Arquivo | Portugal RSS for this section

Me despedindo de Portugal (e da Europa) – Imagens aéreas!

Essas imagens aéreas foram feitas no meu voo de volta ao Brasil. Aproveitando que o voo era diurno e o dia estava ensolarado e lindíssimo, aproveitei para tirar umas fotos tanto de Lisboa, do Oceano Atlântico e da costa Brasileira!

Deixando Lisboa..

Ponte Vasco da Gama

Lisboa!

A Torrezinha de Belém, bem no meio da foto!

Portugal..

A "última" pontinha da Europa!

Atravessando o Oceano Atlantico…

Oceano..

Chegando no Brasil..

Em algum lugar do Nordeste!

Rio São Francisco? Acho que sim, né!

Como em São Paulo tava chovendo e com muitas nuvens, não consegui tirar fotos!

Anúncios

Pastéis de Belém

Ir à Portugal e não comer os Pastéis de Belém é como ir a Paris e não subir na Torre Eiffel.. então lá fui eu, no final do meu último dia em Lisboa, provar o famoso doce Português!

Chegando na Única Fábrica dos Pastéis de Belém

A Única Fábrica dos Pastéis de Belém, foi fundada em 1837, e fica na região de Belém, muito próximo ao Mosteiro dos Jerônimos.. muito fácil de achar, do bondinho, já dá pra ver o lugar!!

Vitrine

Quando cheguei lá, como esperado, estava lo-ta-do,  e isso que já passava das 18:30, então, aproveitei pra circular pelos vários ambientes e ver a decoração.

...

A decoração é única também, com os azulejos azuis e branco e com várias mesinhas espalhadas, um típico restaurante português!!

um dos vááários ambientes da Pastelaria

A produção dos pastéis é mantida em sigilo pelos proprietários por mais de um século e a receita é conhecida somente por 3 pessoas. Os pastéis são feitos todos os dias, a portas fechadas, numa sala chamada de Oficina do Segredo, e o processo de produção dura 2 dias.

Há uma parte onde dá pra ver quando os pastéis estão sendo tirados do forno…

hummm

O ideal é esperar vagar uma mesinha e saborear o doce lá mesmo, mas se caso não for possível, há um balcão, logo na entrada onde pode ser feito o pedido para levar os pastéis pra comer em casa.

take away

or... sit in

Além dos pastéis, são servidos sanduiches, entradinhas como bolinhos de bacalhau (e varios outros bolinhos), tortas, croissantes e bebidas (tacinhas de vinho do Porto e Moscatel).

além dos pastéis, existem muitas outras opções

Depois de ver as mais variadas opções no menu, pedi somente os pastéis de Belém, e mais uma taça de Vinho do Porto e mais uma de Moscatel de Setúbal (que aliás, enquanto esperava o Bondinho pra voltar pro hotel, vi uma propaganda dizendo que foi eleito o melhor Moscatel do mundo)!!

com açúcar e canela fica muito melhor!!!

O atendente me disse que o ideal é comer os pastéis acompanhados com açúcar e canela.. e realmente, dá um toque especial, muito bom meeesmo!!

tive que pedir mais 2

Também é possível comprar alguns produtos feitos no próprio lugar, como geléias,  marmeladas, bolos, e alguns vinhos, além é claro, dos souvenirs como canecas, pratinhos e xícaras.

...e no final das contas!

Abre todos os dias, das 08:00 as 23:00. E quanto custa um pastelzinho de Belém? 0,95 centavos de euro!

Belém

A tarde, continuei o tour pela região de Belém, que era o lugar que eu estava literalmente contando as horas pra conhecer!!! Não sei explicar, mas somente quando cheguei lá que realmente me senti em Portugal!

O bondinho número 15 vai até Belém!

Além de tudo que é possível conhecer, Belém se destaca por ter sido o lugar de onde as Caravelas de Vasco da Gama partiram para descobrir o mundo, e chegar a India também!!

Monumento aos Descobrimentos

Para chegar até lá, eu peguei o bondinho na Praça do Comércio, o número 15, e parei na estação “Mosteiro dos Jerônimos”, a poucos passos de tudo que tinha de mais importante na região!

De um lado..

e... do outro lado

O primeiro destino foi o Monumento aos Descobrimentos, que fica as margens do Rio Tejo, e pra chegar lá, tem que atravessar a Praça do Império e procurar por uma passagem subterranea.

Achei demais a vista do alto do Monumento aos Descobrimentos!!

Mosteiro dos Jerônimos e a Praça do Império

Eu escolhi ir lá primeiro, pois revirando pela internet, acabei achando um blog que dizia que era possível visitar o monumento, e eu nem pensei duas vezes, coloquei logo na minha listinha.

De um lado a Torre de Belém..

De outro, a Ponte 25 de Abril..

E recomendo, vale muito a pena, a vista é realmente imperdível! Eu não conseguia mais parar de bater fotos e por mim fica ali o resto da tarde…

...

...

Rosa dos Ventos foi presente da Africa do Sul a Portugal

Mais ainda faltava muita coisa pra ver, caminhei pela Praça do Império tranquilamente e fui conhecer o Mosteiro dos Jerônimos.

Mosteiro dos Jerônimos

O Mosteiro foi construido a mando do Rei Dom Manuel I ainda em 1501 e demorou mais de 100 anos pra ficar pronto. Em 1755, foi parcialmente destruido no terremoto que praticamente destruiu Lisboa, e assim, teve que ser construido de novo, e é uma das construções mais bem conservadas e bonitas da cidade!!

...

os detalhes perfeitos!

O Mosteiro dos Jeronimos foi declarado Patrimonio Cultural da Humanidade pela Unesco e hoje em dia é possível visitar.

O Antigo Refeitório

Os azulejos em tom de amarelo, que marcam uma outra fase!

...

Além de caminhar pelos seus corredores, ver o interior da Igreja do alto, visitar os confessionários (os claustros, que haviam 12 no total, o confessor e o penitente conversavam atraves de uma grade) , também tem uma exposição que mostra um pouco da história do Mosteiro, de Portugal e do mundo!

...

Os confessionários

Mosteiro dos Jerônimos

Junto ao Mosteiro, ficam o Museu da Marinha (eu não visitei, mas pelo que li, conta um pouco da história náutica dos Portugueses), o Museu de Arqueologia (que também não visitei) e a Igreja de Santa Maria de Belém (onde é possível ver os túmulos do navegador Vasco da Gama e do poeta Luis de Camões).

Igreja Santa Maria de Belém

...

Igreja

Vasco da Gama

Luis de Camões

E o momento mais aguardado do dia, foi caminhar a beira do Rio Tejo, vendo o sol se por lindamente e chegar até a Torre de Belém!!!

Ponte 25 de Abril

 Eu sempre quis conhecer a Torre de Belém, e isso já faz tempo, desde a primeira vez que a vi uma reportagem num programa de TV e achei ela super bonitinha e vendo ao vivo e a cores, não me cansei de bater fotos (muuuuitas) e de toooodos os ângulos!

Todos os ângulos!

A Torre, que tem o famoso estilo manuelino, também é Patrimonio Mundial, é possível visitar, porém pelo que eu já tinha lido por ai, a parte exterior valia mais a pena, e me contentei (e muito) em poder admira-la por alguns (na verdade, foi mais de 1 hora) minutos!

Torre de Belém.. é ou não é pra ficar batendo fotos de todos os angulos?!?!

Além do estilo manuelino, a torre também tem um pouco do estilo árabe e veneziano. Foi construida um pouco depois do Mosteiro, em 1514 e a torre servia para defesa a cidade de Lisboa do ataque de inimigos!

Mais de pertinho..

Tanto a Torre de Belém e Mosteiro dos Jerônimos abrem todos os dias (exceto as segundas-feiras) das 10:00 as 17:30. Há vários tipos de tickets, únicos e até as mais variadas combinações e os preços, variam de acordo o que (quantidade de lugares) foi escolhido.

Com certeza eu ainda vou voltar!!

E o dia ainda não tinha chegado ao fim e para a viagem ficar completa, não poderia faltar os famosos Pastéis de Belém, mas isso é tema pra outro post.. (e merecido)!!

Lisboa

Lisboa, capital e maior cidade de Portugal, tem apenas 550 mil habitantes, mas na região metropolitana pode alcançar facilmente os 2,5 milhão de habitantes.

A cidade é super fácil de se localizar e as opções de meios de transporte públicos são enormes, além do metro (com suas 4 linhas), existem os famosos bondinhos, ônibus e funiculares.

Mapa de Lisboa

Infelizmente o cartão Viva Viagem versão Comboio (trem) que usei em Sintra não servia para o transporte público interno em Lisboa, sendo assim, comprei outro cartão para usar pela cidade.  E vale a pena, pois o valor do bilhete que normalmente é de 1,95 euros, sai peraticamente pela metade do preço. Ahh, e como já disse, o valor do cartão é de 0,50 euro, e se não quiser guardar ele de recordação, é possivel pegar o dinheiro de volta!

Os bondinhos!

Como eu só andei no Elevador de Santa Justa e no bondinho para ir e voltar de Belém, só posso dizer que achei super prático, é só validar na maquininha amarela dentro do elevador/bonde e seguir viagem. E nem tente dar uma de espertinho, pois mesmo dentro do bondinho, indo pra Belém, no trajeto da ida, o fiscal passou em todo o bonde conferindo um por um dos cartões (e com certeza a multa é bem salgada, pelo q me lembro era algo absurdo, em torno de 100 vezes o valor do bilhete, então é só fazer as contas de quanto sairia o prejuízo)!!

O dia amanheceu lindíssimo e convenhamos, pra quem está vindo de uma longa temporada na Escócia, impossível não reparar e ficar feliz em ver o céu azul e o sol dando as caras, e o melhor de tudo, o dia todo!!!

Rua Augusta

Detalhes na Rua Augusta

Saindo do hotel, caminhei pela Rua Augusta, que é uma rua só para pedestres com várias lojas e restaurantes, logo cheguei no Elevador Santa Justa. O Elevador, na verdade é uma “torre” de 45 metros de altura e foi projetado por um dos alunos de Gustave Eiffel, aqueeeele da Torre Eiffel em Paris.

Elevador Santa Justa

...

A fila para subir não estava nada animadora, mas resolvi encarar.. achei que seria uma boa opção ver boa parte da cidade lá do alto, e ainda como bônus o Castelo de São Jorge bem de pertinho!

Praça Dom Pedro IV

Av da Liberdade

Para ter acesso ao elevador, dá pra usar o cartão viva viagem ou dá pra comprar o ticket lá na hora mesmo (valor de 5,00 euros). O trajetinho é super rápido e no elevador não sobem muuuuitas pessoas ao mesmo tempo, então é bem tranquilo!

Rio Tejo e a Praça do Comércio

Catedral da Sé

São “dois” niveis, um onde vemos a cidade através de umas grades de proteção e para ter acesso ao nível superior (terraço), tem uma escadinha.

Ao fundo o Castelo de São Jorge

Castelo de São Jorge

Castelo de São Jorge e suas muralhas

No geral o que vemos é o Bairro do Chiado e da Baixa, e além do imponente Castelo de São Jorge, da pra ver também uma boa parte da Catedral da Sé, o Rio Tejo, Praça do Comércio, Rua Augusta, Av Liberdade lá do alto, muito util pra ter uma visão geral da região e fazer um bom reconhecimento de área, e isso já foi uma previa, pois essas atrações seriam as visitadas na sequencia!

Catedral da Sé

Voltando pela Rua Agusta, fui perguntando pelo caminho como chegar na Catedral da Sé, que fica no meio do caminho pra quem vai até o Castelo de São Jorge. Fiz uma breve parada na Catedral, e segui caminhando.

Miradouro Santa Luzia

A poucos metros da Catedral, acabei encontrando o Miradouro e a Igreja de Santa Luzia, uma breve parada para apreciar mais um pouco de Lisboa, mais especificamente o Bairro de Alfama, que vista do alto e em um dia ensolarado, é imperdível, além, é claro do Rio Tejo.. e segui até o Castelo de São Jorge. Cheguei lá por volta de 12:30 e a fila estava enoooooorme, enorme mesmo, e acabei desistindo, pois o meu principal objetivo, uma vez em Lisboa, era ir a Belém.

Do miradouro se vê o bairro de Alfama

Alfama!

Voltei caminhando pelo mesmo trajeto e fui parar na Praça do Comércio, que é considerada uma das maiores da Europa. E realmente, a praça é enorme,  e fica de frente para o Rio Tejo. Dá até pra considerar o Arco Triunfal como um dos símbolos da cidade!

Praça do Comércio

...

Fiz uma breve parada para fotos, peguei o Electrico (Bondinho), e segui pra região de Belém

Cascais e Estoril

Depois de passar boa parte da manhã e inicio da tarde em Sintra, ainda tive tempo de ir a Cascais e Estoril.

Cascais!!

E dessa vez resolvi ir de ônibus, para ter oportunidade de conhecer as estradas internas de Portugal, já que esse ônibus (que não passava pelo Cabo da Roca) não contornava o litoral. O trajeto é semi-direto, fazendo umas 3 ou 4 paradas próximas a Sintra e/ou Cascais. Neste caso, a parada final foi na Estaçao de ônibus de Cascais, ao lado do Shopping Cascais Villa.

...

Saindo da estação pro lado esquerdo, já da pra avistar o mar, porém a linha do trem vai acompanhando a beira-mar e assim é necessário caminhar um pouquinho mais até encontrar uma passagem subterranea.

Chegando no calçadão a beira-mar, como Cascais e Estoril ficam próximas, aliás, tão próximas que fica dificil dizer onde uma termina e a outra começa, mas perguntando descobri que, seguindo pro lado direito fica Cascais, e andando pro lado esquerdo se chega a Estoril.

..

Resolvi começar por Cascais e por último fui em Estoril (que fica no sentido certo de quem vai voltar a Lisboa, como era o meu caso). Cascais não tem o título de cidade e ainda é classificada como vila..

barcos, iates..

E uma vila com fama de cara e luxuosa, mas sem perder o ar daquelas vilas que parecem ter saido de um filme, com vários barcos e iates atracados em sua Marina, e caminhar pelas ruas do centrinho da cidade, a gente até tem a impressaão de que tudo por lá parou no tempo.

..

Continuando, logo apareceu uma pracinha ainda com a árvore de Natal, e um pouco mais a frente uma Igrejinha!! A poucos passos dali, subindo por uma rua arborizada cheguei no Forte de Nossa Senhora da Luz, que foi construído por volta de 1594 e no terremoto de 1755, ficou praticamente destruído.

..

..

Atualmente, é a Citadela de Cascais, que é composta pela Torre de Nossa Senhora da Luz e a Torre de Santo Antonio. Nessa parte é também onde fica o Passeio Rainha Maria Pia, que inicia perto da estátua do Rei Dom Carlos.

...

...

...

Continuei caminhando, até chegar numa parte que me pareceu um pouco exclusiva e luxuosa, além de mansões, tinham varios resorts e spas a beira mar. E ali fui vendo o sol começar a se por…

Os hotéis 5 estrelas..

..

..

Voltei por um outro trajeto, sem ser a beira mar, e acabei encontrando mais uma igrejinha..

Uma das Igrejinhas pelo caminho..

E seguindo sem rumo, acabei literalmente me  perdendo naquelas ruazinhas de pedra, e sem querer querendo acabei encontrando a pracinha onde estava a árvore de Natal e voltei caminhando pela beira-mar.

O calçadão como em Copacabana..

Aproveitei para olhar um pouco o movimento, a praia com areia fininha, porém com pedronas a medida que vai ar aproximando do mar, e tive  que ao mesmo tempo ir desviando do pessoal que corria no calçadão!

Não sei dizer ao certo em que momento cheguei a Estorial, sabia apenas que seria quando chegasse perto do Castelo que fica na Praia do Tamariz.

O calçadão que liga Cascais a Estoril

Estoril também não tem o status de cidade ainda, mas isso não faz a menor diferença e turisticanente falando eles nāo fazem questão. O lugar acabou se tornando popular, e é ali onde ficam a conceituada Escola Superior de Hotelaria e Turismo,  o Cassino de Estoril, que é considerado o maior da Europa, e a praia do Tamariz.

O Castelo na Praia de Tamariz

Quando entrei na cidade já estava escuro (uma das desvantagens do inverno na Europa, onde começa a escurescer perto das 17:30), e caminhei pelo centrinho de Estoril e peguei o trem de volta para Lisboa na estação de São João do Estoril.

%d blogueiros gostam disto: