concordar com os termos e condições da empresa e clicar em “Buy now”. Simples, não?

** Observações importantes **

Obs. 1: O tempo de viagem entre Londres e Edimburgo tem duração de 4 horas e 20 minutos quando o trajeto for com trem direto.

Obs. 2: Para comprar a passagem de trem pela internet é necessário ter um cartão de crédito internacional, claro.

Obs. 3: Esse post foi escrito apenas com a intenção de ajudar e não fazer propaganda de uma determinada empresa. Eu também tive a oportunidade de andar nos trens da CrossCountry, mas não foi nesse trecho, por isso optei por usar como exemplo para escrever esse post o site da empresa East Coast.

** Para ver as “fotos” em melhor resolução e maior, é só clicar na “foto” em questão **

Posts relacionados:

Mini-guia para viajar de trem pela Escócia e norte da Inglaterra

Todas as opções de transporte entre Londres e Edimburgo

Como ir de Londres a Edimburgo de Trem

Andando de ônibus em Edimburgo

Airlink – Como ir do aeroporto de Edimburgo até o centro da cidade

Ônibus da linha turismo em Edimburgo

Andando de táxi em Edimburgo

%d blogueiros gostam disto: