Utilidade: Usando o Liberty Passport da Tim na Europa

Hoje em dia é muito dificil conseguir ficar sem usar o celular e consequentemente a internet em uma viagem. Até pq, todo mundo “precisa” checar os emails, enviar fotos, mandar mensagem e fazer ligações e eu não sou exceção a essa regra!

A principio eu tinha pensado em usar esse plano da TIM somente na Suiça, onde a gente ficaria apenas 4 dias e deixaria pra comprar um SIM card local na Áustria onde o tempo da nossa viagem seria maior, por volta de 9 dias.

Primeiro de tudo, aqui vão três coisas importantes: meu plano da TIM aqui no Brasil é pós pago, eu tenho um Iphone 4S e eu usei o celular na Europa basicamente para ter acesso a internet, fazer uma ou outra ligação e mandar mensagem de vez enquando.

Conexão 3G no centro de Londres!

Conexão 3G no centro de Londres!

Então, como eu já contei nesse post aqui, nessa viagem eu passei pela Suiça, Liechtenstein, Áustria, Alemanha e Reino Unido (Inglaterra e Escócia).

Nesse post vou contar como foi a minha experiência em usar o TIM Liberty Passport nem cada um desses países.

Antes de mais nada, eu não tive que ligar em nenhum lugar como sugere o site da TIM pra habilitar o roaming internacional no meu celular. Na verdade, isso já estava habilitado e o que eu precisei fazer foi ligar pra TIM e ver como eu desabilitava essa opção, pq eu não tinha necessidade de usar isso todos os dias durante a viagem.

Quem tiver um iphone 4S assim como eu, é só ir em configurações e habilitar ou desabilitar a opção roaming internacional. É somente nesse lugar que vamos saber se estamos com o roaming habilitado ou não. Sempre que o roaming estiver habilitado, a TIM envia uma mensagem avisando os valores e a hora que inicia as 24 horas de prazo que estamos pagando.

Ligações:

Eu fiz umas 4 ou 5 ligações pro meu pai quando estava comprando os whiskys pra ele la no Reino Unido. No geral a ligação estava boa, poucas vezes deu alguma falha e não caiu nenhuma vez (um milagre!).

Torpedos:

Usei umas 3 ou 4 vezes (no máximo) os torpedos, só pra avisar que meu trem partindo de Edimburgo estava no horário, que eu tinha chegado em Londres direitinho e que meu voo estava saindo de Londres para o Brasil no horário também. Todas as vezes os torpedos foram de primeira (coisa que não acontece aqui no Brasil, que quase sempre eu tenho que renviar (umas 18 vezes, mais ou menos) e logo em seguida eu recebia resposta do meu pai.

Internet:

Usei pelo menos 1 dia em cada país que eu visitei. Uma coisa que eu achei bem ruim é que logo que eu habilitava o roaming, a conexão era bem rapidinha, mas quando eu recebia uma mensagem avisando que a velocidade tinha sido reduzida, vixi, dai não tinha cristo que fizesse algumas coisas funcionarem de primeira.

Na Suiça e Liechtenstein foram os lugares onde eu acabei usando mais, pq como tinhamos que pegar milhões de trens durante nossos bate-volta, eu precisei da internet pra entrar no aplicativo da SBB pra checar os horarios e tal. No geral, eu achei que a internet funcionou super bem, tanto no aplicativo, quanto pra checar emails, mandar fotos no twitter e entrar no facebook.

Na Áustria eu não usei todos os dias, mas nos dias que usei a internet não funcionou muito bem. Era super lenta, não conseguia enviar nada de primeira, tinha que ficar reenviando tudo a cada pouco. Então, achei que não compensou muito e acho que foi justamente por isso que não usei tanto.

Na Alemanha, em Munique, a conexão era horrivel. Como eu já vinha com a conexão do dia anterior da Áustria, eu acabei por não renovar por mais 24 horas e deixei o roaming desligado o tempo todo. Eu usei bastante a internet do hotel que era gratuita e ainda encontrei internet wi-fi grátis em algumas atrações turisticas, então facilitou bastante a comunicação nesse sentido.

Em Londres, a conexão 3G só funcionava super bem no centro da cidade. No WTM e pro lado leste de Londres não consegui conexão nenhuma vez. Então, praticamente não usei o roaming em Londres. No hotel em que me hospedei o wi-fi era free, então geralmente a noite eu aproveitava pra enviar fotos, olhar meus emails e falar com o pessoal no twitter e facebook.

Já em Edimburgo eu não usei o roaming nenhum dia. No hotel que me hospedei também oferecia internet wi-fi gratuita, então era a noite que eu me atualizava dos acontecimentos do mundo virtual.

Em resumo

Agora que a fatura chegou e eu vi o valor da conta (que foi menos de 200,00 reais), eu achei que até valeu a pena. Assim, aproveitei a viagem e não fiquei 24 horas pendurada no celular.

Claro que eu não habilitei o roaming todos os dias, pq sabia que a fatura poderia vir com um valor bem elevado. O negócio é sempre tentar ver onde tem uma rede wi-fi free e ir usando conforme der ou aproveitar o wi-fi free do hotel à noite.

Então, se realmente valeu muuuito a pena eu não sei muito bem, mas ao menos eu consegui me conectar com o mundo por alguns dias e não fui a falência.

Anúncios

Tags:

About Bruna Bartolamei

Depois de morar por quase 2 anos em Edimburgo, na Escócia e ter viajado por mais de 32 países, estou de volta ao Brasil com muitas histórias pra contar!

Deixe seu comentário, sugestão ou crítica!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: