24 horas em Milão!

Sempre ouvi falar que Milão era uma cidade business total e que tinha poucas atrações turísticas pra visitar. Nos meus planos de aproveitar ao máximo cada final de semana durante meu intercâmbio, achei que seria legal ir à Itália pra sentir um pouco do clima festivo dos italianos e ver de perto como é o país do qual tenho decendência.

As opções partindo de Edimburgo para a Itália com a Easyjet eram bem reduzidas, e a unica cidade que achei que conseguiria dar conta em um unico final de semana seria Milão!

Muito se enganam as pessoas que acham que Milão não tem nada tão turistico e acabam deixando a cidade pra segundo plano. Enquanto eu organizava esse viagem, descobri mil coisas pra fazer por lá e olha que não foi fácil priorizar.

Minha primeira parada foi a Basílica Santa Maria delle Grazie, para ver a Ultima Ceia de Leonardo da Vinci, como eu já contei nesse post aqui. Tive muita sorte de conseguir comprar um dos ingressos que são super disputados!!

Dali, segui caminhando até a Piazza Duomo, onde fica um dos principais simbolos da cidade, o Duomo! E realmente o Duomo é impressionante! Não é atoa que é a quarta maior Catedral de toda a Europa. Seu estilo gótico é inconfundivel e ao ver de perto todos aqueles detalhes, estátuas e torres dá pra entender pq ela demorou mais de 400 anos pra ser construída.

Pra quem quer ver de perto todos esses detalhes das torres, é possível visitar o seu terraço. O ticket pode ser comprado no site e existem basicamente dois tipos de ingresso: pra subir a pé pelas escadas (mais barato, obvio) e de elevador (na época paguei 11,00 euros)! A diferença entre os tickets é até consideravel, mas depois do trauma nas escadarias da York Minster, em York.. achei que valia a pena pagar um pouco mais e ir de elevador!

O voucher que a recebi no email, deve ser trocado. E pra evitar o corre-corre pra lá e pra cá, já vou explicar o que eu demorei mais de 40 minutos pra encontrar, isso pq ninguém sabia me dizer onde era o tal lugar! O ticket tem que ser retirado na Duomo Info Point, que fica atrás da Catedral, seguindo pelo lado direito, la no fundo dá pra ver o toldo do lugar (esse da foto abaixo)!

Para ter acesso ao elevador/escadas é só atravessar a rua. Pra subir de escada tinha até uma fila consideravel, porém como eu fui de elevador, subi só eu! A subida é rapidissíma, em questão de segundos eu tava no topo do Duomo. Um detalhe importante, tem que manter o ticket até o final da visita, pq vi gente reclamando que tinha subido de elevador e sem mostrar o devido ticket, vai descer de escada! Ainda bem que eu tenho mania de guardar tudo até o final da viagem, somente quando já estou no aeroporto eu faço a limpa na minha bolsa. Então, fica a dica!

As torres realmente são incriveis, as estátuas perfeitas! Fiquei pelo menos uns 30 minutos lá observando e fotografando cada detalhe. Inclusive dá pra ver mais de perto a Madonnina, a estátua dourada (dizem que feita totalmente de ouro) que está bem no alto da Catedral. Lindíssima!

Ao contrário da torre, para visitar o interior da Catedral o acesso é gratuito. E assim como por fora, por dentro o Duomo também impressiona! Conforme vamos caminhando pelos corredores, é impossível não observar a grande quantidade de estátuas de mármore que tem por todas as partes. Uma mais bonita que a outra! Os vitrais também são muito bonitos, mas o que eu gostei mesmo foi do piso. Normalmente as grandes Igrejas e Catedrais tem piso simples, mas no Duomo são “enfeitados”, reparem só..

Com a demora que tive pra encontrar o lugar pra retirar o ticket pro topo do Duomo, acabei almoçando na Galleria Vittorio Emanuele, que fica na mesma praça que o Duomo.

A Galeria, assim como a Catedral, é outro grande simbolo de Milão e parada obrigatória para todos que visitam a cidade! O acesso é feito através de 4 grandes arcos, um em cada “lado” da Galeria, que tem o formato de cruz. Ali, é possivel encontrar tudo de mais tradicional que a Itália pode oferecer, são restaurantes e cafés, assim como lojas de marcas italianas super consagradas.

A decoração interna é impressionante, super luxuosa e impossivel não reparar no domo de vidro, alias, todo o teto da galeria é de vidro, coisa mais linda! E enquanto eu almoçava, fiquei olhando cada detalhe.

Das muitas opções que existem na Galeria, eu escolhi Savini – Ristorante Caffe Bistrot. E como ir a Milão e não provar um risotto alla milanese? Foi justamente isso que pedi! O risotto é feito com vinho branco, cebola, açafrão e queijo parmesão ralado. Uma delícia!

Atravessando a Galeria, fui ver o Teatro Alla Scala, uma das casas de ópera mais famosas do mundo. Dá pra visitar o teatro, mas como meu tempo era curto, me contentei em ver só por fora. Meus pais conseguiram assitir, em janeiro de 2010, uma das operas de Giuseppe Verdi, o Rigoletto, ali. Eles falaram super bem do lugar, inclusive comentaram que a decoração e a acustica são perfeitas! Ahh, e foi justamente ai que Verdi começou sua carreira com a Opera Oberto ainda em 1839.

Na pracinha em frente, tem uma estátua em homenagem a Leonardo da Vinci, super bonita!

Saindo dali, fui procurar pela Mega Loja da Ferrari que está localizada pela redondeza. A loja é realmente enooorme, nem sei ao certo quantos andares são, mas são muitos.

Tudo o que vc possa imaginar de produtos com a marca Ferrari estão ali, inclusive tem um carro de formula 1 pra quem quiser simular como se estivesse disputando um campeonato.

Dá pra tirar foto sentado no carro, mas só com o proprio pessoal da loja. Tem um guardinha que fica andando de um lado pro outro, cuidando pra que os turistas não tirem fotos com as suas próprias máquinas!

Voltei até a Piazza Duomo e ali foi caminhar pela Via Dante, um calçadão movimentadíssimo, cheio de lojas, cafés e restaurantes. Esse calçadão liga o Duomo ao Castello Sforsezco, que foi a minha próxima parada.

O Castelo era a residencia da familia Sforza e pertencia ao Duque Sforza que era quem comandava o Ducado de Milão naquela época. O Castelo acabaou se destacando, além de sua estrutura, também pela sua localização estratégica, que ficava entre o restante do Continente Europeu, Africa e Oriente Médio.

Hoje em dia, o Castelo foi transformado em um museu e lá estão algumas obras de Da Vinci e  Michelangelo.

Inclusive é lá onde está a obra inacabada Pietá Rondonini, que foi uma das ultimas obras em que Michelangelo estava trabalhando, quando veio a falecer.

O acesso ao museu é pago, mas para circular pela area interna do castelo não é preciso pagar nada.

E logo “atrás” do Castello Sforzesco, fica o Parco Sempione, um dos maiores parques públicos de Milão. Como era inicio de outono quando eu visitei a cidade, fiquei imaginando como estariam aquelas arvores no final da estação, variando em tons de marrom, vermelho e amarelo e envolvendo a versão italiana do Arco do Triunfo, o Arco della Pace. Deve ficar muito bonito!

E pra finalizar meu passeio pelo centro de Milão, eu não poderia deixar de passar numa das muitas sorveterias espalhadas pela cidade e provar um autentico gelatto italiano. Eu tinha visto na internet, que uma das sorveterias da moda era a Chocolat.

E a localização não poderia ser melhor, ela fica grudada ao Parque Sempione. Passei por ali rapidinho e peguei um sorvete de canela, um dos mais famosos da casa. Excelente escolha, o sorteve era realmente muito bom.. alias, todos os sorvetes italianos que provei fazem total jus a fama!

E dali, fui até a estação de trem Cadorna pra pegar um táxi até o Estádio San Siro, tema do próximo post!

Anúncios

Tags:, ,

About Bruna Bartolamei

Depois de morar por quase 2 anos em Edimburgo, na Escócia e ter viajado por mais de 32 países, estou de volta ao Brasil com muitas histórias pra contar!

2 responses to “24 horas em Milão!”

  1. Caroline Ehlke says :

    Oi, Bruna. Bem bacana esse post. Eu podia ter lido ele antes de ir pra Milão. =( Fiquei hospeda em Lugano na Suiça, mas peguei um trem e fui passar o dia lá. Achei bem bacana. Fiquei i impressionada com tamanha beleza do Duomo, Pena q não sabia dessa visitação ao topo. Eu não pude entrar no Duomo, pois fui no verão e nem lembrei que por lá para entrar em igreja vc não pode estar com roupas curtas. Eu estava de shorts e regata, e fui barrada. =( Uma pena. Qq hora quero voltar lá pra ir na feira de design q toma as ruas cidade toda, isso deve ser incrível. ;)
    Abs.,
    Carol
    borapramalta.wordpress.com

  2. Bruna says :

    Oi Carol,

    Eu só descobri que dava pra subir no Duomo, pq assinei a newsletter deles (tenho essa mania de assinar todas as newsletter que vejo pela frente).

    O Duomo realmente é muito bonito, tanto por fora quanto a parte interna. Achei curioso o piso ser daquele jeito, pq pelo menos nas igrejas (acho q todas) da Inglaterra e Escócia o piso é de concreto, sem graça e normalzão.

    A próxima vez não deixa de ir lá, vale muito a pena!

    =)

Deixe seu comentário, sugestão ou crítica!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: