Arquivo | Vinhedos RSS for this section

Vale Casablanca (Viñas Casa del Bosque, Indómita e William Cole)

Essas viñas não são tão famosas entre os brasileiros… pra falar bem a verdade, nunca tinha ouvido falar nelas até chegar no Chile. Experimentamos pelo menos um tipo de vinho de cada vinícola e resolvemos conhecer (exceto a Indómita)!! Todas elas ficam no Vale Casablanca, bem próximo a Santiago.

Vale Casablanca

A primeira parada foi na Viña Casa del Bosque como todas as outras, o tour começa nas plantações, depois passa pelo armazenamento e termina na lojinha onde estão a venda produtos como camisetas, chaveiros, canetas e quase todos os vinhos produzidos ali.

Viña Casa del Bosque

Viña Casa del Bosque

Viña Casa del Bosque

A próxima foi a Viña Indómita, resolvemos parar mais por causa da paisagem do que por qqer outro motivo (isso não quer dizer que os vinhos sejam ruins, até pq só experimentamos quando resolvemos fazer o tour). Como já era hora do almoço e lá tinha um restaurante, resolvemos arriscar.. digo arriscar, pq de fato o restaurante tem uma aparência bem moderna e sofisticada, porém a comida pro nosso gosto era um pouco “estranha”, muita coisa doce misturada com salgada, o que não ficou legal!!!!

Viña Indómita

Viña Indómita

A terceira e última visita do dia foi a Viña William Cole, gostamos muuuuito dos vinhos brancos (experimentamos em Viña del Mar e resolvemos conhecer).

Viña William Cole

Quando chegamos, os tour do dia já tinham terminado, mas tbm… depois de visitar tantas viñas, uma viña para outra não muda muita coisa, as plantações são iguais (muda um pouco a explicação de acordo com o tipo de uva), o armazenamento é praticamente o mesmo (isso na minha visão de leiga sobre o assunto), enfim… o que realmente interessava era a lojinha, e conseguimos pegar ela aberta e compramos algumas garrafas pra trazer pro Brasil!!!!!

Viña William Cole

A gente acha que o vinho chileno se resume apenas a Concha y Toro, acabamos nos surpreendendo com a grande quantidade de vinícolas e o melhor de tudo, de grande qualidade!!!!

Anúncios

Vale Casablanca (Viña Matetic) e Isla Negra

Queríamos conhecer uma viña que não fosse tão famosa aqui no Brasil e de boa qualidade então, Sr José sugeriu a Viña Matetic. Chegando lá, fomos direto conhecer o processo de produção, armazenamento, fizemos degustação de alguns vinhos e comprinhas também (de vinhos, é claro).

Vale Casablanca

Viña Matetic

na Viña Matetic

na Viña Matetic

Para chegar no restaurante e na pousada da Viña Matetic, passamos por uma estrada de areia. Não me recordo exatamente quantos quartos tem a pousada, mas eram poucos, em torno de 3 a 4 e o valor, uma pequena fortuna.

Restaurante da Viña Matetic

Restaurante da Viña Matetic

Viña Matetic

O restaurante é MARAVILHOSO, tanto pela comida, pelo atendimento e pela paisagem. É uma casinha, no meio de um lago, com patos e outros bichos soltos e com uma pontezinha para atravessar para ter acesso ao restaurante. Coisa de cinema!!!!!

Os vinhos mais conhecidos são os Corralillo (malbec e o chardonnay), experimentamos durante o almoço e compramos os dois, muito bons!

Corralillo Merlot Malbec – Viña Matetic

Corralillo Chardonnay -Viña Matetic

Na parte da tarde seguimos para Isla Negra (fica a 92 km ao sul de Valparaíso), onde fica uma das três casas de Pablo Neruda, não conheci as outras duas, mas pelo que vi no site, essa é a mais legal de todas!!! Está foi a primeira casa própria de Neruda e fica na Praia Las Gaivotas.

na Casa do Pablo Neruda em Isla Negra

Depois de comprar os ingressos, é feito o agendamento do tour, tivemos que esperar outros 3 tour na nossa frente, mas o lugar em si e a vista não deixaram a espera nenhum pouco entediante. O tour pela casa e exterior dura aproximadamente 40 minutos.

na Casa do Pablo Neruda em Isla Negra

Neruda adquiriu esse terreno por volta de 1938. Até então, ele era diplomata e vivia viajando pelo mundo sem endereço fixo.  Dizem que o nome atual do povoado, Isla Negra, teria vindo de inspiração do escritor, pois a idéia de construir sua habitação ali era a de ter seu canto de isolamento para concentrar-se em seu trabalho. O nome “Negra” teriam origem nas rochas escuras que ficam em frente à praia.

na Casa de Pablo Neruda em Isla Negra

Dentro da casa não é permitido fotos. A parte interna da casa é inspirada em um ambiente de um barco, com passagens baixas e tetos curvos. Neruda tinha várias coleções de objetos pessoais (garrafinhas, copinhos coloridos, entre outros). No exterior a vista da praia e dos rochedos é show! É ali também onde estão os corpos de Neruda e sua esposa Matilda. A guia que nos levou no passeio, foi o “espetáculo” a parte, com o seu jeito de falar!!

Viña Veramonte, Valparaíso e Viña del Mar

No caminho para o litoral chileno, fizemos duas breves parada, uma na Viña Veramonte só para conhecer (não fizemos tour e nem nada do tipo), apenas compramos 2 garrafas de vinho e a outra, num barzinho/lojinha na beira da estrada, para experimentar a famosa “chicha“, que é uma bebidinha de origem indígena (índios mapuches) meio estranha, resultado da fermentação do milho ou da uva… mas que vale a pena experimentar!!!

Viña Veramonte

Viña Veramonte

Seguimos para Valparaíso, que fica aproximadamente a 120 km de Santiago. Paramos na praça principal, Plaza Sotomayor, onde está o Monumento a los Héroes de Iquique, que presta uma homenagem aos mártires da Guerra do Pacífico. É um bom ponto de partida pra caminhar pela cidade.  Fomos direto pro porto ver os navios gigantes, containers e os “Buques de Guerra” mais importantes do Chile.. afinal, esse é um dos maiores portos da América do Sul!!!

Plaza Sotomayor em Valparaíso

Plaza Sotomayor em Valparaíso

Subimos um daqueles 42 morros que cercam a cidade (aquele que tem nas redondezas o Comando de Operaciones Navales), nesse em que fomos tem uma espécie de mirante pra apreciar a vista da cidade, do porto e o mar!!

Há outras atrações na cidade, como uma das casas de Pablo Neruda, La Sebastiana, o Congresso Nacional do Chile, o Museo Naval y Marítimo e os 15 ascensores (declarados monumento histórico do Chile) para subir até um de seus cerros, nesses lugares não entramos para visitar, apenas passamos rapidamente!

Valparaíso

Valparaíso

Valparaíso

Nosso almoço foi em um restaurante que parece um castelinho, logo na entrada de Viña del Mar.. chamado Castillo del Mar.

Logo após o almoço, aproveitando que o sol apareceu, fizemos um tour pela cidade, passando pelo Relógio de Flores, Palácio Brunet e por algumas praias da cidade!!

Viña del Mar

Viña del Mar

Viña del Mar

Viña del Mar

Viña del Mar

Paramos apenas no famoso Balneário de Reñaca. E ma volta, paramos no Museo de Cañones Navales, um museu a céu aberto de frente pra praia com vários canhões e objetos relacionados expostos em pleno calçadão!!

Uma rápida visitinha ao Museo Fonck (aquele que tem o Moai da Ilha de Páscoa na frente, aliás um dos 6 moais que estão fora da ilha (os outros se encontram no British Museum em Londres, no Louvre em Paris, em Bruxelas (???), no museu Smithsoniano e em La Serena), que mostra exposições sobre o patrimônio natural, arqueológico e etnográfico do Chile. Dentre as várias salas de exposições as que mais se destacam são as salas Rapanui e a Mapuche.

Museu Fonck em Viña del Mar

E pra finalizar o dia, como nunca havíamos entrado em um Cassino, resolvemos conhecer o de Viña Del Mar, mas confesso que não achei grande coisa não, não pelo Cassino em si, mas não achei graça de ficar jogando naquelas maquininhas e muito menos ganhei alguma coisa!!! =)

Concha y Toro e Cerro San Cristóbal

Era véspera de Natal.. seguimos logo cedo rumo ao Vale del Maipo para fazer o Tour na Viña Concha y Toro , uma das mais famosas do Chile. O Vale tem esse nome, pq é por onde segue o Rio Maipo, esse rio é formado principalmente pelo degelo da Cordilheira dos Andes. Nesse Vale estão as mais antigas viñas do país, além da Concha y Toro que já citei, tem também Santa Carolina, Tarapacá, Undurraga, Santa Rita e várias outras (citei apenas as que já ouvi falar ou  que já experimentei os vinhos).

Vale del Maipo

Chegando lá, fomos comprar as entradas e o próximo tour era só as 11:00. O tour é breve, em torno de uns 40 minutos e começa com um pequeno passeio pela propriedade, pelo casarão da família e seguimos para ver as plantações, com explicações sobre cultivo, clima, tipo de uvas, processo de armazenamento e degustação de alguns vinhos, se não me engano foram 3  no total (Terrunyo, vinho branco; o famoso Casillero Del Diablo, Marque Casa Concha). Nesse Vale, a principal uva cultivada é a Cabernet Sauvignon!!

Vinho Concha y Toro

O vinho Casillero del Diablo tem uma história interessante, a “lenda” existe pq Don Melchor guardava algumas garrafas de vinhos para festas e datas importantes em um galpão e essas garrafas começaram a desaparecer e para evitar novos sumiços, ele começou a espalhar a história de que haveria um “diablo” cuidando de seus vinhos.

Viña Concha y Toro

Viña Concha y Toro - Casillero del Diablo

Viña Conha y Toro - Casillero del Diablo

Seguimos para o Cerro San Cristóbal, é possível subir a pé, de carro e funicular. Para ter acesso, é necessário pagar a entrada, o valor é simbólico, em torno de 3,00 dólares!! Lá tem o Zoológico Nacional na base do morro e no topo está o Santuário de La Inmaculada Concepción, com a estátua da Virgem Maria. A estátua tem aproximadamente 36 metros de altura e é toda pintada de branco e pode ser vista de vários lugares da cidade. É deste Cerro que se tem uma das melhores vistas da capital chilena e da Cordilheira dos Andes.

Vista do Cerro San Cristóbal

Vista do Cerro San Cristóbal

Cerro San Cristóbal

A ceia de Natal foi no Hotel Kennedy, o restaurante fica logo na entrada do edifício, no térreo. A ceia é servida a francesa. A melhor parte ficou por conta dos camarones equatorianos e os vinhos chilenos, é claro!!!!

%d blogueiros gostam disto: