Arquivo | Polônia RSS for this section

Polônia: um amor à primeira vista (com informações práticas)!

Já faz um tempinho que fiz essa viagem (janeiro de 2011!), mas sempre que vejo uma manchete ou uma capa de revista com algo relacionado a Polônia minha curiosidade vem à tona. O meu roteiro foi bem compacto, foram apenas 4 dias, onde conheci somente a sua capital, Varsóvia e a segunda maior cidade do país, a Cracóvia.

Por ser um país pouco visitado por brasileiros, foi bem dificil achar informações pela internet. Muita atrações na Polônia ainda não tem sites oficiais, quem dirá algo com versão em português, então o jeito foi montar o roteiro baseado em guias e blogs em inglês. Mas o que importa é que no final deu tudo certo!!

Eu não vou dizer que a Polônia fazia parte do meu top 10 de países europeus a serem visitados, pq não seria verdade. Mas conforme eu fui conhecendo colegas poloneses lá em Edimburgo minha curiosidade aumentou e consequentemente as pesquisas relacionadas a esse país também. Mudei totalmente o roteiro do meu “mochilão” pós primeira parte do intercâmbio na Escócia somente pra incluí-lo, claro.

A Polônia é um daqueles países que por si só já deixa qualquer pessoa curiosa tanto por suas belezas naturais quanto pela sua história triste, porém fascinante. Os poloneses carregam um sofrimento ainda visível nas gerações mais antigas, o país foi totalmente arrasado (Varsóvia conhece melhor do que ninguém esse triste capitulo), mas mesmo assim não se abateu. Muito pelo contrário, quem tiver a oportunidade de visitar a Polônia vai ver um país em constante desenvolvimento, moderno, organizado e que aos poucos está conquistando seu espaço. Foi uma ótima surpresa e claro, um amor à primeira vista! Nos próximos posts eu explico (e vai dar pra entender) melhor o pq!

## Roteiro ##

Como eu já disse, basicamente o roteiro foi de quatro dias. Eu fiquei hospedada em Varsóvia todos os dias e em um desses dias fiz um bate-volta de trem até a Cracóvia, no sul do país. Em resumo, foram 3 dias inteiros em Varsóvia e 1 dia apenas na Cracóvia.

## Como chegar na Polônia ##

Não existem voos direto partindo do Brasil, mas claro que é possível fazer conexão em diversas capitais de países europeus. Quando eu fui, meu voo partiu de Bruxelas, então eu dei prioridade em voar com a companhia aérea de lá, a Brussels Airlines que na época oferecia voo direto com um preço baratex (hoje em dia esse voo só tem com conexão em Munique ou Frankfurt).

(Antes de qualquer coisa, é importante saber que Varsóvia em polonês é Warszawa e em inglês é Warsaw e Cracóvia em polonês é Kraków  e em inglês é Krakow)

Já no voo da volta eu voei com a cia aérea polonesa, a LOT até o meu próximo destino, Madri. Nesse caso, eu acho que a melhor opção seria essa mesma, voar com a LOT ou pegar um voo com uma empresa de baixo custo como por exemplo a EasyJet ou a Wizz Air (que voo principalmente para os países do leste europeu).

## Visto ##

Brasileiros não precisam de visto pra visitar a Polônia por até 90 dias a turismo e negócios. A Polônia faz parte da União Européia e permite a livre circulação entre países europeu através do Acordo de Schengen.

É aconselhado levar documentos que comprovem a intenção de apenas fazer turismo, como passagens aéreas, voucher do hotel, passagens de trem e seguro saúde com cobertura de 30 mil euros.

## Diferença de fuso horário e as estações do ano ##

Barbados não tem o mesmo horário que o Brasil. É importante certificar em qual época do ano vai acontecer a viagem, pq dependendo, a diferença de horário pode ser de 1 hora ou de 2 horas. Quando eu estive lá, na semana passada, ainda era horário de verão aqui no Brasil, então a diferença de horário era de 2 horas, ou seja, 2 horas a menos em Barbados. Então, quando aqui no Brasil era 18:00 horas, em Barbados ainda eram 16:00 horas. Achei muito bom!

## Dinheiro: Qual a melhor moeda para levar na Polônia? ##

## Aeroporto de Varsóvia e os Meios de transporte até o centro da cidade ##

## Estações de trem em Varsóvia e na Cracóvia ##

## Onde é melhor se hospedar ##

## Como fazer um day trip para Cracóvia partindo de Varsóvia ##

## Os Poloneses ##

## Segurança ##

Uma das coisas que vou confessar que eu estava um pouco preocupada era com a questão da segurança. Claro que pra quem vive no Brasil, a gente já está bem acostumado a tomar cuidado redobrado em tudo, mas depois desse tempo que passeio em Edimburgo, essa questão por lá era tão tranquila, que fiquei me perguntado: Será que Barbados é mais parecido com o Brasil ou com a Escócia?

A resposta é muito simples e objetiva, as leis seguem o mesmo padrão do Reino Unido, sofrendo pequenos ajustes, claro. Então, a segurança em Barbados é muito parecido com a Escócia, chegaria a dizer que é igual.

Nesses 7 dias que passei na ilha, caminhei tanto pela cidade, quanto em praias (movimentadas e desertas) e em momento algum, passei por alguma situação que me deixasse insegura ou com medo. A viagem foi super tranquila nesse sentido, graças a Deus!

Claro que é importante ficar atento sempre, não dar bobeira, até pq hoje em dia essa regra vale para qualquer lugar do mundo, mas se caso alguém estiver com planos de ir a Barbados e esteja se questionando sobre como é a segurança por lá, podem ir bem despreocupados, é tudo muito calmo e tranquilo mesmo!

xxxxxxxxxxxxx

## Em resumo ##

A Suíça, junto com a Noruega, foram os dois países mais caros que eu conheci até agora. É tudo muito caro mesmo. Mas pra que tudo por lá funcione assim muito bem, tudo isso tem um custo e nesse caso, custa muito caro (ao menos pra nós que ganhamos em reais).

foi um dos paises mais baratos que visitei. assim como os paises do leste euorpeu. cremes muito baratos

Anúncios

Roteiro: Primeiro “mochilão” pela Europa!

A idéia desse “mochilão” no final do meu intercâmbio já vinha de muito tempo, inclusive já tinha decidido alguns destinos antes mesmo de embarcar pra Europa.

Como eu não sabia se iria gostar ou não de morar em Edimburgo, se ia me acostumar com o tempo doido de lá, que é muito frio, venta que é uma desgraça e chove quase todos os dias, achei que os 6 meses de intercâmbio seriam suficientes e que no final, eu não poderia deixar de fazer um pequeno tour antes de voltar de vez para o Brasil.

Mas a medida que o curso começou, que fui conhecendo pessoas de todas as nacionalidades, ouvindo as histórias de cada um, e vendo que o inglês não é um bicho de 7 cabeças, mas que os 6 meses não eram suficientes para quem queria ter uma boa base para usar o idioma no trabalho, fiquei pensando que talvez seria interessante voltar por mais um tempo!

E meus animos aumentaram muito, e pra ser muito sincera, eu fiquei bem euforica hehehe, quando eu recebi um email do pessoal da administração do flat onde eu estava morando, pedindo se eu tinha interesse em renovar o contrato.

No mesmo dia, liguei pra minha mãe e falei, precisamos conversar URGENTE!!! Foi ai que eu falei que tinha recebido esse email e que na verdade, eu já estava pensando em falar com eles sobre ficar por lá mais algum tempo, mas tava era sem coragem! E esse email foi o empurrãozinho!

Bruxelas

Eu sei que nos haviamos nos planejado para um determinado periodo, e que morar em outro país, especialmente no Reino Unido, onde a moeda é a libra (uma das cotações mais altas frente ao nosso realzinho), não era bem assim. Meus pais pensaram por uns dias, e finalmente veio a boa notícia.. “OK, VOCÊ PODE VOLTAR!!”. Nossa, foi uma das melhores coisas que ouvi até então na minha vida! E não é exagero, eu realmente tinha gostado muito de morar lá (mesmo com aquele clima horroroso hehe), de ter toda a facilidade que eu tinha no meu flat e isso sem falar em tudo o que eu estava aprendendo, tanto nas aulas, como com os meus colegas. E fora a possibilidade de conhecer muitos e muitos países, culturas e tudo mais que aquele continente pode oferecer. Nossa, realmente eu fiquei muito feliz!!!!!!!!! Feliz demais!

Luxemburgo

Mas chega de enrolação, fato é, que não tinha como cancelar o mochilão, pq eu já estava com passagens de avião e trens compradas, hotel reservado, alguns ingressos também eu já tinha comprado, então eu tive que fazer o sacrificio de viajar por mais alguns dias.. hehehehe

Colônia

Depois de receber a Chay e a Catarina em Edimburgo por alguns dias, de fato o meu mochilão começou.

Juntei todas as minhas tralhas e lá fomos nós pra Londres, nossa, agradeço demais a presença delas, pq se não fosse as duas, eu nem sei como ia me virar com as minhas 3 malas até chegar em Londres.

Varsóvia

Para ir até Londres, tivemos que escolher o Aeroporto de Heathrow por dois únicos motivos:

– não tinha condições de eu cirular meia Europa carregando as minhas 3 malas, então tive que deixar duas delas lá no aeroporto, naqueles guarda-volumes;

– e pra evitar o vai e vem com as malas entre aeroportos e/ou estações de trem em Londres, achei que seria mais conveniente ir até o Heathrow, já que o meu voo de volta pro Brasil partia de lá. E isso facilitou muito pra mim. Quando voltei de Barcelona, peguei minhas malas no guarda-volume, fiz o check-in e fiquei esperando o tempo passar até embarcar de volta pra casa.

Cracóvia

Bom, o roteiro desse “mochilão” ficou assim:

– 2 dias em Londres, onde fui ver uma exposição sobre o Gauguin no Tate Modern, visitamos a Biblioteca de Londres, o Parlamento Britânico e ainda caminhamos pelo Convent Garden;

– o trajeto entre Londres e Bruxelas eu fiz com o Eurostar;

– 4 dias em Bruxelas, sendo que em um deles eu fiz um bate-volta até Colônia na Alemanha e em outro dia eu fui pra Luxemburgo. Os outros dois dias eu fiquei em Bruxelas mesmo;

– o trajeto entre Bruxelas e Varsóvia eu fiz com a cia aérea Brussels Airlines;

– 4 dias em Varsóvia, sendo que um dia eu fui pra Cracóvia num bate-volta de trem;

– o trajeto entre Varsóvia e Madri eu fiz com a cia aérea LOT, principal cia aérea da Polônia;

– 2 dias e meio em Madri. Um dos meus colegas de inglês era de lá, e se ofereceu para ser o meu guia enquanto estivesse na cidade. Visitei as principais atrações, como o Palácio Real, Plaza Mayor, Cadetral de Almudena, entre outros;

– o trajeto entre Madri e Barcelona eu fiz com o trem de altíssissississima velocidade espanhol chamado AVE;

– 4 dias em Barcelona, onde além de ir em todas as principais atrações da cidade, consegui comprar um ingresso pra ver um jogo do FC Barcelona.

– o trajeto entre Barcelona e Londres eu fiz com a British Airways, e naquela mesma noite, peguei o voo com a British para voltar ao Brasil.

Então, ontem, dia 26 de janeiro coloquei meus pés no Brasil, mas com o atraso no voo em Londres, perdi o voo pra Floripa e tive que esperar mais de 10 horas pra pegar o próximo voo até chegar em casa! Finalmente, as 04:00 da manhã eu chegueiii!!  Agora é se organizar e arrumar os documentos pra agendar o visto Britânico no Rio de Janeiro!

%d blogueiros gostam disto: