Arquivo | Bratislava RSS for this section

Bratislava: um bate-volta perfeito a partir de Viena

Todo mundo lembra que até algumas décadas atrás existia um país chamado Tchecoslováquia, certo? Na década de 90, através do acorodo Divórcio de Veludo, esse país deixou de existir, dando origem a dois novos países: a República Tcheca (capital Praga) e a Eslováquia, cuja capital é Bratislava.

SONY DSC

Quem pensa em conhecer a “continuação” de Praga, eu já aviso: é muito mais fácil e leva menos tempo se o trajeto for feito a partir de Viena. Bratislava fica apenas 65 km de distância de Viena e o tempo de viagem de trem com a empresa austríaca leva em torno de 1 hora. (Quem tiver interesse, umas semanas atrás eu escrevi um post sobre como é andar de trem na Áustria).

b1_1200x832

b5_1200x802

Os trens em direção a Bratislava partem da estação Wien Hbf (que também é conhecida por Wien Südbahnhof, seu nome antigo, já que essa nova estação central está sendo construida junto a Südbahnhof), mas em Brastislava existem duas opções de estações de trem para desembarcar: a estação central de Bratislava, a Bratislava Hlavná Stanica (Bratislava – hl st) ou a Petrzalka. Nos preferimos pegar o trem um pouco mais tarde, por volta das 09:00 da manhã e desembarcar na estação central. Os horários mais cedo desembarcavam na estação de Petrzalka, que fica na região sul de Bratislava, ou seja, bem mais longe do centro da cidade.

b7_1200x849

(Obs.: depois da minha viagem a Polônia – que eu ainda não escrevi nada aqui no blog, uma vergonha! – onde eu tive dificuldade de encontrar pessoas que falassem inglês, nessa viagem eu já fui precavida. Então é sempre bom saber algumas palavrinhas chaves pra não passar aperto, como por exemplo: vlak = trem, zo stanice = alguma coisa relacionada com estação de trem, e zastávla = parada)

b9_1200x884

Chegando em Bratislava, não se assuste, pois a estação de trem parece uma rodoviária caindo aos pedaços, mas é ali mesmo, pode desembarcar tranquilo. Saindo da estação, é só descer toda a rua que fica bem em frente, dobrar a direita, atravessar uma passarela e seguir pro centro da cidade, onde estão todas as atrações turisticas agrupadas.

Bratislava (também conhecida pelo seu apelidinho de Blava) está situada as marges do rio Danúbio – onde finalmente vi o tal do famoso Danúbio (Azul) – e é uma cidade super pequena, bem fácil de ser percorrida a pé. E foi isso que fizemos.

b8_1200x891

No caminho entre a Estação Central de Trem e o Centro Antigo de Bratislava (Staré Mesto) fizemos uma paradinha pra conhecer o Grasslkovich Palace, local onde mora o presidente do país. Infelizmente não dá pra conhecer o palácio por dentro, mas é possivel caminhar pelos seus jardins e também ver a Fonte Zem – Planéta Mieru (Fonte Terra – Planeta de Paz).

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

Aproveitamos para caminhar um pouco pelo centrinho de Bratislava até a hora do almoço chegar. Entre todas as opções de restaurante que serviam comida típica eslovaca que eu vi na internet, um dos que estavam mais bem cotados era o Slovak Pub ou Slovenská Hréma que fica em um edificio de dois andares, pintado metade branco e metade preto, não tem erro.

b12_1200x857

 O acesso ao restaurante é meio estranho, o ambiente é todo de madeira, bem rustico e existem milhares de salões, então já da pra imaginar o tamanho do lugar, né?

b13_1200x817

Uma vez na Eslováquia, aproveitamos pra provar o prato mais tradicional do país, o Bryndzové halušky, que nada mais é do que um nhoque de batata coberto com um molho de queijo de ovelha chamado de Bryndza com pedaços de bacon. Uma maravilha! Ao menos eu gostei, meu pai e meu irmão não gostaram pq acharam o queijo muito forte. E pra começar, uma sopinha…

b14_1197x900

b15_1200x887

Ah, o prato é super bem servido, tem que ter muita fome pra comer tudo aquilo. (Também tem a opção da sopa goulash, mas como eu já tinha provado em Praga, dei preferencia pra conhecer outros pratos). E pra acompanhar a comilança, pedimos cerveja eslovaca, claro!

b16_1182x900

Seguindo o passeio, nossa próxima parada foi: atravessar o Michalská brána, um dos quatro portões que davam acesso a Cidade Antiga de Bratislava. Ali fica o marco zero da Eslováquia, ou seja, mostra todas as principais distancias no país e entre os países europeus com a Eslováquia.

IF

IF

IF

O centrinho de Bratislava é bem bonito, todo com ruas de paralelepipedo, e tem até algumas áreas que lembram um pouco de Praga.

IF

SONY DSC

IF

Muito perto dali, fica a Dóm sv. Martina ou a Igreja de São  Martinho, a principal igreja da cidade. Além de visitar a catedral, podemos visitar também um pequeno museu que fica em uma torre.

SONY DSC

Essa catedral levou séculos até ficar pronta, foi construida entre os seculos XIII e XVI, e foi tão importante que chegou a ser local de coroação dos Monarcas da Hungria. Também é possivel ver onde estão enterrados alguns desses reis hungaros, todos os que comandaram o país entre 1563 e 1830.

SONY DSC

A sua decoração interna não é tão pomposa como a Stephansdom em Viena, ou até mesmo a Catedral de São Vito em Praga, mas vale a pena conhecer!

SONY DSC

Pra ir de lá até a principal atração do país, o Castelo de Bratislava, tivemos que atravessar um viaduto. Dali é possivel ver o rio Danubio (finalmente) e bater foto da Nový Most, que literalmente significa a Ponte Nova. Ela chama atenção, pq em uma das suas extremidades fica um torre com um restaurante giratório, uma estação de radio e uma plataforma de observação, que mais parece um OVNI.

SONY DSC

A gente optou por não ir até lá e subir no deck de observação, mas agora pensando bem, deveriamos ter subido. A vista do Castelo de Bratislava deve ser super bonita lá do alto. Fica a dica!

IF

A maior atração do país, o Castelo de Bratislava (Bratislavský hrad) está localizado no alto de uma colina e assim como o Castelo de Edimburgo, domina toda a paisagem. Suas quatro torres brancas (onde 1 é diferente) são consideradas o símbolo da cidade (e do país).

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

Para ter acesso ao castelo, é só subir uma rampa. A vista do rio Danúbio lá do alto é super bonita e inclusive dá pra constatar que o Danúbio não é azul, e sim verde (que Johann Strauss não leia isso)! =D

SONY DSC

SONY DSC

O castelo que já foi uma fortaleza e já abrigou reis e rainhas, foi destruido durante a 1 e 2 Guerra Mundial, mas não faz muito tempo, ele passou por uma ampla reforma e está “brilhando” com a “nova pintura”.

SONY DSC

Atualmente o castelo abriga, além do Parlamento Eslovaco (que fica na mesma área), a sede do Museu Nacional Eslovaco. Como o proprio nome do museu já sugere, ele conta um pouco da história do país atraves de alguns objetos encontrados durante escavações pelo país.

SONY DSC

Na minha opinião, sendo bem sincera, eu esperava mais desse museu. Achei a decoração interna muito mais interessante do que a exposição em si. Achei também que eles poderiam ter explorado melhor a parte sobre o Divórcio de Veludo e toda a história mais recente do país e não só mostrar fotos, pinturas (principalmente) da cidade e do país em praticamente todos os anos de sua existência. A ala em que tem alguns objetos e escavações é bem pequena, no ultimo andar.

b26_1109x900

Através do ultimo andar também dá pra ter acesso a uma das torres, quem tiver coragem de encarar todos aqueles degraus super ingremes, boa sorte! Eu desisti da idéia só de olhar.

É importante dizer que o castelo só abre de terça a domingo, então todas as segundas-feiras ele estará fechado, obvio. Não dá pra bater fotos dentro do castelo.

SONY DSC

Como deu pra ver, Bratislava é bem compacta e as principais atrações podem ser vistas em apenas um dia, e o melhor de tudo, sem nenhuma pressa!

Obs.: Ah, e antes que eu me esqueça, a Eslováquia já faz parte da União Européia e também já utiliza o euro como moeda oficial.

** Se você gosta desse blog e quiser dar uma força reservando o hotel em Bratislava através do site do Booking, para iniciar as pesquisas, é  só clicar aqui. Obrigada!!! **

** Importante: Ao reservar um hotel através do site do Booking aqui pelo blog, será repassado uma comissão ao blog Contando as Horas **

Posts relacionados:

Como andar de trem na Áustria

Lista com todos os posts sobre Praga, Rep Tcheca

Lista com todos os posts sobre Viena, Áustria

Voando com as cias aéreas de baixo custo na Europa

Anúncios

Roteiro: EuroTrip 2012 – Post Indrodução

Esse ano demorou pra passar, nem acreditei quando finalmente o dia 16 de outubro chegou e com isso a nossa EuroTrip 2012 começou! Mesmo eu já tendo morado em Edimburgo e viajado bastante nesse período, eu tava super nervosa (muito nervosa mesmo), principalmente na semana que antecedeu a viagem. Não sei exatamente o pq, já que eu tinha organizado, reorganizado, verificado, verificado tudo de novo, mas mesmo assim sempre tinha aquela sensação de que eu estava esquecendo de salvar os arquivos no email ou de imprimir alguma coisa importante. Vai entender!

Bom, eu já tinha escrito um post sobre o que basicamente iriamos fazer por lá, mas claro que os ajustes finais no roteiro só seriam possíveis depois de checar a previsão do tempo, que quer queira ou não, é um dos fatores mais importantes dependendo da atividade fossemos fazer.

Nessa viagem também eu resolvi inovar em dois quesitos:

– Primeiro: comprei passagem, reservei hotel, comprei as passagens de trem, os shows, concertos, musicais, enfim, comprei tudo por conta própria, ou seja, eu não utilizei agência de viagem em nenhuma etapa da programação das nossas férias (exceto o seguro viagem). Talvez isso explique um pouco o pq do meu nervossismo em excesso, se algo saísse errado eu teria que me virar pra resolver tudo sozinha. Mas graças a Deus, deu tudo super certo!

– Segundo: viajar com apenas uma bolsa e uma mala que se enquadrasse dentro do perfil para levar como bagagem de mão. Pra mim essa viagem teve a duração de exatos 30 dias (incluindo a viagem a Edimburgo que eu acabei decidindo ir de ultima hora), então quando a viagem já estava chegando lá pelo 20º dia, eu não aguentava mais ver nenhuma das minhas roupas! Parece exagero? Mas isso é a mais pura verdade.

Zurique

Mas vamos ao que interessa, o roteiro. A ordem da viagem permaneceu a mesma, claro. Só que com a previsão do tempo checada, podemos definir o que seria feito em cada dia. Entao basicamente ficou assim:

– 4 dias na Suíça: no primeiro dia fomos para o Liechtenstein já que teoricamente era o unico dia que marcava sol, e como ficariamos a maior parte do tempo andando ao ar livre por Vaduz (a capital), achamos que seria uma ótima escolha ir lá primeiro. A noite assistimos uma apresentação de ballet na Opernhaus em Zurique. No próximo dia, resolvemos ir pra Lucerna e subir nos Montes Pilatus e Stanserhorn. No terceiro dia fomos para Berna, a capital da Suíça e no ultimo dia ficamos em Zurique.

Castelo de Vaduz

O trecho entre Zurique e Salzburgo (nosso próximo destino) nos fizemos de trem. E mesmo tendo comprado as nossas passagens no site da SBB, empresa de trem da Suíça, nos acabamos fazendo esse trecho com a OBB, que é a empresa austriaca. Esse trecho apesar de looongo, algo em torno de quase 5 horas, nos nem vimos o tempo passar. As paisagens são lindíssimas e pode até parecer um exagero ficar sentada por quase 5 horas dentro de um trem, mas nos estavamos dando graças a Deus em poder descansar os nossos pés por um tempo.

Stanserhorn

– 4 dias em Salzburgo: no primeiro dia fomos para Innsbruck e subimos no Nordkette. A noite fomos assitir uma apresentação de música clássica na Sala de Marmore no Palácio de Mirabel. No dia seguinte, resolvemos fazer uma loucura inexplicável, que só de lembrar fico lamentando que o resultado final não foi 100%. Daqui uns dias quando escrever sobre esse passeio, todo mundo vai entender direitinho o que aconteceu. No terceiro dia fomos até a cidadezinha de Wattens, que é onde fica o museu/loja/fábrica da Swarovski. No ultimo dia ficamos em Salzburgo.

Os ursos em Berna

O deslocamento de Salzburgo pra Viena nos fizemos de trem também, com a empresa OBB, que é austriaca. O trajeto entre Salzburgo e Viena é mais curto, são apenas 2 horas e 40 minutos.

Nesse dia que fomos de Salzburgo pra Viena, aproveitamos pra dormir até um pouco mais tarde e descansar um pouco. Chegamos em Viena era meia tarde (15:44) e o único compromisso do dia era assistir a um Ballet, Quebra Nozes, na Staatsoper (Ópera Estatal de Viena).

Innsbruck

– 5 dias em Viena: onde ficamos 4 dias inteiros em Viena e fizemos um day trip para Bratislava, na Eslováquia.

Como eu já tinha escrito aqui no blog, nessa altura das férias a viagem teve duas direções: meus pais, meu irmão e minha cunhada foram pra Praga e eu fui pra Munique. O deslocamento entre Viena – Munique e Viena – Praga foi feito de trem. O tempo de viagem entre Viena e essas duas cidades é praticamente o mesmo, 4 horas e 4 horas e 30 minutos, respectivamente. Ambos os trajetos foram feitos com a empresa Austriaca OBB.

Café Sacher

– 2 dias em Praga: meus pais, meu irmão e minha cunhada ficaram só em Praga mesmo. Todos eles adoraram a cidade. Como eu já tinha ido lá no meu aniver de 2010, eu preferi passar a vez e fui me aventurar em outras terras. Mais pra frente vem um post sobre o que eles fizeram por lá.

Bratislava

– 3 dias em Munique: na verdade eu fiquei dois dias em Munique, sendo que em uma das manhãs eu fui pra Dachau, pra conhecer o campo de concentração e no terceiro e ultimo dia eu fui pra Nuremberg.  O que eu “vi” em Dachau e Nuremberg são partes lamentaveis da história da Alemanha, mas apesar de tudo, ambos os lugares se completam e deu pra entender direitinho esse terrivel capitulo dessa história. Bem interessante!

Munique e Dachau

– 5 dias em Londres: desses 5 dias programados pra Londres, 4 dias eu fiquei inteiros na cidade, sendo que em dois desses dias eu fui no WTM, World Travel Market, uma das maiores feiras de turismo do mundo. Ainda consegui assistir o Musical Let it Be, que presta uma homenagem aos 50 anos dos Beatles. Já no outro dia fiz um day trip para Norwich, a cidade da mostarda inglesa! Claro que os 4 dias que passei em Londres mal deram pro gasto. Tá ai uma cidade que eu poderia passar o resto da minha vida que não faltariam opções do que fazer!

Chá das 17:00 na Harrods

E aos 47 minutos do segundo tempo eu mudei minha passagem de volta pro Brasil e peguei um trem rumo a Edimburgo, na Escócia!!!!!!! Nem acreditei que em menos de um ano depois de ter deixado a cidade pra voltar para o Brasil, lá estava eu de volta! Claro que eu não poderia deixar passar a oportunidade de voltar lá! Então, como eu já estava ali pertinho, resolvi aliar a desculpa de que o meu aniver estava próximo (dia 15 de novembro, feriadão no Brasil) e a super vontade de voltar lá, eu pensei: Pq não? Dei um jeito e organizei toda a programação no trem e quer saber? Como muita coisa eu já sabia como fazer, como organizar e tudo mais, foi bem tranquilo. As 4 horas e 22 minutos do trajeto entre Londres e Edimburgo passaram voando e graças a boa qualidade do wi-fi dos trens da East Coast eu consegui reservar todos os passeios! Mesmo tendo sido apenas 4 dias inteiros e um pela metade, o que significa que foi super hiper mega rápido, eu adorei ter voltado a minha 2 casa (ou seria 3 casa? Curitiba não pode ficar de fora)!!

A programação em terras Escocesas ficou assim: no primeiro dia fiz um day trip para St Andrews, no dia seguinte fui para a região chamada de The Borders e nos ultimos dias fiquei em Edimburgo.

Norwich Cathedral

No total foram 6 7 países (Suíça, Liechtenstein, Áustria, Bratislava Eslováquia, Alemanha, Inglaterra e Escócia) pra mim e pro restante do pessoal lá de casa foram 6 países. Apesar de a grande maioria deles serem vizinhos (exceto Inglaterra e Escócia), as diferenças culturais são enormes. A estrutura de aeroportos, estrações de trem, os proprios trens e o transporte publico em geral são espetaculares.

A unica reclamação que temos a fazer é que em muitos museus e restaurantes na Áustria e na Alemanha as legendas são apresentadas apenas em alemão, o que não facilita muito a nossa vida, né?!?!

St Andrews, na Escócia

Nossa opinião final sobre o nosso roteiro: Nos gostamos muito de conhecer todos as cidades por onde passamos. Montamos base em cidades estrategicas e tentamos aproveitar ao máximo nossos dias fazendo bate e volta. Essa foi a primeira viagem em familia que incluimos várias cidades no roteiro para um bate e volta. Hoje em dia depois de voltar da viagem e fazer aquela analise geral de tudo o que fizemos por lá, chegamos a conclusão que mudariamos apenas duas coisas nesse roteiro: precisariamos ter tido um dia a mais na Suíça e ao invés de ficar 4 dias em Salzburgo, nos deveriamos ter dividido essa parte da viagem da seguinte forma: 2 dias em Innsbruck e 2 dias em Salzburgo. Se fosse dessa forma teria ficado perfeito! Mas de qualquer forma, o importante é que deu tudo certo e nos aproveitamos muito!

Ah, e é claro que eu poderia ter ficado mais tempo em Edimburgo também, não seria nada mal, não é mesmo?!?!?! =)))

Obs.: Como já deu pra perceber, nos próximos meses vamos ter assunto de sobra aqui no blog!

Roteiro: EuroTrip 2012

Are yoooouuuu ready?? Please, prepare for take off!! =))

Nossa, nem acredito que esse dia chegou!!! Quando este post for ao ar, espero já ter desembarcado no aeroporto de Heathrow e já ter pego a minha conexão rumo a Zurique, na Suíça!

Claro que o plano inicial dessa viagem não incluia a minha pessoa, afinal, eu já tinha viajado toda a minha cota para os próximos 10 anos, segundo o meu pai. Mas seria impossível eu me conformar calada, bati o pé e consegui! Eu vou também! o/

Não teria a menor graça eu organizar toda a viagem pra eles, comprar todos os tickets e ficar de fora, não é mesmo?

Essa viagem vai ser em familia, portanto, estaremos em 5 pessoas no total, além dos meus pais e meu irmão, a minha cunhada vai também!

Nós resolvemos fazer trechos diferentes com cias aéreas diferentes pq apesar da viagem ser em familia, o final dessa viagem não vai ser o mesmo pra todo mundo.

Sendo assim, eu vou viajar de British Airways e o restante do pessoal vai de TAP. Ambos vamos precisar fazer conexão para chegar no nosso destino final (ou seria incial?) que será Zurique, na Suíça.

Então, o roteiro dessa viagem ficou assim:

– 4 dias na Suíça (na parte alemã do país), com direito a um day trip para o Liechtenstein. Ainda vamos assitir um espetáculo de ballet por lá também;

De Zurique vamos pegar um trem com a SBB até Salzburgo, na Áustria.

– 4 dias em Salzburgo, sendo que ficaremos 2 dias inteiros na cidade e nos outros dois dias faremos passeios pela região;

De Salzburgo até Viena vamos nos deslocar de trem também, dessa vez vamos com a empresa austriaca ÖBB.

– 5 dias em Viena, onde ficaremos 4 dias inteiros na cidade e um dia vamos para Bratislava, na Eslováquia. E realizando o sonho da minha mãe, vamos assistir um concerto na Sala Dourada, no Musikverein.

A partir desse momento, a viagem vai ter duas direções:

– meus pais, meu irmão e minha cunhada seguem para Praga, antes de pegarem o voo de volta ao Brasil;

–  e eu? bom, a minha viagem ainda não termina por aqui.. vem mais coisas por ai! No momento certo eu conto os detalhes!

Ah, e pra quem acha que o blog vai ficar as moscas nesse tempo da viagem, o blog não vai ficar abandonado não. Alguns posts estão programados para ir ao ar nos próximos dias. E o assunto? Edimburgo e Paris!!

Obs.: no decorrer da viagem, quando possível, eu vou atualizando o Facebook e o Twitter com as novidades!

%d blogueiros gostam disto: