Utilidade: Planejando uma Viagem Internacional

Pensando em fazer uma viagem internacional? É importantíssimo levar em consideração muitas coisas, mas até você de fato comprar a sua passagem, 3 coisinhas são essenciais:

Começar a ler revistas de viagem, sites dos maiores jornais do Brasil praticamente todos tem uma parte dedicada somente ao tema “Viagens”, ler blogs de viagens, conversar com pessoas que já viajaram e por ai vai. Porque? Pq são essas leituras que vão ajudar no planejamento da viagem. Se o destino for Londres, Paris ou Nova York, que todo mundo tá cansando de saber o que existe por lá, ok. Mas e se for um destino menos comum, como por exemplo a Irlanda do Norte ou a Polônia? Qual é a melhor época para viajar para esses lugares? Onde se hospedar? Quanto guardar de dinheiro para gastar nesses lugares? E o principal.. quanto tempo devo ficar em cada cidade e/ou país? Já parou pra pensar em tudo isso? Você já tem todas essas respostas?

Outra coisa importante que eu devo te alertar é que se você ainda não tem um passaporte, é melhor correr e agendar logo a sua visita na Polícia Federal;

Ai sim, fica mais fácil começar a organizar uma viagem internacional, mas para os destinos que não exigem vistos dos brasileiros.

Foto retirada do site vesoloski.eti.br

Então pra facilitar a vida de todo mundo, resolvi criar uma nova Coluna do blog chamada “Utilidade” com o primeiro tema “Planejando uma viagem internacional”. Aqui vai um passo a passo do que deve ser levado em consideração antes de comprar aquela passagem com precinho inacreditável que você viu por aí.

♣ Tempo ♣

Uma das coisas que mais costumamos ter dúvida na hora de começar a organizar a tão sonhada primeira viagem internacional é sobre uma questão bastante simples: o tempo. Com quantos meses de antecedência eu devo começar a programar a minha viagem? Eu vou te dizer que depende de qual vai ser o destino!

Veja bem, pra organizar uma viagem a qualquer um dos nossos países vizinhos não é necessários meses e meses de antecedência, até pq não existe nenhuma “dificuldade” em ir até lá. Dependendo do país, nem é preciso ter o passaporte em mãos, pq é possível visitá-los apenas com o nosso RG.

Agora se o destino for o Estados Unidos, Canadá, Austrália, Japão, China ou o México, só pra citar alguns exemplos, será necessário um visto! Alguns são feitos rapidinho, como o caso do visto de turismo da Austrália e Canadá, que é só preencher a papelada, juntar os documentos e enviar pro Consulado/Embaixada aqui no Brasil e geralmente em menos de 30 dias, o passaporte é devolvido com o visto!

Porém se o destino for os Estados Unidos, é necessário um pouco mais de tempo. Muitas vezes, só o tempo de espera pra conseguir um lugar pro visto já passa de 30 dias. Agora com as novas regras para tirar o visto, parece que simplificou um pouco o processo, mas mesmo assim, é bem aconselhado ter muito tempo de folga pra fazer tudo com calma e sem esquecer de levar em consideração os dias que são necessários contabilizar até receber o passaporte com o visto em casa.

E se o destino for alguns países da America do Sul, América Central, Ilhas do Caribe, Ilhas do Indico, países da Ásia e Oriente Médio em geral, além de verificar a necessidade de visto, também será necessário se vacinar. A grande maioria dos países exigem apenas vacina contra a febre amarela, porém existem países que exigem mais vacinas, é sempre bom se informar direitinho.

Viu só?!? É dificil definir o tempo de antecedência, pq esses fatores nós simplesmente não podemos deixar de lado.

♣ Tempo – para quem já tem passaporte, visto e vacinas em dia ♣

Não querendo desanimar, mais hoje em dia a demanda no mercado de turismo está infinitamente superior a oferta. O que isso quer dizer exatamente? Que as opções oferecidas de passagens, hotéis, passeios e eventos são “poucas” comparada com a demanda de viajantes principalmente de uns 2 anos pra cá.

Então por exemplo, você que quer muito passar o Natal e Ano Novo em Nova York, já comprou a sua passagem por um precinho camarada com uma boa antecedência e não se preocupou mais com isso, e deixou pra ver os “outros detalhes” da viagem com apenas 30 ou 40 dias antes da data de embarque, olha você pode até achar um hotel em Nova York, mas certamente ele não será bem localizado, e muito provavelmente você vai até conseguir um ingresso para um museu (enfrentando filas quilometricas no frio), mas corre um sério risco de ficar sem ingresso para ver um show, musical ou qualquer outro evento de final de ano!

Então o meu conselho é simples, comprou as passagens, logo em seguida já reserve os hotéis e comece a pesquisar os shows e musicais também. Muito dificil os preços sofrerem quedas que nos façam morrer de ódio e arrependimento.

♣ Definindo o roteiro ♣

É outro assunto que é dificil criar uma regra, pq pra todas as perguntas relacionadas ao roteiro da sua viagem, a melhor resposta com certeza será: “depende”.

Primeiro é necessário definir o continente, a viagem será pra Europa (com infinidade de países e culturas)? Será para África? Américas? Ásia? Oceania? Quais são os países que eu pretendo visitar? Escolhido os países.. quais são as cidades imperdíveis desse lugar?

Normalmente quem viaja pra Europa, as capitais são sempre ótimas opções, porém quem pretende viajar para os Estados Unidos ou Canadá ou Austrália, muitas vezes as capitais não são o foco principal, até pq normalmente as cidades mais visitadas costumam ser as cidades com maior população, como é o caso de Nova York, Vancouver e Melbourne.

Algumas cidades, como Londres, Paris ou Nova York, nós poderiamos passar uma vida inteira que ainda assim iria faltar tempo pra visitar e conhecer tudo o que elas podem oferecer.

Mas pra nossa sorte, nem todas as cidades são assim, então algumas cidades podem ser visitadas em 2 ou 3 dias e muitas outras podem ser visitadas em apenas um dia.

É nessa hora que um mapa vai ajudar e muito a definir o roteiro. Algumas cidades, como por exemplo Milão, em 2 dias inteiros dá pra visitar tranquilamente o principal, porém se vc se interessar em conhecer cidades que ficam a uma curta distância (no máximo 2 horas e meia de trem) de Milão, pq não aumentar a quantidade de dias e apenas sair despreocupado (sem pensar nas malas) e conhecer essas cidades (como um day trip)?

♣ Passagem aérea ♣

A primeira coisa que vai definir que você finalmente vai viajar é quando você comprar a passagem aérea. Eu sempre acho mais sensato comprar a passagem em agência de viagens, por dois motivos:

Primeiro: se acontecer qualquer coisa que você precise cancelar ou alterar o bilhete, o ideal é ter uma “pessoa fisica” a quem recorer. Explico: se você comprar no site de empresas como a Decolar, Submarino ou seja lá onde for, você certamente vai ficar horas e mais horas pendurado no telefone (isso quando conseguir falar com alguém) para fazer esse procedimento. E com certeza você não vai ter um escritório físico pra ir lá solicitar essa alteração ou cancelamento, já que esses sites pertencem a modalidade de “agências de viagens virtuais”. Já por outro lado, ao fazer a compra do seu bilhete aéreo através de uma agência de viagem, você tem uma pessoa a quem recorrer que vai te atender em questão de minutos quando você ligar ou for pessoalmente na Agência de Viagem.

Segundo: hoje em dia como está muito frequente as greves de funcionários de empresas aéreas, imagine você lá no aeroporto em Madri, louco pra voltar pra casa, mas a Ibéria cancelou todos os voos pelos próximos 5 dias, o que você vai fazer? Ligar para a tua agência de viagem, que vendeu o teu bilhete! E vai pedir pra eles verem outra alternativa com outra cia aérea e quando não exisitir essa opção pq os voos das outras empresas estão lotados, eles podem fazer uma reserva de emergência em algum hotel para que você não precise ficar morando no aeroporto de Barajas por uma semana, a não ser que você não se importe, é claro!

E para outros assuntos relacionado a passagens aéreas, até pq é impossível abordar sobre tudo, um post que eu achei muito esclarecedor foi esse aqui que o Ricardo Freire do site Viaje na Viagem escreveu sobre algumas coisas que devemos levar em consideração antes de comprar uma passagem internacional.

♣ Acomodação ♣

Até alguns anos atrás as formas de acomodações eram relativamente limitadas. Exisitiam hotéis, hospedagem em casas de familia em regiões muito remotas e só. Hoje em dia as opções são infinitas, é possível se hospedar em: hotéis, B&B e pousadas, pra quem busca mais privacidade e conforto. Existem ainda os albergues (hostels) pra quem não se importa em dividir quarto com pessoas que nunca viu na vida e que normalmente vai dividir banheiro e vai ter que aturar barulho dos outros.

Hoje em dia não existe muita regra pra garantir bons preços. Antigamente, quem reservava com muita antecedência conseguia melhores preços, porém de uns tempos pra cá, muita coisa mudou e as vezes, quem arrisca a deixar pra ultima hora a reserva do hotel, muitas vezes consegue preços inacreditáveis. Mas ai vai de querer arriscar, né? O que eu não aconselho!

Ainda é bom levar em consideração que algumas cidades como Paris, Londres, Roma e Nova York é alta temporada o ano inteiro. Normalmente o fluxo de turistas indo pra esses lugares é enorme e ainda devemos levar em consideração eventos em paralelo, como feiras de turismo ou de moda, que fazem com que as opções de acomodações se tornem um pesadelo. Eu digo isso por experiência própria. Quando fui a Milão em outubro de 2010, nessa mesma epoca tinha uma feira super importante e os hotéis estavam todos lotados, em resumo, eu tive que ficar em uma cidade próxima a Milão, que nem lembro o nome da cidadezinha, pq demorei muito pra reservar (leia: reservei com 3 meses de antecedência) e eu não tinha nem idéia de que Milão teria essa feira na mesma época. Fica a dica! Reserve o quanto antes o hotel, pq arriscar e querer preços arrebatadores de ultima hora e sem conhcer bem o que costuma rolar em determinada cidade, pode custar caro (sem falar no desperdício de tempo no deslocamento)!

♣ Passeios ♣

Agora vem a parte mais legal de toda a viagem, organizar os passeios que vamos fazer, as atrações que vamos visitar, enfim, é nessa hora que a viagem começa a se moldar. Algumas atrações são inevitáveis, como por exemplo a Torre Eiffel ou a London Eye, queria seria louco de ir a Paris e Londres e não visitar esses lugares?

Uma boa notícia é que de uns tempos pra cá, muitos monumentos e museus resolveram facilitar a nossa vida. Através de seus sites oficiais, é possível comprar muitos ingressos de forma online, ou seja, pela internet mesmo. A garantia de não enfrentar fila é um bom atrativo, e olha, o que eu puder comprar pela internet, eu compro. Odeio perder tempo em filas, até pq não dá pra esquecer que o tempo é a coisa mais importante e não podemos desperdiçá-lo em nossa viagem.

♣ Seguro Internacional de Viagem ♣

Esse é o único item da lista que podemos deixar pra ultima hora. Ao contrário das passagens aéreas, o seguro saúde não exige que você emita com décadas de antecedêcia, isso pq ele não se esgota. O ideal é emitir pelo menos 20 dias antes da viagem. E por favor, não seja louco de querer economizar no seguro de viagem, pq a gente nunca sabe o que pode acontecer no exterior.

Também é recomendado checar junto ao cartão de crédito essa questão do seguro internacional de viagem. Muitos cartões oferecem ao cliente como um “bônus” essa opção. Então, verifique se esse não é o seu caso! Ah, e veja também como é o procedimento para utilizá-lo em caso de necessidade. Qualquer dúvida, é melhor esclarecer antes da viagem, com calma e aqui no Brasil ainda.

No caso da Europa, os países (quase todos) que fazem parte do Acordo de Schengen exitem um seguro com cobertura mínima de 30 mil euros para que o turista consiga entrar no país. Como muita gente sabe, a maioria das vezes, ninguém verifica isso e muita gente acaba não fazendo para uma segunda ou terceira viagem. Mas lembre-se, o ato de emitir o seguro saúde não deve ser só pra mostar pra alguém se caso for solicitado, pense que uma radiografia, um medicamento ou até uma consulta em outro país pode custar uma fortuna, e se você tiver o azar de precisar de um deles, o barato pode custar caro, muito caro!

♣ Dinheiro e Cartões de crédito ♣

É altamente recomendado levar um pouco de dinheiro e pelo menos um cartão de crédito internacional (verifique se o seu cartão é internacional com o seu banco). Mas ainda é mais recomendado ainda, pagar as passagens e hotéis enquanto você ainda está no Brasil, pra fugir da taxa do IOF que vem sendo aplicada em pagamentos feitos no exterior.

No caso da Europa, nem todos os países utilizam o euro como moeda oficial, como muita gente pensa. Veja o caso do Reino Unido onde a moeda é a libra, a Noruega utiliza a Coroa norueguesa, a Polônia utiliza o Zloty, a moeda oficial da Croácia é a Kuna, a Rep Tcheca utiliza ainda a Coroa tcheca e assim por diante.

Logicamente, que muitas dessas moedas é impossível conseguir trocar ainda aqui no Brasil, então o mais indicado é levar euros. Chegando no aeroporto, é recomendado trocar só um pouco de dinheiro, apenas para pagar as despesas imediatas, como por exemplo o táxi ou o bilhete de trem/metro até o centro da cidade. Normalmente as cotações oferecidas pelas Casas de câmbio no centro da cidade costumam ser muito mais vantajosas.

♣ Outras considerações ♣

Pra quem pensa que organizar uma viagem é tarefa fácil, deu pra notar que não é não. E se você pensa que já pode viajar tranquilamente, aqui vão mais algumas coisinhas que é importante ter conhecimento:

Nunca viaje com dinheiro contado. A gente nunca sabe o que pode acontecer, ultimamente, caos aéreo causado por fumaça de vulcões,  cancelamento de voos devido a greves de funcionários de cias aéreas, são exemplos que podem exigir alguns gastos extras.

Novamente: não esqueça de verificar se o teu cartão de crédio é internacional. Já soube de histórias de pessoas que foram pra Montevidéu ou Buenos Aires e se lascaram pq não conseguiram usar o cartão de credito.

Tenha conciencia ao usar o cartão de crédito no exterior, além das taxas, diferentemente do que acontece aqui no Brasil, nenhuma compra pode ser parcelada.

Muitas pessoas acham que é indispensavel alugar um carro pra conhcer melhor uma determinada região ou país, então é bom verificar junto ao Detran a necessidade e os procedimentos para conseguir a carteira internacional de habilitação. Ah, leve em consideração também que alguns países dirigem em mão contrária a que nós dirigimos aqui no Brasil, como é o caso do Reino Unido, por exemplo. Também pesquise sobre as regras de transito no país escolhido, as regras de transito (pedágios, taxas, faróis acessos) não são universais, portanto, cada país tem a sua.

Menores de idade desacompanhados precisam de uma autorização especial para viajar, mesmo que esteja acompanhado somente pelo pai ou pela mãe. Então é bom soliticar essa autorização o quanto antes.

Não esqueça de levar uma mini-farmácia com os principais medicamentos, como antibióticos, anti alérgico, anti inflamatório, entre outros.

Leve em consideração as estações do ano. Não menospreze o frio na Europa, principalemnte nos países nórdicos, leste europeu e a Rússia. Também não faça pouco caso do calor na Itália, Croácia e nos países africanos.

E por ultimo, é sempre bom saber o endereço do consulado brasileiro, em caso de qualquer emergência, pelo menos um telefone de graça dá pra usar!

Então é isso, agora com tudo esclarecido, é só aproveitar a sua viagem e não se esqueça do famoso lema dos viajantes “Quem converte não se diverte”!

Anúncios

Tags:,

About Bruna Bartolamei

Depois de morar por quase 2 anos em Edimburgo, na Escócia e ter viajado por mais de 32 países, estou de volta ao Brasil com muitas histórias pra contar!

7 responses to “Utilidade: Planejando uma Viagem Internacional”

  1. Diogo Avila says :

    Bruna, Bom dia.
    Atualmente para a Austrália, o visto é solicitado eletronicamente no site da embaixada (não precisa mais enviar o passaporte). Eles te mandam um e-mail e documento para ser apresentado às autoridades. A própria cia aérea terá uma cópia disto num sistema próprio.

  2. Dani says :

    Oi Bruna, estou com viagem marcada para novembro e essa será minha primeira viagem internacional. Estou indo com minhas amigas para Paris, Bruxelas e Amsterdã. Queria saber o que vc acha sobre comprar ingressos e passeios em Bruxelas e Amsterdã? Imagino que seja mais tranquilo que Paris, não tenho muita certeza. Obrigada, Dani

    • Bruna says :

      Oi Dani,
      Realmente os passeios em Bruxelas e Amsterdam são bem mais tranquilos, mas também não tanto. Por exemplo o Museu do Van Gogh em Amsterdam, tem filas quilometricas, é bom já comprar ingresso antecipado. Eu sempre parto do seguinte principio (independente da cidade): quero muito visitar determinado lugar? se tiver venda online, já compro. Assim, se tiver ou nao fila la na hora, eu não perco tempo com isso. =)

      • Dani says :

        Oi Bruna,
        Obrigada por todas as respostas, já estou providenciando meus ingressos.
        Meus parabéns pelo blog, continuei lendo outros posts sobre Paris e Amstedã e adorei

  3. Elainy says :

    Oi Bruna!
    Parabéns pelo blog. Leio sempre e já aprendi muito com você, que escreve e informa sempre de maneira clara e agradável. Show!!!

    • Bruna says :

      Oi Elainy,

      Obrigada!!! Fico feliz que o que escrevo aqui esteja te ajudando. Algumas coisas tive que pesquisar muuuuito pra aprender, fora tudo que a gente realmente só aprende na prática!
      =))

Deixe seu comentário, sugestão ou crítica!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: