Londres: Teleférico Emirates Air Line

Londres é uma daquelas cidades cheias de coisas pra fazer e mesmo assim, a cada ano que passa sempre aparecem coisas novas pra visitar. Dessa vez, a mais nova atração de Londres atende pelo nome de teleférico Emirates Air Line, inaugurado em junho desse ano.

IF

O local escolhido para sua construção foi a região leste da cidade, sendo assim, o teleférico atravessa o rio Tâmisa ligando a O2 Arena (na margem sul) ao ExCel Exhibition Centre (na margem norte).

IF

Como eu tava no WTM, que estava acontecendo no ExCel Exhibition Centre, aproveitei pra dar uma fugidinha e fui conhecer o teleférico.

IF

A estrutura no geral já chama atenção tanto pela modernidade quanto pelo tamanho. Impressionante aqueles 3 pilares que sustentam os cabos por onde passam os teleféricos.

→ Comprando o ticket

O ticket pode ser comprado de três maneiras: nas máquinas, com o Oyster Card ou nos guiches de atendimento em ambos os terminais (sul e norte).

IF

Quem tiver o Oyster Card (como no meu caso), também pode usar. É só chegar em qualquer um dos terminais e se digirir direto pra entrada, passar o Oyster pra liberar a catraca e entrar na primeira cabine livre que aparecer. Muito simples!

Quem não tem o Oyster, deve ir nas máquinas ou no guiche de atendimento e comprar o ticket.

IF

IF

Obs.: quem estiver usando o Oyster Card (Oyster Pay as you go Fares), ganha um desconto no valor da tarifa. O valor fica em 3,20 libras cada trecho. Já quem não tem o Oyster vai pagar por cada trecho o valor de 4,30 libras (Boarding Pass Fares).

IF

→ Tipos de viagem

Existem dois tipos de viagem: por trecho (ao chegar do outro lado do rio Tamisa, dá pra sair do teleférico e conhecer a região) ou 360 Tour (que dá a volta completa, sem direito a descer da cabine na estação no outro lado do rio).

IF

IF

→ O passeio

Eu peguei o bondinho na estação Emirates Royal Docks – North, como já disse no inicio do post, apenas me dirigi a catraca, passei meu oyster e segui viagem. Na ida, eu dividi a cabine com mais dois rapazes britânicos (pelo sotaque).

IF

IF

Enquanto eles conversavam sobre a engenharia e como tudo foi construido, eu aproveitei pra escutar um pouco da história enquanto batia minhas fotos.

O passeio é bem rapidinho, em questão de 5 minutos eu já tava desembarcando no outro terminal, o Emirates Greenwich Peninsula – South.

O Parque Olimpico lá no fundo

O Parque Olimpico lá no fundo

A estrutura é impressionante, tudo é muito gigantesco, e nem poderia ser diferente. São três torres que permitem que as cabines circulem pra lá e pra cá. No ponto mais alto do passeio, o teleférico chega a 90 metros de altura.

Aeroporto London City

Aeroporto London City

Pra quem já teve oportunidade de andar nos teleféricos das estações de ski, é mais ou menos a mesma sensação, só que ao invés de montanhas cheias de neve, vemos Londres 360 graus!

O2 e Canary Wharf

O2 e Canary Wharf

As cabines são bem espaçosas e tem bancos em cada lado. Não é permitido ficar em pé durante a travessia. Tem um aviso bem grande na porta alertando os passageiros sobre esse detalhe.

IF

Então, como eu não tinha pego o ticket 360 Tour, eu pude sair da estação e aproveitei pra dar uma caminhada por ali. Saindo da estação, a pouquissimos metros fica o O2 Arena, uma arena multiuso (onde acontecem show, jogos de tênis, entre outros) e que tem um monte de restaurantes também. Já que tava ali, fiz um lanchinho rapido e voltei pra estação pra fazer o restante do trajeto.

IF

→ Vale a pena o passeio?

Quando eu cheguei no terminal pra pegar o teleférico, ele tava bem vazio. A maioria das cabines seguem indo e vindo vazias. A vista é legal, dá pra ver (e conhecer) uma area de Londres que normalmente a maioria das pessoas passam batido. Essa é uma area que está em constante construção e reforma. Lá do alto a gente não vê nenhuma das grandes atrações de Londres, mas alguma coisa dá pra ver bem de longe, como por exemplo a região de Canary Wharf, a The City e o Parque Olimpico. Também dá pra ver os aviões pousando e decolando do Aeroporto de London City. Dá pra ver a Thames Barrier, as estruturas que podem regular a quantidade de água no Tamisa, evitando assim enchentes e “só”! Claro que a estrutura toda que foi montada impressiona, mas no geral, eu acho que dá pra deixar o teleférico em segundo plano em uma viagem, principalmente quem estiver indo à Londres pela primeira vez!

Reparem nas histórinhas

Reparem nas histórinhas

→ Outras considerações

Quem não estiver pela região, pode chegar facilmente até qualquer um dos dois terminais do teleférico através do metro, DLR e barco.

IF

Um detalhe importante que o site do teleférico já avisa é que, se tiver chovendo muito ou ventando muito forte, o teleférico para de funcionar. Somente quando as condições climáticas votarem ao normal, o teleférico volta a funcionar.

IF

Funciona todos os dias da semana e dependendo da época (verão ou inverno) os horários de abertura e fechamento variam, então é sempre bom dar uma olhadinha no site pra não ter nenhum problema.

Obs.: Só como curiosidade, o custo da obra foi de 60 milhões de libras que foram pagas pela cia aérea Emirates. Então tá explicado o pq desse nome, né?!?! =)

Anúncios

Tags:, , ,

About Bruna Bartolamei

Depois de morar por quase 2 anos em Edimburgo, na Escócia e ter viajado por mais de 32 países, estou de volta ao Brasil com muitas histórias pra contar!

Deixe seu comentário, sugestão ou crítica!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: