Genebra

Continuando os posts sobre a Suíça

Genebra é a segunda maior cidade da Suíça, ficando atrás somente de Zurique. Pro padrão brasileiro seria uma típica cidade de interior, com os seus quase 192 mil habitantes!!

Genebra

A cidade fica as margens do Lago Léman, mas boa parte da cidade também acompanha as margens do rio Rhône. Pra onde quer que se olhe em Genebra, se ve montanhas, totalmente ou só com o topo coberta (o)(s) de neve!

???

Como essa viagem aconteceu na primeira semana de dezembro/2011, todo mundo sabe, que no inverno, escurece mais cedo.. então, o jeito é levantar cedo!

Antigamente, essa muralha cercava a cidade de Genebra!

E a primeira parada foi no Parque dos Bastiões, somente para ver o Muro da Reforma Protestante e os tabuleiros de xadrez enooormes.

Entrada principal do Parque dos Bastiões

O parque, a primeira vista, causa até uma certa duvida se é ou não é ali mesmo, pq não parece um desses parques como o Hyde Park ou Princes St Gardens, é uma praça enooorme e com algumas (ou talvez por ser invern0) árvores.

Muro da Reforma Protestante

Na ordem.. Guillaume Farel, João Calvino, Théodore de Beze e John Knox.

No parque estava acontecendo um protesto, com um enorme acampamento, mas nada que atrapalhasse a visita!

Vários tabuleiros de xadrez gigaaantes, bem no meio do Parque

Tabuleiro prontinho..

Fui direito no Muro, que foi construído aos pés de uma muralha que data do século XVI, no centro, tem as estátuas dos precursores da reforma Protestante, Guillaume Farel, João Calvino, Théodore de Beze e John Knox.

Grand Théâtre de Genève

Segui caminhando até chegar na Rue de Rive, umas das principais ruas de comércio da cidade, caminheiro um pouco por ali, pra procurar a loja da Apple, queria comprar o novo Iphone 4S, que acabei deixando pra comprar em Genebra, por causa da tomada, senão, seria mais um aparelho pra eu ter que me preocupar com adaptador!

Uma das ruas mais luxuosas de Genebra

A próxima rua, paralela com a Rue de Rive, sentido Lago, é a Rue du Rhône, onde ficam as lojas, relojoaria, e boutiques mais caras da cidade e do mundo! São incontáveis relojoarias ao longo da rua, com relógios que chegam a custar fácil o mesmo preço de um carro médio porte no Brasil!!

Relojoarias por todas as partes

...

Segui caminhando pela margem do rio, até chegar na Ponte Mont Blac e é justamente ali, onde “começa” o Jardim Inglês, que segue pelas margens do Lago Léman. É um lugar bem agradável, não muito grande e além de uma fonte, ainda da pra ver o famoso Relógio das Flores, que presta uma homenagem a indústria de Relógios do país. Ele é totalmente feito de flores naturais e muda a cada estação do ano, e o melhor de tudo, marca as horas de verdade!

Ponte Mont Blanc, umas das principais pontes da cidade

Margens do Rio ou do Lago?

Jardim Inglês

Relógio das Flores

Jardim Inglês

Do Relógio das Flores (aliás, de quase todas as partes da cidade), já da pra ver a Catedral de Saint-Pierre, com seu estilo gótico e suas torres! É a principal Igreja Protestante da cidade,  foi construida entre 1150 e 1230, e quem se atrever, dá pra subir os mais de 400 degraus e ir até o topo de uma de suas torres e ter uma boa vista de toda a cidade e das montanhas que cercam Genebra!

Uma Mont Blanc no caminho até a Catedral..

Eu acabei não subindo a torre, pq a Catedral já fica no ponto mais alto da Cidade Antiga (Vieille Ville), e me contentei com o que vi! Ah, e para visitar a Catedral, a entrada é gratuita!

Catedral de Saint-Pierre

Uma das principais Igrejas Protestantes da cidade

Pracinha em frente a Catedral

Caminhei um pouco pelas ruazinhas da Cidade Velha de Genebra, e na volta, passei novamente pelo Jardim Inglês e acabei presenciando uma cena nada agradável, um roubo, em plena luz do dia, por volta de 13:40 horas, próximo ao Relógio das Flores!

Jardim Inglês

Roubaram a bolsa Louis Vuitton de uma senhora, e eu sei que a bolsa era Louis Vuitton, pq eu vi um cara se escondendo atras de uma barraca e ele estava segurando a bolsa, e logo que passei a barraquinha, vi a mulher e o marido desesperados gritando que tinham roubado a bolsa deles!

Lago Léman.. ai deveria estar o Jet d’Eau, que não estava funcionando, pois estava em manutenção

E dali, segui para o tour na ONU.. tema para outro post!

Anúncios

Tags:, , ,

About Bruna Bartolamei

Depois de morar por quase 2 anos em Edimburgo, na Escócia e ter viajado por mais de 32 países, estou de volta ao Brasil com muitas histórias pra contar!

7 responses to “Genebra”

  1. Thomaz Mostardeiro says :

    Genebra pode até ser uma bela cidade, com um lago de águas límpidas, limpa, organizada e pontual, características que se observam em toda a Suíça. Entretanto, para os apaixonados em conhecer a cultura local, Genebra é absolutamente não-suíça. O país é agrário e conservador, algo que realmente não se encontra na cidade cosmopolita, sofistica e liberal e além disso, não devemos esquecer que grande parte do país fala alemão, e, portanto, a Suíça está muito mais relacionada com a cultura alemã que a francesa, exatamente o oposto do que se encontra em Genebra. Mas para quem deseja explorar as belezas da região mais a fundo, a dica é a mesma como para todos os lugares do país, desfrutar das paisagens naturais, dos lagos, e das pequenas cidades históricas próximas. Em Genebra, ao redor do lago de Genebra e a menos de 1h de trem se encontram 3 pérolas: Nyon, que oferece um centro histórico bonito, uma vista para o lago e para os alpes de tirar o folego (o que não é nenhuma novidade na Suíça né!), e um dos jardins mais belos da europa com ruínas romanas. Montreaux é onde vários milionários possuem mansões e uma linda cidade com vistas para as montanhas, entretanto, a mais interessante atração fica a aproximadamente 1h de Genebra e é um dos castelos que certamente poderia ser uma das maravilhas do mundo: Chateaux de Chillon, um castelo localizado a beira do Lac Leman e ainda próximo das montanhas oferece um cenário único. É possível ir para todos esses lugares a partir de Genebra tanto de barco, que é coberto pelo Swiss Pass e pelo Eurail Pass quanto de trem, que é mais rápido, entretanto, não oferece vistas tão bonitas.

    • Bruna says :

      Nem me fale, que tinha planejado visitar o Chateaux de Chillon, mas o meu ultimo dia acabou sendo em Genebra mesmo, amanheceu um dia super chuvoso, sem condições de ir até lá. Isso sem falar que com aquela chuva forte, desanimei para qqer coisa!

      Fui olhar sobre essa cidade de Nyon, e achei ela super bonitinha. To vendo que vou ter que voltar à Suiça loooogo!!!

  2. Fábio says :

    Lindas as fotos de Genebra. Estive lá em agosto de 2009 e concordo com tudo o que foi dito no comentário acima. A Suíça vale uma viagem só. Nesta viagem, eu estive em Genebra e Lugano como base e explorei o restante da parte francesa e italiana da Suíça. Recomendo. Minha próxima viagem será este ano para explorar o restante do país e Liechtenstein.

    • Bruna says :

      Obrigada, Fábio!
      A parte italiana da Suíça deve ser muito bonita também, eu ainda quero voltar à Suiça!
      Li uma reportagem essa semana, e como Riq Freire disse, a gnt sempre acaba descobrindo que é muita Suiça para o pouco tempo que temos de férias! heheeheh

Deixe seu comentário, sugestão ou crítica!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: